Negócios

Shell anuncia saída de operações de petróleo e gás da Rússia

De imediato, a petrolífera britânica está interrompendo todas as compras à vista de petróleo bruto russo e não renovará mais contratos com o país

SHELL: a empresa arrematou o bloco Saturno em leilão do pré-sal realizado em 2018. / REUTERS/Marcos Brindicci (Marcos Brindicci/Reuters)

SHELL: a empresa arrematou o bloco Saturno em leilão do pré-sal realizado em 2018. / REUTERS/Marcos Brindicci (Marcos Brindicci/Reuters)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 8 de março de 2022 às 12h09.

Última atualização em 8 de março de 2022 às 12h18.

A Shell anunciou nesta terça-feira, 8, planos de gradualmente abandonar operações de petróleo e gás natural na Rússia, em resposta à invasão da Ucrânia por forças russas. De imediato, a petrolífera britânica está interrompendo todas as compras à vista de petróleo bruto russo e não renovará mais contratos com o país. Em comunicado, a empresa disse que fechará seus postos de serviços e encerrará as operações de combustíveis de aviação e lubrificantes na Rússia.

Além disso, a Shell irá alterar sua rede de fornecimento de petróleo de modo a retirar os volumes russos do produto o mais rápido possível. A petrolífera ressaltou, porém, que essa iniciativa pode demorar semanas, a depender da localização física e disponibilidade de alternativas.

A Shell disse também que abandonar os produtos russos de forma gradual será um desafio complexo e que mudar essa parte do sistema energético exigirá esforços coordenados de governos, fornecedores de energia e clientes.

A empresa também se desculpou por ter comprado uma carga de petróleo bruto russo na semana passada e prometeu destinar os lucros dos volumes russos restantes que ainda processará para um fundo voltado para aliviar a crise na Ucrânia.


LEIA MAIS

Acompanhe tudo sobre:CombustíveisIndústria do petróleoPetróleoShell

Mais de Negócios

Morre Paulo Fernando Fleury, um dos ícones da logística empresarial no país

Franquia de sucesso: como a Domino’s transformou um empréstimo de US$ 900 em um negócio bilionário

Sob nova gestão, iFood prepara investimentos em startups e mira verticais de mercado e de benefícios

Colaboração entre Dell e Microsoft facilita a vida de empresas na gestão do ambiente multicloud

Mais na Exame