Problemas com biometria causam filas em diversos locais de votação

Eleitores sem biometria cadastrada podem votar apenas apresentando o documento
Mulher se prepara para votar em São Paulo (MIGUEL SCHINCARIOL/AFP)
Mulher se prepara para votar em São Paulo (MIGUEL SCHINCARIOL/AFP)
E
Estadão Conteúdo

Publicado em 02/10/2022 às 12:39.

Última atualização em 02/10/2022 às 13:06.

Eleitores de diversas cidades têm relatado a ocorrência de filas nas seções eleitorais. A demora tem sido atribuída à coleta de dados da biometria, que ainda não é obrigatória em todos os municípios. Em Campinas, na Escola Estadual Coronel Firmino, a lentidão provocou espera de várias horas entre os eleitores. Na capital paulista, eleitores de bairros como Indianópolis, Higienópolis e Santa Cecília reclamaram do tempo de espera, mas em menor grau. O problema também tem sido visto em outros Estados.

Eleitores que não têm a biometria cadastrada podem votar apenas apresentando um documento, mas mesários têm solicitado a coleta da digital mesmo para quem não possui registro anterior, o que tem deixado alguns eleitores confusos e aumentado a espera nas seções eleitorais.

No Rio de Janeiro, o Tribunal Regional Eleitoral do Estado explicou que conduz uma validação de dados biométricos. A ideia é aproveitar a concentração de pessoas para validar digitais de cerca de 1,8 milhão de eleitores fluminenses. A ideia é cruzar esses dados com as informações de outros serviços oficiais, como o Detran.

"A ideia é que todos os dados validados sejam incorporados a seguir no cadastro eleitoral", disse o juiz auxiliar da Vice-presidência e Corregedoria do TRE-RJ, Rudi Baldi. A validação pode aumentar um pouco o tempo de mobilização do eleitor na seção de votação - por essa razão, o TRE já esperava filas um pouco mais longas neste domingo.

No entanto, o tribunal calculou um tempo médio de dez segundos para o procedimento, que inclui até quatro tentativas de validação dos dados biométricos por pessoa. "Na verdade essa é uma providência nacional. Ela alcança todos os Estados, todos os municípios", explicou Baldi.

O TRE explicou ainda que quem não tiver já coletado nem validado os dados biométricos durante a eleição, terá oportunidade de fazê-lo junto à Justiça Eleitoral depois de encerrado o pleito deste ano.

A demora ocorre porque têm sido necessárias diversas tentativas de cadastro até que os dados sejam reconhecidos pelo sistema. Procurados, o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE), e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ainda não se pronunciaram sobre as ocorrências, e se estão ou não relacionadas à demora na identificação de digitais.

Leia tudo sobre como votar
Leia tudo sobre as eleições 2022