Governo de SP deve anunciar lockdown à noite em todo o estado

O objetivo é reduzir as internações, que atingiram o maior número desde o início da pandemia. Nova regra será anunciada nesta quarta e começa a valer na sexta

Esta reportagem faz parte da newsletter EXAME Desperta. Assine gratuitamente e receba todas as manhãs um resumo dos assuntos que serão notícia

O governo de São Paulo planeja adotar um lockdown em todo o estado, com o fechamento de todo o comércio, das 22h até as 5h. A decisão sai na manhã desta quarta-feira, 24, e será anunciada pelo governador João Doria (PSDB) em coletiva de imprensa no começo da tarde.

O objetivo é reduzir as internações, que atingiram nesta semana o maior número desde o início da pandemia. Na segunda-feira, o coordenador do Centro de Contingência da Covid-19, João Gabbardo, disse que o grupo enviou ao governo do estado uma série de propostas para restringir a circulação de pessoas.

Segundo ele, são regras extraordinárias, como já ocorreu há um mês, quando somente os serviços essenciais podiam funcionar à noite e aos finais de semana. As novas medidas entram em vigor já na sexta-feira, 26.

“São recomendações extraordinárias, além daquilo que está previsto no Plano São Paulo. O governo está fazendo a análise dessas recomendações, que obviamente tratam da redução da mobilidade, da redução da movimentação das pessoas, que é o que podemos fazer para reduzir a taxa de transmissibilidade”, disse ele no começo da semana.

Há um mês o governo de São Paulo determinou o fechamento de todas as atividades não essenciais no período noturno e aos finais de semana. A medida valia mesmo que uma região estivesse em uma fase menos restrita da quarentena.

Duas semanas depois, mesmo com uma baixa no número de internações dentro da estabilidade, a gestão paulista suspendeu a regra. Na semana passada o governo flexibilizou mais as restrições e permitiu a venda de bebidas alcoólicas até as 22 horas nos restaurantes, antes era só até 20h. A regra vale somente para regiões na fase 3 amarela da quarentena, como é o caso da capital paulista.

O estado tem um total de 1.990.554 casos confirmados e 58.199 óbitos causados pela covid-19. A taxa de ocupação em leitos de UTI está em 69% em todo o estado e da Grande São Paulo. Em algumas cidades do interior, como Araraquara, não há mais leitos disponíveis e a prefeitura determinou o lockdown. São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, implementou um toque de recolher das 22h às 5h.

Em pelo menos cinco estados a medida foi implementada também com o objetivo de diminuir a circulação de pessoas. Na Bahia, a circulação fica restrita das 22h até as 5 horas da manhã do dia seguinte. Somente deslocamentos que comprovem a urgência, como ida à farmácia ou serviços de saúde, estão permitidos. A medida tem validade até o dia 25 de fevereiro.

O Mato Grosso do Sul adotou um modelo que é válido somente nas cidades com maior incidência, incluindo a capital Campo Grande. A restrição é válida das 22h às 5h.

No Paraná o decreto que estabelece o toque de recolher tem validade até o dia 28 de fevereiro. O estado determinou a restrição ainda no fim de 2020. Na última alteração, feita na semana passada, o horário foi reduzido e atualmente vale da meia-noite até 5 horas.

Regras atuais da quarentena em SP

(Governo de São Paulo/Divulgação)

Restrições da fase amarela

  • Capacidade de atendimento do comércio de rua e shoppings é de 40%. Podem abrir por no máximo 12 horas por dia, até as 22 horas
  • Restaurantes podem abrir com 40% da capacidade por 10 horas por dia, até as 22 horas. Venda de bebida é permitida até 22 horas
  • Bares podem abrir com 40% de capacidade, por 10 horas por dia, até as 20 horas
  • Salões de beleza podem funcionar por até 10 horas por dia
  • Academias podem abrir com 40% de capacidade, por 10 horas por dia, até 22 horas
  • Parques ficam abertos

Restrições da fase laranja

  • Capacidade de atendimento de comércio de rua, shoppings, salões de beleza e restaurantes é de 40%. Podem abrir por no máximo 8 horas por dia, até as 20 horas
  • Nas academias a capacidade máxima é de 40%
  • Bares são proibidos de ter atendimento presencial — apenas delivery é permitido
  • Os parques ficam abertos

Restrições da fase vermelha

  • Apenas atividades essenciais podem funcionar, como supermercados, farmácias e postos de gasolina
  • Comércio, shoppings, academias, salões de beleza, bares e restaurantes precisam ficar fechados
  • Parques ficam fechados

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.