Casual

Leve, resistente a arranhões e luminescente: IWC apresenta o Ceralume

O efeito de brilho é obtido pela adição de pigmentos Super-LumiNova de alta qualidade às matérias-primas cerâmicas

A IWC Schaffhausen desenvolveu uma tecnologia própria de cerâmica luminosa chamada Ceralume (IWC/Divulgação)

A IWC Schaffhausen desenvolveu uma tecnologia própria de cerâmica luminosa chamada Ceralume (IWC/Divulgação)

Júlia Storch
Júlia Storch

Repórter de Casual

Publicado em 3 de junho de 2024 às 10h42.

Ao longo de quase quatro décadas, a IWC Schaffhausen adquiriu ampla experiência na engenharia de relógios de cerâmica, material leve, extremamente duro e altamente resistente a arranhões. Em 1986, a fabricante suíça de relógios de luxo lançava, então, o primeiro relógio de pulso do mundo com caixa de cerâmica preta de óxido de zircônio.

Desde então, as principais inovações em cerâmica da IWC incluíram caixas de relógios feitas de cerâmica de nitreto de silício marrom e caixas pretas cerâmica de carboneto de boro, uma das substâncias mais duras conhecidas.

Depois de apresentar uma gama de modelos TOP GUN em cerâmica colorida marcante, a IWC agora ultrapassa os limites com a criação do Ceralume.

Essa cerâmica luminescente é produzida usando um processo de fabricação altamente engenhoso e com patente ainda pendente desenvolvida pela IWC Schaffhausen.

“Com os primeiros anéis da caixa de cerâmica totalmente luminosos, destacamos nosso papel como pioneiros e inovadores em relógios de cerâmica. O desenvolvimento do Ceralume levou vários anos. Os principais desafios que enfrentamos foram produzir caixas de relógios com a máxima homogeneidade e cumprindo os nossos rigorosos padrões de qualidade. Para atingir esses objetivos, projetamos um novo processo de fabricação inovador – adaptado à combinação única de pós cerâmicos e pigmentos Super-LumiNova”, diz Dr. Lorenz Brunner, Gerente do Departamento de Pesquisa e Inovação da IWC Schaffhausen.

O efeito de brilho é obtido pela adição de pigmentos Super-LumiNova de alta qualidade às matérias-primas cerâmicas. Projetado pela empresa suíça de tecnologia RC Tritec, o Super-LumiNova é um composto cerâmico de alta tecnologia que se comporta como uma bateria leve.

O material absorve a energia luminosa da luz solar ou artificial, armazenando-a temporariamente e, depois, emitindo a energia absorvida como luz visível. Esse ciclo pode ser repetido um número infinito de vezes sem nunca provocar o envelhecimento do material ou diminuir a sua capacidade de armazenamento de luz. Em testes em câmara escura, as caixas dos relógios Ceralume emitiram uma luz azulada brilhante por mais de 24 horas.

Ceralume é feito em um processo altamente engenhoso

A cerâmica branca convencional é feita misturando óxido de zircônio com outros óxidos metálicos. Esses pós são moldados em um chamado “corpo verde”, usinados próximo à geometria final da caixa e depois sinterizados em altas temperaturas em um forno. Para que a cerâmica branca brilhe no escuro, pigmentos Super-LumiNova são adicionados à mistura de matérias-primas.

Um dos principais desafios no desenvolvimento do Ceralume foi conseguir uma mistura perfeitamente homogênea de matérias-primas, apesar dos diferentes tamanhos de partículas, e evitando o acúmulo de partículas. Para conseguir isso, os engenheiros da IWC recorreram a um processo dedicado de moagem em moinho de bolas, que teve de ser personalizado de acordo com as matérias-primas utilizadas. Além disso, os parâmetros do processo de sinterização e retificação do corpo cerâmico sinterizado também precisaram ser adaptados especificamente à cerâmica luminosa.

Acompanhe tudo sobre:RelógiosIWC Schaffhausen

Mais de Casual

Relógio ou lanterna? Panerai apresenta o revolucionário Submersible Elux LAB-ID

Festival de Tapas: 25 restaurantes participam do evento em São Paulo

Os 5 melhores filmes e séries para maratonar no fim de semana

Navio é encontrado 62 anos depois do seu naufrágio no Canadá

Mais na Exame