Twitter bate recorde de 2014 e fatura US$ 1,19 bilhão em receita

O crescimento da receita superou as expectativas dos analistas, com aumento de 74% em comparação com 2020

Nesta quinta-feira, 22, o Twitter divulgou os resultados do segundo trimestre e não decepcionou seus acionistas.

A empresa mostrou crescimento alto, tanto em receita quanto em número de usuários diários, e credita a "crescente demanda por publicidade" em sua carta aos acionistas.

No total, a empresa teve receita de 1,19 bilhão de dólares, um aumento de 74% em comparação com 2020, cujo faturamento foi de 686 milhões de dólares. A expectativa dos analistas era um aumento de aproximadamente 50%.

No quesito de usuários, o Twitter faz um cálculo diferente: desde julho de 2020, a empresa considera apenas as contas que recebem anúncios pelo feed ("usuários ativos diários e monetizáveis" ou mDAU, na sigla em inglês), algo que não é possível para usuários que usam a plataforma TweetDeck ou outras.

Neste caso, o mDAU teve um aumento de 11% em comparação com o trimestre anterior, indo de 139 milhões para 206 milhões de usuários ativos.

Em carta para os acionistas, o Twitter afirma que "melhorias no produto, forte execução de vendas e um amplo aumento na demanda de anunciantes" contribuíram para o crescimento de 87% na receita publicitária. A empresa faturou 1,05 bilhão de dólares com anúncios neste trimestre.

Nos últimos meses, o Twitter tem focado na monetização da plataforma através de assinaturas. As mudanças ainda não foram implementadas, mas geram expectativa para os próximos trimestres de 2021.

A primeira novidade é a ferramenta chamada "Super Follow", que vai permitir que criadores de conteúdo rentabilizem suas audiências. A compra da startup de notícias Scroll, que permite que usuários assinem e leiam notícias de portais sem anúncios, e da plataforma de newsletter Revue, que oferece assinaturas de boletins, também promete coisas novas para o futuro da rede social.

No início de agosto, a empresa de Jack Dorsey irá desligar a ferramenta Fleets, stories do Twitter, após falta de popularidade entre usuários.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também