Squadra Investimentos alcança 5,18% do capital daPrio (PRIO3)

Há algumas semanas a gestora iniciou uma série de aquisições do capital da petrolífera carioca
PetroRio (PRIO3) (PetroRio/Divulgação)
PetroRio (PRIO3) (PetroRio/Divulgação)
Roberto Bodetti
Roberto Bodetti

Publicado em 27/07/2022 às 21:34.

Última atualização em 28/07/2022 às 12:01.

A Prio (PRIO3), antiga PetroRio, comunicou ao mercado nesta quarta-feira, 27, que a gestora Squadra Investimentos alcançou 5,18% de sua participação acionária.

No total, a Squadra Investimentos alcançou 45.725.103 ações ordinárias do capital social da Prio.

"A referida participação dos Investidores é representada por 42.239.103  ações ordinárias, e 3.486.000 ações ordinárias referenciadas em instrumentos derivativos de liquidação física", informou a Prio em fato relevante divulgado nesta quarta-feira.

Além disso, a Squadra Investimentos também informou que 13 milhões das ações adquiridas encontram-se doadas em empréstimo.

Resultados Prio (PRIO3) 1T22

A Prio divulgou seus resultados do primeiro trimestre de 2022.

A antiga PetroRio registrou um lucro líquido de US$ 228 milhões, revertendo o prejuízo de US$ 7,2 milhões registrado no mesmo período do ano passado.

A receita total da petroleira carioca foi de US$ 309 milhões, uma alta de 159% em relação aos primeiros três meses de 2021, quando tinha sido de US$ 119 milhões.

O Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) da petroleira subiu 203% na comparação com o primeiro trimestre de 2021, alcançando os US$ 225 milhões.

O caixa da PetroRio foi de US$ 1,14 bilhão. O indicador de alavancagem financeira, dívida líquida/Ebitda ajustado, ficou em -0,5 vezes. Um patamar praticamente idêntico em relação ao mesmo período de 2021.

De janeiro até março a PetroRio vendeu aproximadamente 2,8 milhões de barris de petróleo e registrou um recorde de produção média de 35,1 Mboepd.

O lifting cost, ou seja, os custos de operação e manutenção de poços petrolíferos da antiga PetroRio, caiu para US$ 11,2 por barril de óleo equivalente (boe), o menor valor já registrado. O indicador está em tendência de queda desde 2018.