Casual

Os melhores lançamentos de relojoaria no ano

Confira a seleção dos melhores lançamentos de oito marcas apresentados no Watches and Wonders, em Genebra

Salão Watches Wonders. (Watches & Wonders/Divulgação)

Salão Watches Wonders. (Watches & Wonders/Divulgação)

Ivan Padilla
Ivan Padilla

Editor de Casual e Especiais

Publicado em 31 de maio de 2024 às 06h28.

Tudo sobreRelógios
Saiba mais

Montblanc apresenta relógios para esportes extremos

“Quando eu cheguei à marca, três anos atrás, quis ir aos glaciares do Mont Blanc, tirei fotos, disse que isso deveria ser o mostrador de um relógio. Por quê? Porque isso é parte da nossa história.”

Laurent Lecamp, diretor de relógios da Montblanc

Montblanc: os modelos esportivos têm ganhado tanto peso quanto os clássicos (Montblanc/Divulgação)

A Montblanc, conhecida por sua elegância em instrumentos de escrita e acessórios de couro, expandiu para gadgets e relógios. Modelos esportivos, como a família 1858 inspirada no alpinismo, ganharam destaque, assim como o sucesso da linha Iced Sea em 2022, evidenciando essa ampliação.

1. Montblanc 1858 Geosphere 0 Oxygen CARBO2

Os relógios da coleção Montblanc 1858 têm origem nos cronógrafos para montanhismo Minerva das décadas de 1920 e 1930. Agora vêm com a inovação do zero oxigênio. A caixa de 43,5 milímetros em titânio e CARBO2 vem com um contorno gravado do Mont Blanc na lateral. Com movimento automático MB 29.25, com complicação do horário mundial e reserva de marcha de 42 horas. A peça também exibe uma indicação de dia e noite, uma escala de 24 horas, exibição de hora dupla e data. Limitado a 1.969 peças. Preço: sob consulta.


2. Montblanc Iced Sea -  0 Oxygen Deep 4810

O relógio resiste a 4.810 metros de profundidade. O número está conectado à história da marca e dá nome a uma série de produtos, por uma razão simples: essa é a altura do Mont Blanc. Neste modelo, o número inverte a altura da montanha para fazer a conexão do mundo do alpinismo às profundezas dos glaciares. Com tecnologia que elimina o oxigênio dentro da caixa de titânio de 43 milímetros. Movimento próprio automático com certificação COSC e cinco dias de reserva de marcha. Preço: sob consulta.


3. 1858 Unveiled Minerva Monopusher Chronograph

A nova edição vem limitada a 100 peças e é um tributo à manufatura Minerva, adquirida pela Mont­blanc. Esse cronógrafo monopusher traz cinco aberturas na lateral da caixa, permitindo efeitos de jogos de luz no novo movimento de corda com acabamento manual, com reserva de marcha de 50 horas. Caixa de 43 milímetros de aço inoxidável e bisel canelado de ouro branco. Com pulseira de couro azul sfumato. Preço: sob consulta.


Cartier apresenta novas versões de seus relógios históricos

“Para a Cartier, beleza é essencial. Mas é uma cultura nossa, estamos cientes de que temos nossa própria noção de beleza. É o nosso ponto de vista sobre o que torna um objeto bonito. Nosso trabalho diário é brincar com formas, criar formas, projetá-las.”

Pierre Raneiro, diretor de imagem e herança da Cartier


Cartier: a cada ano a marca acaba lançando versões de seus relógios históricos (Cartier/Divulgação)

A Cartier, parte do grupo Richemont, tem uma história rica, destacando-se por modelos icônicos como o Santos, Tonneau e Tank, alguns dos mais antigos ainda em produção. A marca regularmente lança novas versões de seus relógios históricos, reconhecendo sua relevância e legado duradouro.

1. Tortue Monopoussoir Chronograph

O relógio Tortue nasceu em 1912 de uma visão criativa poderosa, ou seja, criar um diálogo entre curvas e linhas tensas. A nova versão é fiel ao design original, com pequenas mudanças. É um relógio delicado, com 34,8 milímetros de largura, 43,7 de comprimento e apenas 10,2 de espessura. Faz parte da Collection Privée Cartier Paris, de edição limitada, com 200 peças de ouro e 200 peças de platina. O movimento 1928 MC traz uma reserva de marcha de 44 horas. Preço: sob consulta.


2. Santos-Dumont Rewind

Esta versão do mais tradicional modelo da Cartier tem uma forma particular de funcionar. Um olhar mais atento vai perceber que os marcadores de horas em numeração romana estão invertidos e continuam no sentido anti-horário. Sim, o relógio funciona ao contrário, graças ao movimento mecânico manual de corda reversa, 230 MC. Elegante, o relógio mede 31,5 por 43,5 milímetros e espessura de apenas 7,3 milímetros. Em edição limitada a 200 peças. Preço: 260.000 reais.


3. Reflection de Cartier

Forma e função se misturam na Cartier. O novo Reflection de Cartier brinca com as silhuetas. A pulseira aberta combina detalhes vazados e ouro polido com linhas alongadas e bordas definidas, além de muitas gemas preciosas. Disponível em ouro amarelo, ouro rosa e em três opções de ouro branco com gema, o relógio vem com movimento a quartzo e fica oculto na abertura do punho. Diâmetro de 18,4 x 17,5 milímetros e espessura de 8,9 milímetros. Preço: sob consulta.


Rolex: lançamentos inovadores e liderança no mercado de relógios de luxo

Rolex: em 2024, as apostas foram mais seguras, com releituras de modelos consagrados. (Rolex/Divulgação)

A Rolex lidera o mercado de relógios de luxo. Em 2023, alcançou receita recorde de U$ 11,4 bilhões com lançamentos inovadores. Em 2024, concentrou-se em releituras seguras de modelos clássicos, mantendo sua abordagem de evolução gradual, privilegiando a evolução sobre a revolução.

1. Oyster Perpetual - Rolex Deepsea

Este é o relógio mais pesado até hoje produzido pela Rolex, com cerca de 325 gramas. O motivo é o material usado. Trata-se do primeiro relógio Rolex de ouro amarelo 18 quilates destinado ao mergulho em profundidade. O fundo da caixa é de titânio RLX, para aguentar 3.900 metros debaixo da água. A caixa mede 44 milímetros. O anel de compressão é fabricado em cerâmica azul. A válvula de hélio na lateral também de titânio é acionada durante o processo de descompressão. O calibre 3235 tem reserva de marcha de 70 horas. Preço: 383.500 reais


2. Oyster Perpetual - Day-Date

Duas novas modalidades do Oyster Perpetual Day-Date 40 estão agora disponíveis. A primeira, de ouro ­Everose 18 quilates, inaugura um mostrador ardósia ombré. A segunda modalidade, produzida em ouro branco 18 quilates, exibe um mostrador de nácar branco perolado. Também o Oyster Perpetual Day-Date 36 possui duas novas modalidades. A primeira, de ouro amarelo 18 quilates, apresenta um mostrador laqueado branco adornado com algarismos romanos. A segunda, de ouro Everose 18 quilates, vem com um mostrador azul-esverdeado. Preço: a partir de 258.000 reais (36 milímetros) e 305.500 ­reais (40 milímetros)


3. Oyster Perpetual - GMT-Master II

Pela primeira vez o Oyster Perpetual GMT-Master II de aço ­Oystersteel vem com disco de luneta Cerachrom de cerâmica cinza e preta. Segundo a marca, o sutil contraste de cores expressa a alternância entre os períodos diurno e noturno com sobriedade. O novo modelo vem com duas opções de pulseira, Oyster e Jubilee. Sobre o mostrador laqueado preto, a menção “GMT-Master II” se destaca pela cor verde, que se repete sobre o ponteiro 24 horas. Caixa de 40 milímetros. O movimento é o 3285, com reserva de marcha de 70 horas e certificação COSC. Preço: a partir de 80.500 reais

Tudor: irmã mais nova da Rolex surpreende com modelos sofisticados

Tudor: lançamento de modelos mais sofisticados e com identidade própria (Tudor/Divulgação)

A Tudor se destaca anualmente, se diferenciando da Rolex e expandindo seu portfólio com modelos sofisticados, criando uma identidade própria. Surpreendeu ao lançar um modelo totalmente em ouro amarelo, demonstrando sua evolução surpreendente.

1. Black Bay 58 GMT

O novo modelo com função GMT vem em caixa versátil de 39 milímetros e luneta bidirecional graduada de 24 horas. O nome Black Bay 58 é uma alusão ao ano de 1958, quando foi lançado o primeiro relógio de mergulho Tudor resistente a 200 metros. Calibre de manufatura com certificação COSC, com reserva de marcha de 65 horas e Certificação Master Chronometer do METAS. Com bracelete de aço inoxidável e outro de borracha, ambos com o fecho Tudor “T-fit” de ajuste rápido. Preço: a partir de 29.500 reais


2. Black Bay 58 18K

Pela primeira vez um relógio da marca é feito inteiramente de ouro amarelo de 18 quilates. O lançamento vem com fundo de caixa aberto e calibre de manufatura, com bracelete de ouro maciço e fecho “T-fit”. A caixa tem 39 milímetros, com mostrador côncavo em tom verde-dourado mate e ponteiros snowflake também de ouro amarelo de 18 quilates. O calibre de manufatura tem certificação COSC (do Official Swiss Chronometer Testing Institute) e reserva de marcha de 70 horas. Preço: 215.500 reais


3. Clair de Rose

A Tudor revisita a feminina linha Clair de Rose, de inspiração art déco, com a adição de novos mostradores de cor azul. O nome faz referência ao clair de lune (“luar”, na tradução do francês) e ao logotipo histórico da marca, a rosa. Disponíveis exclusivamente em aço inoxidável, em três tamanhos, 26, 30 e 34 milímetros, com mostradores opalinos. O calibre de corda automática tem reserva de marcha de 38 horas. Com bracelete com cinco elos de aço inoxidável “grão de arroz”. Preço: a partir de 16.950 reais


Joalheria e recordes: os novos modelos de relógios da Bvlgari

“O Octo Finissimo é um vasto playground de inovação e design. Esta é a nona ocasião em que nossos engenheiros, relojoeiros e designers desafiam as leis da física para oferecer relógios complexos de finura incomparável.”

Antoine Pin, diretor de relógios da Bvlgari


Bvlgari: padrão curioso na alta relojoaria, com recordes seguidos de relógio de menor espessura (Bvlgari/Divulgação)

A marca de origem romana estabeleceu um padrão curioso na alta relojoaria, com recordes seguidos de relógio de menor espessura. Para o público feminino, suas criações se mesclam com o conceito de joalheria, abrindo espaço para colaborações com artistas consagrados.

1. Octo Finissimo Ultra COSC

Nunca antes um relógio mecânico resistente a choques e campos magnéticos foi produzido com uma espessura tão fina. O novo diâmetro de referência agora é de 1,7 milímetro, nono recorde mundial da marca, agora com cronômetro COSC. O calibre de manufatura de corda manual tem 50 horas de reserva de marcha. Para manter a rigidez da peça, o fundo da caixa foi feito de carboneto de tungstênio, material particularmente denso. Em série limitada a 20 peças. Preço: sob consulta


2. Octo Roma Automatic Steel DC

A Bvlgari apresenta duas novas versões à coleção Octo Roma, um modelo de três ponteiros e um cronógrafo, ambos de aço DLC 100% preto. O Octo Roma Automatic Steel DLC tem função de data. Vem com duas pulseiras alternáveis, movimento automático interno com reserva de marcha de 42 horas e coroa rosqueada com inserção de cerâmica para resistência à água de 100 metros. A caixa é de 41 milímetros.

Preço: sob consulta


3. Tadao Ando x Bvlgari Serpenti

Tadao Ando e Bvlgari já colaboraram no passado, mas é a primeira vez que trabalham a coleção Serpenti. O Serpenti Tubogas é ao mesmo tempo uma joia-relógio e um relógio-joia. São quatro edições limitadas, cada uma evocando uma estação do ano, com marchetaria colorida ­— de aventurina verde, olho de tigre e madrepérola rosa ou branca. Com movimento a quartzo e caixa curva de 35 milímetros. O fundo de caixa vem com a gravação “Tadao Ando Limited Edition”.  Preço: sob consulta


O reposicionamento da TAG Heuer com edições limitadas

“A TAG Heuer sempre esteve comprometida em ultrapassar os limites da cronometragem. Com o cronógrafo Monaco Split-Seconds, estamos abraçando nossa rica herança e também redefinindo o futuro da alta relojoaria d’Avant-Garde.”

Julien Tornare, CEO da TAG Heuer


TAG Heuer: sem deixar de lado sua herança ligada ao universo automotivo, a marca vem apresentando relógios cada vez mais sofisticados (TAG Heuer/Divulgação)

A TAG Heuer vem passando por um reposicionamento bastante claro e consistente nos anos mais recentes. Sem deixar de lado sua herança ligada ao universo automotivo, a marca vem apresentando relógios cada vez mais sofisticados, com pedras preciosas, complicações engenhosas, em edições limitadas.

1. Carrera Skipper

No ano passado a marca ensaiou um retorno ao mundo do iatismo com o lançamento do cronógrafo Carrera Skipper de aço. Agora anuncia uma nova versão do relógio com uma caixa feita de 18K ouro rosa 5N, com cristal em ­glassbox. É alimentado pelo ­Heuer 02 calibre in-house, com 80 horas de reserva de marcha, em caixa de 39 milímetros com fundo transparente. Vem com pulseira de tecido azul presa por uma fivela também feita de ouro rosa. Preço: 143.360 reais


2. Carrera Chronograph

Lançado em 1963, o TAG Heuer Carrera virou o cronógrafo de pulso de inspiração automobilística por excelência. O modelo de agora tem os submostradores pretos azul-celeste às 3 e 9 horas em contraste com o mostrador prateado escovado. Com design glassbox, caixa de aço de 39 milímetros, movimento cronógrafo interno Heuer 02 com reserva de marcha de 80 horas. Pela primeira vez a pulseira de aço foi redesenhada na coleção Carrera.


3. Monaco Split-Seconds

O cronógrafo quadrado mais famoso do mundo vem com a função fração de segundo, também chamada de “rattrapante”, um mecanismo com dois ponteiros de segundos que marcam tempos com o mesmo início e durações diferentes. De titânio grau 5, pesa apenas 85 gramas. O calibre cronógrafo mecânico split-seconds TH81-00, também de titânio, tem reserva de marcha de 65 horas. A caixa tem 41 milímetros e a pulseira é de couro de bezerro, azul ou vermelha. Preço: sob consulta


Dress watches: IWC apresenta três modelos do Portugieser

“Ao pesquisar um novo material, precisamos oferecer um benefício concreto ao cliente. É a prioridade número 1. Pode ser melhor resistência ao choque, pode ser melhor resistência ao desgaste, pode ser um material mais leve.”

Lorenz Brunner, head de pesquisa e inovação da IWC


A linha clássica Portugieser é a aposta do ano da IWC. E com um pé na ciência. (IWC/Divulgação)

A IWC tem a imagem associada aos robustos relógios da linha Pilot, com inspiração no mundo da aviação. Mas a manufatura sediada em Schaffhausen, na Suíça, também consegue fazer com muita elegância a transição para os chamados dress watches, os relógios para uso mais formal.

1. Portugieser Automatic

A IWC apresenta novos modelos Portugieser automáticos nos tamanhos 40 e 42 milímetros, com uma caixa mais esguia. As cores do ano de toda a coleção são horizon blue (azul), obsidian (preto) e dune (areia).

O Portugieser Automatic de 42 milímetros vem em seis variações, com caixas de ouro branco, amarelo e aço inoxidável, alimentadas por calibre próprio com reserva de sete dias (168 horas). Já o Portugieser 40 milímetros chega em duas versões, ouro branco e ouro amarelo, com calibre próprio com reserva de 60 horas. Preço: 76.500 reais


2. Portugieser Hand-Wound Tourbillon Day & Night

O Portugieser de corda manual combina uma caixa de ouro 18 quilates com um mostrador laqueado em obsidian e ponteiros banhados a ouro e apliques dourados. O turbilhão ajuda a anular o efeito da gravidade no movimento.

Outro destaque é o indicador de dia e noite. O calibre de corda manual 81925, fabricado pela IWC e com componentes banhados a ouro, pode ser admirado através do vidro de safira na parte de trás da caixa. Preço: 449.600 reais


3. Portugieser Eternal Calendar

Com base na expertise desde a introdução do calendário perpétuo, há quase quatro décadas, a IWC agora ultrapassa limites com seu primeiro calendário perpétuo secular, que reconhece os anos bissextos ­— e também as complexas regras de exceção do ano bissexto.

Outro recurso-chave deste relógio é a exibição extremamente precisa da fase da Lua. Graças a uma redução de engrenagens recém-desenvolvida, a exibição da fase da Lua só se desviará da órbita lunar em um dia após 45 milhões de anos. Com caixa de platina de 44,4 milímetros e calibre próprio com reserva de marcha de sete dias.  Preço: sob consulta


Panerai faz tributo aos esportes náuticos

“O relógio é um emblema de estilo e a marca registrada de um perfil clássico, um acessório essencial para o homem de hoje, servindo tanto como uma peça funcional quanto como uma declaração de moda atemporal.”

Jean-Marc Pontroué, CEO da Panerai


A linha Submersible, a mais recente da Panerai, lançada em 1998, já é um clássico, ao lado das tradicionais Radiomir e Luminor. E a parceria com a equipe de vela Luna Rossa Prada Pirelli, da America’s Cup, que começou em 2019, só cresce. As novidades do ano prestam tributo ao esporte náutico.

1. Submersible Tourbillon GMT Luna Rossa “Experience Edition”

Este turbilhão, complicação que reduz os efeitos da gravidade na precisão, é limitado a apenas 20 peças. O relógio será apresentado em julho de 2024. Os proprietários do relógio serão convidados a participar de uma experiência durante a America’s Cup, em Barcelona, com acesso à equipe do Luna Rossa ­Prada Pirelli. A caixa de ­Carbotech é de 45 milímetros, com calibre próprio manual e reserva de energia de quatro dias e função GMT 24 horas. Preço: sob consulta


2. Submersible QuarantaQuattro Luna Rossa Ti-Ceramitech

Esta versão da parceria com a America’s traz um material inovador, o Ti-Ceramitech, em um processo que transforma a superfície da liga de titânio em uma densa camada de cerâmica, muito leve e muito resistente. Com caixa de 44 milímetros, calibre automático com reserva de energia de três dias, resistente à água até 500 metros, com uma pulseira bimaterial e outra de borracha. Também será apresentado em julho. Preço: 101.800 reais


3. Submersible GMT Luna Rossa Titânio

O relógio é pioneiro ao apresentar o novo SuperLumiNova® X2 nos índices e no ponteiro das horas, que garante uma luminosidade 10% superior à do seu antecessor. Com caixa de 42 milímetros de titânio grau 5 e notável leveza e resistência, é resistente à água a até 500 metros. Com movimento automático com reserva de energia de três dias. O ponteiro GMT é inspirado nas velas da equipe Luna ­Rossa. Preço: 75.300 reais

*Por Ivan Padilla, de Genebra

Acompanhe tudo sobre:RelógiosMontblancPaneraiIWC SchaffhausenBulgariRolexCartier

Mais de Casual

Não é só elétrico: Audi aposta em carros híbridos e a combustão no Brasil

Tramontina aposta em presentes personalizados para o Dia dos Pais

Elementos da natureza inspiram nova coleção da Pandora. Confira

Quanto custa comer nos dois restaurantes brasileiros entre os 50 Melhores do Mundo

Mais na Exame