Pesquisa governo do RJ: Castro lidera, com 35%, e Freixo tem 27%, mostra EXAME/IDEIA

EXAME/IDEIA ouviu 1.000 pessoas do estado do Rio de Janeiro entre os dias 16 e 21 de setembro. O nível de confiança é de 95%
Castro e Freixo: atual governador lidera disputa ao governo do Rio de Janeiro. (Divulgação/Flickr)
Castro e Freixo: atual governador lidera disputa ao governo do Rio de Janeiro. (Divulgação/Flickr)
G
Gilson Garrett Jr

Publicado em 22/09/2022 às 00:01.

Última atualização em 22/09/2022 às 20:20.

O atual governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PL), lidera a disputa ao Palácio Guanabara, com 35% das intenções de voto no primeiro turno. Marcelo Freixo (PSB) vem logo depois, com 27%. Rodrigo Neves (PDT) está em terceiro, com 7%. Os números são de uma pergunta estimulada e fazem parte da pesquisa EXAME/IDEIA, divulgada nesta quinta-feira, 22.

Ainda em uma simulação de primeiro turno, estão empatados tecnicamente, dentro da margem de erro da pesquisa, Paulo Ganime (Novo) e Cyro Garcia (PSTU), com 3%. Juliete Pantoja (UP) e Eduardo Serra (PCB) ficaram com 1% cada. Brancos e nulos somam 8%, e os que não sabem são 15%.

EXAME/IDEIA ouviu 1.000 pessoas do estado do Rio de Janeiro entre os dias 16 e 21 de setembro. As entrevistas foram feitas por telefone, com ligações tanto para fixos residenciais quanto para celulares. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos, com nível de confiança de 95%.

A sondagem foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número  RJ-02658/2022. A EXAME/IDEIA é um projeto que une EXAME e o IDEIA, instituto de pesquisa especializado em opinião pública. Confira o relatório completo.

(Arte/Exame)

“Claudio Castro segue como favorito. O governador tem avaliação de 36% de ótimo e bom e uma margem larga de regular, na casa também dos 35%, contra 24% de ruim e péssimo, o que facilita sua campanha à reeleição. Os desafios dele são o crescimento de Marcelo Freixo, agora com 27%, mas principalmente os escândalos que pipocam no seu entorno, com denúncias e prisões de assessores. Já a barreira para Freixo é a sua rejeição, hoje na faixa de um terço do eleitorado, a maior entre os candidatos”, avalia Cila Schulman, vice-presidente do instituto de pesquisa IDEIA.

Em relação à última sondagem EXAME/IDEIA para o governo do Rio de Janeiro, feita em junho, Castro se distanciou de Freixo e conseguiu abrir oito pontos de vantagem. Vale destacar que não é possível fazer uma comparação exata com a pesquisa anterior porque as candidaturas ainda não tinham sido definidas e os nomes testados mudaram ao longo do tempo.

O atual governador tem uma distância maior sobre Freixo entre os homens (38% a 25%). No público feminino, o candidato à reeleição aparece na frente, mas no limite da margem de erro, com 33% a 28%. Castro se sai melhor na população com idade entre 45 anos a 59 anos (43% das intenções de voto). Já Freixo tem vantagem na população de 35 a 44 anos, com 36%. Por classe, Castro lidera todos os recortes, sendo o maior nas classes A e B, com 42%.

Em uma pergunta espontânea, sem que o eleitor receba uma lista com os nomes dos candidatos, o atual governador tem 20% das intenções de voto, e Freixo aparece com 15%. O cenário é considerado empate técnico, dentro da margem de erro de três pontos. Logo depois dos dois aparece Neves, com 2%. Os demais citados pontuaram 1% ou ficaram abaixo abaixo disso. Os que não sabem somam 44%.

LEIA TAMBÉM: Eleições 2022: em busca da classe C do Sudeste

Segundo turno

EXAME/IDEIA fez três cenários de segundo turno. Castro e Freixo estão tecnicamente empatados, dentro do limite da margem de erro. O atual governador aparece com 42%, e Freixo tem 37%. Em uma disputa com Neves, o candidato à reeleição Cláudio Castro aparece na frente, com 44% a 31%. Em uma simulação de Freixo contra Neves, os dois estão empatados, com vantagem para o candidato do PDT: 38% a 35%.

(Arte/Exame)

41% de indecisos

Entre os eleitores fluminenses, 59% dizem que já definiram o voto para governador. Os que podem mudar de candidato até o dia 2 de outubro são 28%, e aqueles que não sabem em quem votar somam 13%. Por idade, os mais jovens - de 16 a 24 anos - são os que menos têm o voto definido (55%). Olhando para a faixa de renda, pouco mais da metade dos que ganham acima de 5 salários - 55% - já definiram um número para apertar na urna eletrônica.

Rejeição

Na batalha de rejeições, Marcelo Freixo aparece em primeiro lugar, com 32% das citações. Cyro Garcia tem 27%, Castro, 23%, Eduardo Serra, 22%, e Rodrigo Neves 21%. Nesta pergunta, os eleitores podem citar mais de um candidato.

A maior rejeição à Freixo está na faixa etária de pessoas com mais de 45 anos, com 40%. Já em relação a Castro, a maior parcela da população que não votaria de jeito nenhum no atual governador é de mais jovens, entre 16 e 24 anos, com 29% das pessoas rejeitando o candidato à reeleição.

LEIA TAMBÉM: Voto útil existe? Por que só FHC levou no primeiro turno — e o que pode acontecer agora?

Senado

O senador Romário (PL) segue liderando a corrida pela reeleição ao Senado no estado do Rio de Janeiro, segundo nova pesquisa EXAME/IDEIA divulgada nesta quinta-feira, 22. O ex-jogador tem 33% das intenções de voto, à frente de Alessandro Molon (PSB), com 19%. Em terceiro vem Cabo Daciolo (PDT), com 10%.

(Arte/Exame)

“Romário, o candidato à reeleição, é o favorito quando o eleitor é estimulado com a lista de concorrentes, com 33%. O eleitorado de Romário vota alinhado com quem vota em Bolsonaro para presidente. Já os votos dos eleitores de Lula se dividem entre Alessandro Molon, com 19%, e André Feliciano, que tem 8%, dois pontos atrás do Cabo Daciolo, com 10%”, explica Cila Schulman.

Com exceção dos cinco primeiros, os demais candidatos tiveram 1% ou menos das intenções de voto cada. Não sabem/não responderam ou brancos e nulos somam, juntos, quase 20% dos votos.

Veja como foram as últimas pesquisas eleitorais de 2022: