O que é Perfil de Investidor: diferenças entre Conservador, Moderado e Arrojado

Conhecer o seu perfil de investidor é um passo fundamental antes da decisão dos investimentos que você quer fazer
 (Getty Images/Getty Images)
(Getty Images/Getty Images)
D
Da Redação

Publicado em 18/11/2020 às 20:27.

Última atualização em 11/07/2022 às 14:05.

Toda pessoa precisa conhecer o seu perfil antes de começar a investir. Para isso existe o perfil de investidor: o resultado de uma análise que identifica objetivos, necessidades e prioridades do investidor, além da sua tolerância ao risco

Ele será classificado como conservador, moderado ou agressivo.

Por que é necessário ter um perfil de investidor?

Esse processo de identificação e análise do perfil de risco do investidor também pode ser chamado de suitability, que é o termo em inglês. Ele é calculado por meio de um questionário que o investidor precisa responder sobre suas prioridades, prazos e sua relação com perdas nos investimentos.

Essa é uma etapa fundamental para quem está começando a investir, porque ajudará a entender os limites que essa pessoa terá na alocação dos seus ativos. 

Com essas informações, fica mais fácil para o investidor traçar sua estratégia de investimentos e encontrar produtos que sejam mais adequados ao seu perfil.

Os 3 Tipos de Perfil de Investidor

São três os perfis de investidor mais comuns, cada um com suas características. 

1. Conservador

O investidor conservador abre mão de perseguir uma rentabilidade maior, porque prioriza a segurança nos seus investimentos e tem baixíssima tolerância ao risco. Esses investidores têm maior necessidade de preservação do patrimônio e liquidez.

Por causa dessas razões, investem normalmente em ativos da renda fixa, como títulos do Tesouro Direto, CDBs, CRIs e CRAs, debêntures e LCIs e LCAs

2. Moderado

O perfil moderado é associado ao investidor que aceita um pouco mais de risco em busca de uma rentabilidade maior. Ele vai acessar investimento conservadores como a renda fixa, mas, como tem disposição para ativos mais arriscados, pode investir um percentual da carteira em produtos de renda variável, como ações e fundos imobiliários.

3. Arrojado (ou agressivo)

O investidor arrojado, também chamado de agressivo, é aquele que busca de retornos ainda mais altos, abre mão de parte da segurança e investe um percentual maior da sua carteira em investimentos mais arriscados. Ações são uma das alternativas mais comuns, mas a carteira pode incluir ainda opções e contratos futuros.