Mundo

Assange será um 'homem livre' após audiência em tribunal americano, afirma esposa

Fundador do WikiLeaks, um dos maiores vazamentos de dados dos EUA, fez um acordo com a Justiça americana depois anos preso

Esposa de Julian Assange, Stella Assange (AFP/AFP)

Esposa de Julian Assange, Stella Assange (AFP/AFP)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 25 de junho de 2024 às 06h39.

Última atualização em 26 de junho de 2024 às 11h53.

O fundador do WikiLeaks, Julian Assange, ficará "livre" depois que a Justiça dos Estados Unidos aceitar o acordo histórico de culpa alcançado entre o australiano e as autoridades americanas, afirmou nesta terça-feira sua esposa, Stella, à BBC.

"Existe um princípio de acordo entre Julian e o Departamento de Justiça do país, que deve ser ratificado por um juiz das Ilhas Marianas", território americano no Pacífico, declarou Stella Assange.

O australiano, de 52 anos, "será um homem livre depois que o acordo for ratificado pelo juiz", o que acontecerá na quarta-feira, 26, acrescentou a esposa do fundador do WikiLeaks.

Stella Assange destacou que o acordo determina que seu marido se declare culpado de uma única acusação.

"A acusação diz respeito a atos de espionagem e obtenção e divulgação de informações sobre a defesa nacional", disse.

"Estou exultante. Francamente, é simplesmente incrível", afirmou, da Austrália, à rádio BBC.

Julian Assange alcançou um acordo com a Justiça dos Estados Unidos para se declarar culpado em troca da liberdade, depois de passar cinco anos preso no Reino Unido, segundo documentos judiciais publicados na segunda-feira.

O australiano deixou a penitenciária de Belmarsh, em Londres, e embarcou em um voo no aeroporto de Stansted.

"Não tínhamos certeza até as últimas 24 horas de que isto realmente estava acontecendo", afirmou Stella Assange à BBC.

"O importante aqui é que o acordo envolve um tempo de prisão cumprido que, se ele assinasse, poderia sair livre", explicou.

Perseguido pelas autoridades americanas por ter divulgado centenas de milhares de documentos confidenciais, o australiano deve comparecer a um tribunal federal na quarta-feira às 9H00 (20h00 de Brasília, terça-feira) nas Ilhas Marianas.

Stella Assange disse à BBC que o fim do processo legal que durou anos, quando seu marido embarcou em um avião de Londres para Bangcoc na segunda-feira, foi um "turbilhão de emoções".

"A prioridade agora é que Julian recupere sua saúde", declarou Stella Assange, com quem o fundador do WikiLeaks tem dois filhos.

"Ele está em péssimo estado há cinco anos e deseja ter contato com a natureza. É isso que ambos queremos agora, ter tempo e privacidade, e simplesmente começar este novo capítulo", concluiu a advogada de 40 anos, que nasceu na África do Sul.

Acompanhe tudo sobre:Julian AssangeWikiLeaksEstados Unidos (EUA)Londres

Mais de Mundo

Rivais desistem, e Kamala Harris tem caminho livre para garantir candidatura presidencial

Kamala Harris será candidata? Veja as 3 questões que vão definir isso

Eleições Venezuela: cinco pontos importantes para entender o contexto econômico e político do país

Eleições da Venezuela acontecem no domingo, em meio a ameaças e esperança de mudança

Mais na Exame