Floresta antiga com árvores de 40 metros é encontrada em "buraco" na China

Encontrada em um sumidouro na região de Guangxi, a floresta pode conter espécies desconhecidas de plantas e animais, dizem cientistas
 (The Guardian/Equipe de pesquisa de espeleologia de Guangxi 702/Reprodução)
(The Guardian/Equipe de pesquisa de espeleologia de Guangxi 702/Reprodução)
Por Laura PanciniPublicado em 20/05/2022 19:51 | Última atualização em 20/05/2022 19:52Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Exploradores de cavernas na região de Guangxi, no sul da China, descobriram um sumidouro (uma espécie de buraco gigante) que continha uma floresta antiga dentro.

Existem 30 sumidouros na área e este é o maior de todos: ele tem 306 metros de comprimento, 150 metros de largura e 192 metros de profundidade.

Além disso, a floresta conta com árvores de até 40 metros de altura e cientistas acreditam que lá pode conter espécies de plantas e animais não descobertas.

LEIA TAMBÉM: Paola Carosella deixa Netflix logado em hotel e leva surpresa de fã

Zhang Yuanhai, engenheiro sênior do Serviço Geológico da China, disse à agência de notícias estatal que o local tinha três cavernas e uma "floresta primitiva bem preservada" no fundo.

Os cientistas caminharam por horas para chegar à base do sumidouro. Chen Lixin, que liderou a equipe da expedição, disse que, além das árvores, havia uma vegetação no chão que chegava até seus ombros.

“Eu não ficaria surpreso em saber que existem espécies encontradas nessas cavernas que nunca foram relatadas ou descritas pela ciência até agora”, disse Lixin.

Foto de outro sumidouro na mesma região, descoberto em 2020

Foto de outro sumidouro na mesma região, descoberto em 2020 (Xinhua/Alamy/Reprodução)

A expedição foi concluída na noite de sexta-feira. Os membros da equipe desceram mais de 100 metros de rapel e caminharam várias horas para chegar ao fundo do sumidouro.

A paisagem cheia de sumidouros é conhecida como paisagem cárstica, formada principalmente pela dissolução do leito rochoso pelas águas subterrâneas, que causam desmoronamentos repetidos. Eles são encontrados principalmente na China, México e Papua Nova Guiné.

LEIA TAMBÉM: