Invest

Como minerar bitcoin? Entenda o processo de mineração de criptomoedas

A dificuldade no processo de mineração vai depender do esforço total empregado na mineração da rede Bitcoin

Bitcoin mining (Getty/Getty Images)

Bitcoin mining (Getty/Getty Images)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 21 de julho de 2022 às 18h00.

Última atualização em 20 de março de 2023 às 16h32.

A mineração de criptomoedas é algo que qualquer indivíduo ou organização pode fazer. 

No entanto, além de ter em posse equipamentos adequados, é necessário avaliar o custo-benefício do processo, que tem sido cada vez mais difícil para os recém-chegados. O Bitcoin mining, por exemplo, é um processo computacional usado que tem como função validar transações da criptomoeda e gerar novas unidades de BTC no mercado.

Sendo assim, entender o Bitcoin mining e suas características é muito importante para quem quer investir no mercado de criptoativos.

O que é mineração de criptomoedas?

A mineração de criptomoedas é o método de verificar transações de criptoativos na blockchain usando para isso máquinas com amplo poder computacional. 

Nesse sentido, para que a mineração aconteça, os supercomputadores especializados precisam resolver problemas complexos que irão incluir novas transações no blockchain. Ao executar esse trabalho com sucesso, os computadores ganham como recompensa uma determinada cifra de criptomoeda.

O que é Bitcoin Mining?

Bitcoin mining, também conhecido como mineração de Bitcoin, é um procedimento computacional P2P (peer-to-peer) cuja função é a proteção e verificação das transações financeiras descentralizadas com bitcoins. 

Sendo assim, as transações são agrupadas no que se chama de blocos. Os blocos em conjunto formam “elos” entre si, aumentando a segurança da rede.

A mineração de Bitcoin consiste em compilar as transações recentes nesses blocos e na solução de um algoritmo computacional bastante complexo.

Assim, quando um minerador consegue resolver esse enigma computacional, este valida as transações, coloca o próximo bloco nesse elo e ganha recompensas por resolver esse algoritmo.

Por fim, a atividade de bitcoin mining é voltada para quem tem mais tolerância ao risco na hora de investir e empreender.

Como funciona o Bitcoin Mining?

O funcionamento do bitcoin mining é adaptável, de forma que os blocos que podem ser encontrados todos os dias pelos mineradores mantenha-se constante ao longo do tempo. 

Ou seja: a dificuldade no processo de mineração vai depender do esforço total empregado na mineração da rede Bitcoin

Assim, essa dificuldade tem ajustes a cada duas semanas, quando a força computacional é atualizada. 

Com o passar do tempo, muitos entraram no mercado de mineração para conseguir lucrar Bitcoins com a validação das transações. Por isso, computadores normais tendem a não ser tão úteis para minerar bitcoin atualmente.

Além disso, com a entrada de cada vez mais players no mercado de mineração, são necessárias máquinas cada vez mais potentes para continuar atuando nesse mercado. Ou seja: há um custo para investir nessa atividade econômica.

É possível fazer Bitcoin Mining com um computador comum?

De fato, muitos sonham com receber renda passiva em cripto ao colocarem os seus computadores para minerar Bitcoin e outras criptomoedas. Mas nem sempre essa operação será lucrativa.

Em primeiro lugar, o mercado de mineração está cada vez mais robusto e cada vez mais máquinas existem com alto poder computacional. Ou seja: nem todos podem participar desse tipo de investimento.

Por isso, a recompensa para mineração é cada vez menor para computadores comuns, que não são tão potentes e que não são dedicados a isso.

Além disso, o consumo de energia para minerar criptomoedas também é elevado, de forma que muitas vezes o gasto energético vai superar o valor minerado.

Sendo assim, muitas empresas de mineração preferem se estabelecer em locais com energia barata. Dessa forma, diminuem os gastos e potencializam o lucro.

Portanto, nem sempre valerá a pena minerar Bitcoin do computador. É preciso ver os custos energéticos e ver a potência do computador em questão antes de tomar a decisão.

Encontre investimentos rentáveis de renda fixa e de baixo risco para construir patrimônio com toda a segurança do BTG Pactual. Abra sua conta com taxa zero.

Vale a pena fazer Bitcoin Mining?

A mineração do bitcoin pode trazer lucros financeiros interessantes, mas, para isso, é preciso dispender uma grande quantia de dinheiro para comprar o maquinário.

Sendo assim, vale a pena minerar bitcoin e outras criptomoedas caso o investidor esteja disposto a investir pesado – e seguir reinvestindo, pois cada vez mais poder computacional é preciso para minerar BTC.

Entretanto, caso o investidor não tenha dinheiro o suficiente para isso, ele pode optar por comprar Bitcoin e outras criptomoedas e buscar serviços de staking, que funcionam de forma análoga aos dividendos no mercado de ações.

Mineração de criptomoedas é lucrativa?

Com o passar dos anos, minerar criptomoedas se tornou cada vez menos lucrativo, sobretudo para o minerador individual. 

Enquanto há uma década os mineradores podiam comprar uma plataforma e começar de casa, hoje em dia o mercado global é majoritariamente administrado por grandes empresas e organizações.

Outro ponto que precisa ser destacado é sobre os custos de mineração. Além de ser necessário desembolsar uma alta quantia na aquisição de bons hardwares, os custos energéticos de manter a máquina ligada 24 horas por dia, sete dias por semana precisam ser considerados.

Vale destacar ainda que o custo da eletricidade pode ser ainda mais substancial dependendo da localização geográfica.

Nesse contexto, as margens de rentabilidade individuais dos mineradores tendem a ser cada vez mais pequenas.

Qual o gasto de energia elétrica para minerar bitcoin?

Como dito anteriormente, minerar criptoativos envolve um intenso uso de energia elétrica.

Mineradores profissionais investem pesado em “fazendas” de supercomputadores para aumentar a velocidade de resolução dos enigmas matemáticos. Como consequência, um alto consumo energético é despendido no processo.

Além disso, algumas criptomoedas demandam um consumo maior de energia pois têm uma taxa de resolução de equação mais baixa que as outras. É o caso, por exemplo, do Bitcoin.

De acordo com pesquisadores da Universidade de Cambridge, o consumo elétrico anual de Bitcoin é de 121,36 terawatt-horas (TWh) por ano. Isso é maior que o consumo da Argentina (121 TWh), da Holanda (108,8 TWh) e dos Emirados Árabes Unidos (113,2 TWh).

Já o Ethereum apresenta dados melhores, mas ainda assim preocupantes. Em um ano essa criptomoeda usa cerca de 90 TWh, comparável ao consumo elétrico anual da Bélgica. 

Dessa forma, é importante frisar que nem todas as criptomoedas exigem a mesma quantidade de energia. Algumas moedas digitais podem até beneficiar o meio ambiente. É o caso da SolarCoin, que recompensa investimentos em energia solar.

Para o longo prazo, a tendência é que se desenvolvam métodos de mineração menos intensivos em energia no intuito de minimizar possíveis impactos sobre o meio ambiente.

Por que o Bitcoin precisa de mineração?

Primeiramente, é preciso entender que os mineradores atuam, basicamente, como mineradores. Eles verificam a legitimidade das transações de Bitcoin.

Essa convenção foi criada para manter os usuários do Bitcoin honestos e foi concebida pelo fundador do Bitcoin, Satoshi Nakamoto.

Ao verificar as transações, os mineradores ajudam a prevenir o "problema de gastos duplos". Isso ocorre quando um proprietário de Bitcoin gasta ilicitamente o mesmo Bitcoin duas vezes.

Com dinheiro físico, não ocorre esse tipo de problema: quando uma pessoa entrega a alguém uma nota de R$50 para comprar um livro, ele não a possui mais e não há perigo de usar esse dinheiro para comprar mais um item.

De fato, embora o dinheiro falso seja possível, não é exatamente o mesmo que gastar literalmente o mesmo real duas vezes.

Com a moeda digital, no entanto, existe o risco de que o detentor faça uma cópia do token digital e enviá-lo para um comerciante ou outra parte enquanto retém o original – e isso pode até mesmo ocorrer com outros criptoativos.

Portanto, o que um minerador de blockchain faz é algo análogo ao trabalho de analisar os números de série das notas e verificar que uma delas é falsa.

Ou seja: eles verificam as transações para garantir que os usuários não tentaram gastar ilicitamente o mesmo Bitcoin duas vezes.

Para que serve o Bitcoin Mining?

A mineração de Bitcoin é responsável por criar novas criptomoedas em circulação e manter a integridade da rede.

A mineração envolve a solução de problemas matemáticos para criar um "hash" de 64 dígitos que atenda a determinados critérios.

Embora não seja um processo complicado, requer muita potência de computação e é extremamente trabalhoso.

Além da recompensa em Bitcoin recém-criado, a mineração pode conceder aos mineradores poder de voto em decisões importantes da rede, conhecidas como Bitcoin Improvement Protocols (BIPs).

Quanto mais poder de "hash" um minerador possui, mais votos ele pode emitir para iniciativas como forks.

A mineração é um componente essencial do ecossistema do Bitcoin e continuará a ser necessária mesmo após a emissão total de todas as 21 milhões de moedas previstas, o que deve ocorrer por volta do ano 2140.

E, de fato, muitos mineradores de Bitcoin começaram como criptoinvestidores e entusiastas, até o ponto em que participaram da rede Bitcoin de forma mais direta através da mineração.

Quanto ganha um minerador de Bitcoin?

A recompensa pela mineração de Bitcoin é reduzida pela metade aproximadamente a cada quatro anos.

Quando o Bitcoin foi minerado pela primeira vez em 2009, a mineração de um bloco renderia 50 BTC.

Em 2012, essa quantidade foi reduzida pela metade para 25 BTC. Em 2016, foi reduzida novamente para 12,5 BTC.

Considerando um preço de $25.000 para o bitcoin, a recompensa de 6,25 BTC por bloco minerado resultaria em um ganho de $156.250 (6,25 x 25.000).

Para acompanhar precisamente quando essas reduções ocorrerão, existe uma série de sites que atualizam essas informações em tempo real. Existem sites similares para outros protocolos, ajudando assim a entender como funcionam as criptomoedas.

Historicamente, o preço do Bitcoin tende a corresponder à redução de novas moedas em circulação, o que aumenta a escassez e, consequentemente, seu preço.

O que é um pool de mineração?

O minerador que descobre a solução para o “quebra-cabeça” recebe as recompensas de mineração, e a probabilidade de um participante ser o primeiro a descobrir a solução é igual à proporção da potência total de mineração na rede.

Participantes com uma pequena porcentagem do poder de mineração têm uma chance muito pequena de descobrir o próximo bloco sozinhos. Isso é um dos grandes riscos da criptomoedas para quem deseja minerar.

Por exemplo, uma placa de mineração que pode ser adquirida por alguns milhares de dólares representaria menos de 0,001% do poder de mineração da rede.

Com uma chance tão pequena de encontrar o próximo bloco, pode levar muito tempo até que o minerador encontre um bloco, e o aumento da dificuldade torna as coisas ainda piores.

Ou seja: o minerador pode nunca recuperar seu investimento. Portanto, a solução para este problema são os pools de mineração. Os pools de mineração são operados por terceiros e coordenam grupos de mineiros.

Ao trabalharem juntos em um pool e compartilhando os pagamentos entre todos os participantes, os mineradores podem obter um fluxo constante de bitcoin a partir do momento em que ativarem seus mineradores.

Como minerar Bitcoin?

A mineração de Bitcoin exige um computador especializado, fonte de energia confiável e barata, conexão de internet confiável, infraestrutura de resfriamento e habilidade técnica para estabelecer e monitorar as operações.

Os entusiastas solitários foram responsáveis pela popularidade inicial do Bitcoin, mas agora são mais propensos a se juntar a um coletivo de mineração virtual.

A indústria atual é mais representada por fazendas de mineração em escala industrial contendo milhares de mineradores ASIC.

Novos ASICs custam alguns milhares de dólares, embora modelos antigos possam ser comprados de segunda mão por menos.

A eletricidade é o fator mais significativo no cálculo do resultado final, e a indústria procura por energia elétrica barata.

Em termos de receita, os mineradores de Bitcoin podem esperar ganhar a recompensa do bloco e uma taxa de transação.

As taxas de transação podem variar com base nas condições da rede e no quanto o transator está disposto a pagar pelo processamento acelerado.

Vale notar que, além de taxas de transação, todos os investidores em criptomoedas precisam se preocupar também com a tributação das criptomoedas no imposto de renda.

É permitido minerar Bitcoin?

No Brasil, é permitida a mineração de criptomoedas, mas não há regulamentação específica. Um projeto de lei relacionado ao assunto ainda aguarda aprovação na Câmara dos Deputados.

Nos últimos anos, tem havido uma grande variedade de abordagens por parte dos governos em relação à mineração de bitcoin.

Alguns países proibiram completamente a atividade, enquanto outros estão incentivando a mineração de criptomoedas.

Por outro lado, países como o Cazaquistão e o Catar estão incentivando a mineração de criptomoedas, oferecendo tarifas de eletricidade mais baixas e outras vantagens para atrair investidores. 

Em geral, a abordagem dos governos em relação à mineração de criptomoedas ainda é muito variada e incerta. Alguns países até mesmo já investem em criptoativos, e outros o proibiram.

Enquanto alguns países estão abertos a essa atividade, outros ainda estão avaliando o impacto que ela tem na economia, no meio ambiente e na sociedade em geral.

Você ainda tem questões sobre o funcionamento do Bitcoin Mining? Confira outros conteúdos como esse em nosso Guia de Investimentos, como:

Tesouro Selic ou IPCA? Qual a melhor escolha?
O que é day trade?
Criptoativos: 3 vantagens para investir neles

Acompanhe tudo sobre:BitcoinGuia de InvestimentosMineração de bitcoin

Mais de Invest

Musk diz que Tesla pode competir com a China sem tarifas

Veja o resultado da Mega-Sena, concurso 2728; prêmio é de R$ 40 mi

Profissional autônomo: veja passo a passo para declarar o Imposto de Renda 2024

Criptomoedas: aula virtual ensina como investir com confiança e sem armadilhas; veja como assistir

Mais na Exame