O que é PUT: saiba como funcionam as opções de venda

Saber como funcionam opções de venda pode ajudar o investidor que deseja começar a investir
 (Getty/Getty Images)
(Getty/Getty Images)
D
Da RedaçãoPublicado em 21/07/2022 às 11:00.

Opções de venda são um tipo de derivativo muito usado como proteção de carteira contra eventuais quedas de mercado.

Dessa forma, saber como funcionam opções de venda pode ajudar o investidor que deseja começar a investir.

O que é Opção de Venda (PUT)?

Uma opção de venda é uma ferramenta que dá ao investidor a possibilidade de vender determinado ativo a um preço fixado anteriormente em um contrato. Ou seja: ainda que o ativo venha a cair no futuro, o dono dessa opção poderá vendê-lo no preço combinado.

As opções, por sua vez, são derivativos que dão direito a um negociar exercer as opções de compra ou de venda (chamadas de call e put, respectivamente) de um ativo a um preço já determinado.

Esses ativos são voltados para quem tem perfil de investidor mais arrojado, no entanto, e devem ser usados com sabedoria.

Assim, as opções de venda são contratos financeiros que ficam fixados entre seu comprador e o seu vendedor. Dessa forma, o vendedor dá ao comprador essas opções de venda.

Portanto, entender o que é opção de venda e como ela pode ajudar em uma estratégia de carteira diversificada é muito importante para todo investidor.

Como funciona uma Opção de Venda?

De fato, o funcionamento da opção de venda pode parecer complexo em um primeiro momento, mas ele consiste em uma negociação entre duas partes.

Em primeiro lugar, os vendedores da opção de venda têm a expectativa de que as ações negociadas no contrato manterão seus preços estáveis.

Assim, ao vender as opções, terão um rendimento pago por quem comprar essas posições - pois é necessário pagar para ter acesso a esse tipo de opção.

Por outro lado, existe o comprador das opções. Eles acreditam que esses ativos terão seus preços desvalorizados e decidem então pagar um prêmio pela negociação desses contratos.

Assim, se o ativo cair de R$50 para R$30, por exemplo, o comprador da opção poderá vender sua ação por R$50, usando a opção como um hedge que será capaz de proteger seu capital em eventuais quedas.

Para que serve a Opção de Venda?

Quando se fala no mercado de derivativos, muitos não compreendem para que eles servem, preferindo comprar apenas as ações diretamente.

Entretanto, uma opção de venda pode sim ter uma função importante em uma carteira diversificada e estratégica.

De forma geral, quando se pergunta para que serve a opção de venda, basta entender que este derivativo tem seu uso como forma de proteção contra as quedas no mercado, permitindo que o investidor não sofra prejuízos com a desvalorização de suas ações.

Por exemplo: se uma de suas ações cair em 50% do valor e o investidor tiver uma opção de venda pelo preço original, ele exercerá essa opção e não terá sofrido desvalorizações.

Além disso, muitos investidores usam o mercado de opções para compreender como está o mercado: se está otimista, pessimista e como essas impressões vão mudando ao longo do pregão.

Opções de Venda e Trade

Uma coisa importante que todo investidor deve saber é que o comprador de uma opção não tem a obrigação de carregá-la até o final de seu contrato.

Ou seja: é possível negociar a opção de venda no mercado, de forma que estas apresentam uma alta volatilidade. 

Dessa forma, o comprador deste derivativo pode vendê-lo quando ele quiser. Caso ele faça isso em um dia diferente, estará fazendo o swing trade. Caso a compra e venda ocorra no mesmo dia, chama-se day trade

Por outro lado, o vendedor pode recomprar essa opção e assim não precisará lidar com a obrigação de comprar o ativo definido na opção.

O investidor pode lucrar com opções de venda. No entanto, para isso, os ativos devem ter desvalorizações rápidas, pois as opções tendem a perder valor ao longo do tempo.

Vale a pena usar Opções de Venda?

De fato, muitos podem usar as opções de venda como proteção de mercado ou para fazer trading, mas será que vale a pena usar opções de venda?

Em primeiro lugar, o investidor deve entender que derivativos são ativos de maior risco e que, para lidar com eles, é preciso ter muito estudo e prática, além de ter a mente preparada para eventualidades.

Portanto, esses instrumentos podem não ser ideais para iniciantes, sendo mais voltado para aqueles com maior tolerância ao risco.

Entretanto, é possível estudá-los para conseguir usá-los da melhor forma possível.

Seja como for, é interessante avaliar todas as possibilidades de investimentos disponíveis na hora de escolher no que alocar capital.

Além disso, diversificar o dinheiro entre diversas classes de ativos permite que uma carteira de investimento esteja preparada para lidar com qualquer situação econômica.

Você ainda quer saber mais sobre opções de venda e como elas funcionam? Confira outros conteúdos como esse em nosso Guia de Investimentos, como:

O que é taxa Selic?
O que é IPCA acumulado?
O que é IOF?