Mundo

Tribunal em Londres autoriza Assange a apresentar recurso contra extradição para os EUA

O fundador do WikiLeaks está preso na Inglaterra desde 2019

Assange vazou materiais com operações secretas dos EUA no Iraque e Afeganistão (Jack Taylor/Getty Images)

Assange vazou materiais com operações secretas dos EUA no Iraque e Afeganistão (Jack Taylor/Getty Images)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 20 de maio de 2024 às 10h32.

O Tribunal Superior de Justiça de Londres autorizou nesta segunda-feira que o fundador do WikiLeaks, Julian Assange, apresente recurso contra o pedido de extradição para os Estados Unidos.

Assange pode ser condenado a 175 anos de prisão caso seja enviado ao país, do qual é cidadão. A Justiça dos EUA quer julgá-lo por vazar 700 mil documentos confidenciais desde 2010 sobre as atividades militares e diplomáticas americanas, sobretudo no Iraque e Afeganistão.

A decisão desta segunda, considerada uma vitória para o hacker, acontece semanas após juízes britânicos pedirem mais informações ao governo norte-americano sobre o caso.

Vazamentos

Um dos principais materiais vazados por Assange era um vídeo que mostrava soldados norte-americanos executando 18 civis de um helicóptero no Iraque. Outros vídeos também mostravam assassinatos de civis e abusos cometidos por autoridades dos EUA e de outros países.

Oficiais norte-americanos disseram os "vazamentos colocavam em risco a vida de pessoas que cooperavam com os militares no Oriente Médio".

Em 2019, o Departamento de Justiça dos EUA descreveu os vazamentos do WikiLeaks como "um dos maiores vazamentos de informações confidenciais na história dos EUA".

O fundador do WikiLeaks está preso Inglaterra desde 2019 após de passar sete anos confinado na embaixada do Equador em Londres, onde buscou refúgio para evitar a extradição por acusações de agressão sexual na Suécia. Essas últimas acusações já foram retiradas.

Acompanhe tudo sobre:Julian AssangeWikiLeaks

Mais de Mundo

Coreia do Sul retoma propaganda com alto-falantes após receber mais balões com lixo do Norte

Direita tem resultado histórico na Europa, mas partidos de centro devem manter maioria no parlamento

Ministro da Guerra de Israel renuncia por falta de plano para fim do conflito em Gaza

Ultradireita avança na Bélgica, mas sem destronar conservadores nas eleições nacionais e regionais

Mais na Exame