Invest

O que é 100% do CDI e quanto rende? Entenda o cálculo

Nos mais diversos tipos de investimentos, o CDI é usado como benchmark importante para avaliar a rentabilidade

Sinais de porcentagem caindo  (vitacopS/Getty Images)

Sinais de porcentagem caindo (vitacopS/Getty Images)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 16 de janeiro de 2023 às 11h04.

Última atualização em 7 de fevereiro de 2024 às 10h15.

Afinal, quanto vale 100% do CDI? E por que isso pode ser importante para os investimentos? Essas e outras dúvidas surgem entre os investidores que decidem alocar seu capital na renda fixa.

E de fato: nos mais diversos tipos de investimentos, o CDI é usado como benchmark importante para avaliar a rentabilidade. 

Por isso, entenda mais sobre a rentabilidade de 100% do CDI e seu impacto nas finanças pessoais e nos investimentos lendo mais abaixo:

Compare as melhores opções de produtos para você e saiba como fazer o seu dinheiro render mais

O que é CDI?

CDI (Certificado de Depósito Interbancário) é um título de curto prazo que os bancos negociam entre si para fecharem o dia com seu balanço positivo. Possuem validade de um dia útil e seguem a taxa de depósito interbancário (taxa DI). São negociadas apenas entre bancos.

O CDI é um título de dívida emitido por instituições financeiras e negociado no mercado interbancário.

Assim, ele é utilizado para que os bancos possam equilibrar seus fluxos de caixa no curto prazo, ao captar recursos dos bancos que possuem excesso de liquidez e emprestar para aqueles que precisam de recursos para fechar seus balanços diários. 

De fato, por ter um prazo curto de validade, o CDI é considerado um título de renda fixa de curto prazo.

Vale destacar que os CDIs são negociados apenas entre bancos e outras instituições financeiras autorizadas pelo Banco Central do Brasil, e não estão disponíveis para investidores comuns.

No entanto, existem diversos títulos de renda fixa que utilizam a taxa DI como referência para seu rendimento, que podem ser adquiridos por investidores pessoa física através de corretoras de valores, como é o caso dos CDBs.

Por isso, é muito comum ver investimentos que usam a taxa DI como base para os seus investimentos. Por isso, o investidor pode se expor a esse tipo de rentabilidade através de diversas opções.

O que é 100% do CDI?

100% do CDI significa que um determinado investimento paga o valor da taxa DI, a taxa praticada para empréstimos entre instituições financeiras (ou seja, de um banco para o outro).

Ou seja: se um investimento paga 100 do CDI, ele paga exatamente o valor dessa taxa. Por exemplo: se o CDI está em 3%, o investimento pagará 3%. Se ele estiver em 15%, ele pagará 15% (e assim sucessivamente).

100% do CDI hoje equivale a 13,65% ao ano. Ou seja: se o investidor alocar R$10 mil no início do ano, ao final deste, terá um total de R$11.365.

Essa taxa já foi maior em tempos de elevada inflação e problemas econômicos, e chegou a valores mais baixos em anos anteriores, quando houve um maior controle nos gastos governamentais e confiança por parte dos investidores.

Sendo assim, este valor impacta diretamente os ativos de renda fixa, que têm sua rentabilidade atrelada a essa taxa.

Contas deste tipo são uma possibilidade para quem deseja construir uma reserva de emergência que permita o saque no mesmo dia para caso ocorra algum tipo de imprevisto.

Quanto rende 100% do CDI hoje?

Mas afinal, quanto é 100% do CDI? Ao investir em algo que tem esse retorno, o investimento renderá um valor equivalente ao da taxa DI atual que, por sua vez, varia de forma muito próxima à rentabilidade da taxa Selic.

Com uma Selic em 13,75% ao ano, 100% do CDI representa 13,65% ao ano, ou seja, 0,1 ponto porcentual abaixo do retorno da taxa básica de juros brasileira. 

Por outro lado, se um investimento promete um retorno de 100% do CDI, ele só terá esse rendimento de 13,65% ao ano se a aplicação se mantiver por pelo menos 1 ano. Além disso, a Selic teria que continuar com esse mesmo percentual durante esse período.

Mas se a Taxa Selic for alterada, seja para cima ou para baixo, o retorno de 100% do CDI também vai ser mudado. 

Uma alternativa mais simples é calcular quanto é 100% do CDI no simulador do Banco Central. Ele funciona como uma calculadora, em que o usuário poderá colocar o valor a ser corrigido, o percentual do CDI que realizará a correção da quantia e o período de aplicação.

Com a “Calculadora do Cidadão”, como também é chamada, é possível calcular o retorno da taxa DI não apenas dentro de 1 ano, mas também dentro de meses, dias ou diversos anos em conjunto, com base no histórico da Selic.

O banco de dados do BC permite que o usuário do simulador da taxa DI possa realizar ajustes nos valores, mas com limite mínimo de aplicações feitas a partir de 1986. Assim, basta colocar a data inicial de aplicação, a data final (quando o dinheiro seria resgatado) e clicar em “Corrigir valor”.

Por meio desse cálculo, é possível saber qual foi o rendimento dos ativos que seguem a taxa DI, possibilitando realizar comparações com outros tipos de ativos, fundos de investimento, etc. Para ter acesso ao simulador de 100% do CDI do Banco Central.

Como calcular 100% do CDI?

Para calcular CDI, é preciso somar os valores da taxa DI (que é uma taxa diária) e fazer uma média pelo período pretendido.

Por exemplo: para calcular a taxa do CDI mensal, basta somar os valores e dividir pelos dias do mês. O mesmo vale para trimestre, semestre, ano, entre outros períodos.

Também é possível verificar os dados do CDI acumulado nos últimos dias, semanas ou meses. Por exemplo: uma métrica muito usada é o CDI acumulado em 12 meses, que dá um panorama anual antes que o ano acabe de fato.

Hoje em dia, existem ferramentas conhecidas como calculadora CDI, que nada mais são do que sites que permitem que o usuário calcule esse valor nos períodos que quiser.

Dessa forma, é possível entender mais sobre esse valor e até mesmo fazer comparações com outros benchmarks, como a taxa Selic. 

Qual a importância de 100% do CDI para os investimentos?

Essa taxa impacta diretamente os investimentos de renda fixa, como já foi citado, mas também é importante para fundos de investimento e para a renda variável também.

Por exemplo: um fundo de investimentos que aloque parte do capital na renda fixa e parte em renda variável pode usar como benchmark a taxa DI + uma porcentagem. Por exemplo: 100% do CDI + 2%, 100% do CDI + 4%.

Além disso, esta é uma prática que alguns gestores de fundos de ações e outros fundos de renda variável também fazem para avaliar sua rentabilidade.

Por fim, as decisões de investimento por parte das empresas também são impactadas pelo CDI, pois os gestores da companhia sempre verificam se um novo projeto renderá acima dos benchmarks do mercado (como CDI e taxa Selic, por exemplo).

Ou seja: o valor de 100% do CDI impacta todo o mercado financeiro, seja direta ou indiretamente.

Compare as melhores opções de produtos para você e saiba como fazer o seu dinheiro render mais

Quais investimentos seguem a taxa do CDI?

É um fato que diversos investimentos usam o CDI como benchmark. Para saber quais, continue a leitura.

1. CDBs

Os CDBs são títulos de dívida emitidos pelos bancos, que remuneram o investidor com juros em troca do empréstimo.

Geralmente, o rendimento dos CDBs segue o percentual do CDI. Contas e carteiras digitais remuneradas também costumam oferecer rentabilidade equivalente ao CDI.

2. LCIs e LCAs

LCIs (Letras de Crédito Imobiliário) e LCAs (Letras de Crédito do Agronegócio) são títulos emitidos por instituições financeiras para financiar atividades imobiliárias e agrícolas.

Além disso, esses títulos oferecem isenção de Imposto de Renda e geralmente possuem rentabilidade próxima à do CDI.

3. Fundos de Investimentos

Fundos de Investimentos podem ter diferentes estratégias de investimento, mas alguns seguem o CDI como referência para remunerar seus cotistas. É o caso dos Fundos DI, que buscam acompanhar a variação do CDI.

Entretanto, vale notar que isso pode variar dependendo do tipo de fundo: existem fundos cambiais, fundos de ações e diversos outros tipos.

4. Debêntures

Debêntures são títulos emitidos por empresas para captar recursos no mercado financeiro. Algumas debêntures seguem a taxa do CDI como referência para remunerar seus investidores.

5. CRIs e CRAs

CRIs (Certificados de Recebíveis Imobiliários) e CRAs (Certificados de Recebíveis do Agronegócio) são títulos de crédito emitidos por securitizadoras, lastreados em recebíveis imobiliários e do agronegócio. Os CRIs e CRAs podem oferecer rentabilidade próxima à do CDI.

É importante destacar que o CDI é uma referência para remuneração de investimentos de Renda Fixa, e que cada investimento pode ter características diferentes em relação a prazos, riscos e rentabilidades.

Portanto, é fundamental avaliar as características de cada aplicação antes de investir.

Perguntas frequentes sobre 100% do CDI

Veja as principais dúvidas relacionadas ao assunto e entenda mais sobre o tema:

O que é Taxa DI?

Taxa DI é a taxa cobrada entre instituições financeiras para fazerem seus empréstimos interbancários. A B3 calcula a taxa média de juros entre os bancos e divulga esses dados diariamente. A taxa DI também é popularmente chamada de Taxa do CDI.

Essa taxa é utilizada como referência para o mercado de renda fixa, sendo adotada como benchmark para a remuneração de diversos investimentos, como CDBs, LCIs, LCAs e outros títulos de renda fixa.

A taxa DI é muito importante para os investidores de renda fixa, pois é com base nela que é calculada a rentabilidade desses investimentos.

Por exemplo, um CDB que paga 100% do CDI irá render, em teoria, o mesmo que a taxa DI no período em que o dinheiro ficar investido.

A taxa DI é influenciada pela taxa Selic, que é definida pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central do Brasil.

A relação entre a taxa Selic e a taxa DI é próxima, já que o CDI é utilizado pelos bancos como referência para definir suas taxas de juros em empréstimos e financiamentos.

Por fim, vale ressaltar que a taxa DI pode variar diariamente, de acordo com as condições do mercado e da economia como um todo.

Assim, é importante que os investidores acompanhem a evolução dessa taxa para tomar decisões de investimento mais informadas.

Qual a importância do CDI para o mercado?

O CDI e sua taxa DI refletem os juros médios que os bancos cobram entre si pelas operações. Com isso, ele acabou se tornando uma referência para todo o mercado financeiro. Com isso, ela tem a função de base para a rentabilidade entre os investimentos de renda fixa.

Apesar de ser calculada diariamente, ela pode ser calculada também em outras bases, como mensal e anual, para verificar seu valor em prazos mais longos.

Além disso, é importante ressaltar que a taxa do CDI é utilizada como referência para remunerar diversos tipos de investimentos de Renda Fixa. Por exemplo, muitos CDBs (Certificados de Depósito Bancário) possuem rentabilidade atrelada ao CDI.

Outro exemplo são as LCIs e LCAs, que são títulos emitidos pelos bancos com o objetivo de financiar o setor imobiliário e o agronegócio, respectivamente.

Os fundos de investimento também utilizam a taxa do CDI como referência para remunerar seus cotistas.

No caso dos fundos DI, a rentabilidade é atrelada ao CDI, já que esses fundos investem majoritariamente em títulos públicos que acompanham de perto a taxa Selic.

Já os fundos de crédito privado, que investem em títulos de empresas, podem ter rentabilidade atrelada a uma taxa prefixada mais um percentual do CDI.

Por fim, as debêntures, os CRIs e CRAs também podem ter rentabilidade atrelada ao CDI.

Portanto, é importante entender como a taxa do CDI funciona e como ela é utilizada como referência no mercado financeiro para avaliar a rentabilidade de diversos investimentos de Renda Fixa.

Qual é a diferença entre a Taxa Selic e a taxa DI?

A principal diferença entre a Taxa DI e a Selic é a sua finalidade. A Selic é a taxa básica de juros da economia e é definida pelo Banco Central do Brasil.

Ela é usada como um instrumento para controlar a inflação, uma vez que influencia as taxas de juros de todos os empréstimos realizados no país. Já a Taxa DI, por sua vez, representa a média dos juros praticados nos empréstimos entre bancos.

Essa taxa é calculada diariamente pela B3 e serve como referência para a rentabilidade de muitos investimentos de Renda Fixa, incluindo o CDI.

Embora a Taxa DI e a Taxa Selic não sejam exatamente iguais, elas estão intimamente ligadas, pois a primeira segue de perto a segunda.

Para manter a Taxa DI próxima à Selic, o Banco Central vende ou compra títulos públicos, chamados de CDIs, a diferentes taxas.

Dessa forma, a média dos juros praticados pelos bancos no mercado interbancário se mantém próxima à Selic.

Por fim, fica claro que a Selic é a taxa de referência da economia brasileira, enquanto a Taxa DI é a média dos juros praticados nos empréstimos entre bancos e serve como referência para diversos investimentos de Renda Fixa, incluindo o CDI.

Histórico da Taxa Selic dos últimos 10 anos

A taxa Selic variou diversas vezes ao longo dos últimos anos, o que faz com que o retorno de 100% do CDI também mude.

Acompanhe a seguir um histórico da Taxa Selic nos últimos 10 anos, com os dados registrados ao final de cada mês:

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

Jul

Ago

Set

Out

Nov

Dez

2023

13.75%

13.75%

13.75%

13.75%

13.75%

13.75%

-

-

-

-

-

-

2022

9.25%

9.25%

10.75%

11.75%

11.75%

12.75%

13.25%

13.25%

13.75%

13.75%

13.75%

13.75%

2021

2.00%

2.00%

2.00%

2.75%

2.75%

3.50%

4.25%

4.25%

5.25%

6.25%

7.75%

7.75%

2020

4.50%

4.50%

4.25%

3.75%

3.75%

3.00%

2.25%

2.25%

2.00%

2.00%

2.00%

2.00%

2019

6.50%

6.50%

6.50%

6.50%

6.50%

6.50%

6.50%

6.00%

6.00%

5.50%

5.00%

5.00%

2018

7.00%

7.00%

6.75%

6.50%

6.50%

6.50%

6.50%

6.50%

6.50%

6.50%

6.50%

6.50%

2017

13.75%

13.00%

12.25%

12.25%

11.25%

10.25%

10.25%

9.25%

9.25%

8.25%

7.50%

7.50%

2016

14.25%

14.25%

14.25%

14.25%

14.25%

14.25%

14.25%

14.25%

14.25%

14.25%

14.00%

13.75%

2015

11.75%

12.25%

12.25%

12.75%

13.25%

13.25%

13.75%

14.25%

14.25%

14.25%

14.25%

14.25%

2014

10.00%

10.50%

10.75%

10.75%

11.00%

11.00%

11.00%

11.00%

11.00%

11.00%

11.25%

11.25%

2013

7.25%

7.25%

7.25%

7.25%

7.50%

8.00%

8.00%

8.50%

9.00%

9.00%

9.50%

10.00%

Apesar de 13,75% ao ano ser um patamar relativamente alto para a Selic, ela também já esteve muito acima disso. Nos últimos 20 anos, a máxima foi de 26,50% ao ano (2003), enquanto nos últimos 10 anos essa máxima é de 14,25% ao ano (2015 e 2016).

Enquanto isso, a mínima de 10 e 20 anos é de 2% ao ano, observada no período da pandemia, permanecendo neste valor entre setembro de 2020 e março de 2021.

Qual a diferença entre CDB e CDI?

CDI, como já foi falado, é um título negociado entre bancos e instituições financeiras. Já o CDB é um certificado de depósito bancário, e pode ser negociado entre bancos e pessoas físicas ou empresas de outros setores.

De forma geral, o CDB tem sua rentabilidade medida através do CDI (por isso é comum ouvir termos como “CDB com 100% do CDI”);

Existem diferentes tipos de CDBs, com rentabilidades e prazos de resgate diferentes, de forma que é preciso saber qual é o mais apropriado para cada tipo de investidor.

Quanto rende 110% do CDI? 120% do CDI? 105% do CDI?

Apesar de diversos investimentos de renda fixa terem um rendimento de 100% do CDI, outros podem proporcionar um valor acima.

Assim, os investidores podem se deparar com rentabilidades de 105%, 110% e até 120% do CDI, por exemplo. Mas quanto isso representa na prática?

Para saber o retorno anual equivalente a essas taxas, basta dividir o percentual do CDI por 100 e multiplicar pelo valor equivalente a 100% do CDI hoje. Para entender melhor como funciona esse cálculo, segue 3 exemplos, com a taxa DI em 13,65% ao ano:

  • 110% do CDI = (110/100) x 13,65) = 1,1 x 13,65% = 15,015%
  • 120% do CDI = (120/100) x 13,65) = 1,2 x 13,65% = 16,38%
  • 105% do CDI = (105/100) x 13,65) = 1,05 x 13,65% = 14,33%

Com isso, os investidores também conseguem fazer o processo inverso, convertendo uma determinada rentabilidade para um percentual do CDI. 

Nesse caso, basta dividir a taxa de retorno (em porcentagem) pela taxa DI hoje, e multiplicar por 100 para saber a equivalência em percentual do CDI. Confira os exemplos abaixo com a taxa DI em 13,65% ao ano:

  • Rentabilidade de 10%: (10/13,65) x 100) = 73,3% do CDI
  • Rentabilidade de 15%: (15/13,65) x 100) = 109,9% do CDI
  • Rentabilidade de 20%: (20/13,65) x 100) = 146,5% do CDI

 

A partir disso, os investidores podem fazer comparações entre os ativos de renda fixa, além de estimar a diferença de retorno em relação aos ativos de renda variável. Para saber o retorno real, basta descontar a inflação registrada no mesmo período, medida pelo IPCA, índice inflacionário oficial do Brasil.

Compare as melhores opções de produtos para você e saiba como fazer o seu dinheiro render mais

Você ainda tem dúvidas sobre a rentabilidade de 100% do CDI? Leia nossos outros artigos para saber mais!

Acompanhe tudo sobre:CDIGuia de Investimentos

Mais de Invest

Veja o resultado da Mega-Sena concurso 2747: prêmio acumulado em R$ 8,5 milhões

Gustavo Franco: Palavras ao vento

Nem XPML11, nem MXRF11: veja 5 FIIs promissores em julho, segundo a Empiricus

Quanto tempo morando junto tem direito à herança?

Mais na Exame