EBITDA: o que é, como funciona e como calcular?

Analisar o EBITDA é fundamental para todos aqueles que querem adquirir ações de empresas listadas na bolsa de valores
 (Getty/Getty Images)
(Getty/Getty Images)
D
Da RedaçãoPublicado em 23/07/2022 às 11:00.

EBITDA é um daqueles indicadores financeiros para se avaliar uma empresa, pois permite ver como andam as suas operações. 

Sendo assim, analisar o EBITDA é fundamental para todos aqueles que querem adquirir ações de empresas listadas na bolsa de valores

O que é EBITDA?

EBITDA é a sigla em inglês para Earnings Before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization. O EBITDA é um indicador financeiro muito usado para avaliar empresas na bolsa de valores, informando o lucro da companhia antes dos descontos com impostos, juros, amortização e depreciação.

Sendo assim, o EBITDA é um indicador que retira aqueles custos que não estão diretamente relacionados às atividades operacionais da empresa. 

De fato, esse é um indicador muito importante, sendo usado até mesmo por grandes gestores de fundos de investimento na hora de tomar decisões de alocação de capital.

Ou seja: diferente do lucro líquido, esse indicador vai mostrar o resultado operacional da empresa juntamente com a depreciação e amortização. Mostra, portanto, a geração de caixa com as operações da empresa. 

Justamente por causa de sua importância para avaliar uma empresa na bolsa de valores, é fundamental entender o que é EBITDA e como ela pode funcionar na tomada de decisões na hora de investir.

Como funciona o EBITDA?

O EBITDA é um indicador que pode ser lido na Demonstração de Resultado do Exercício, uma das demonstrações financeiras mais importantes de qualquer empresa. 

Sendo assim, esse indicador vai mostrar a geração de receita operacional – ou seja, a geração de caixa que a empresa é capaz de fazer antes de uma série de descontos.

Por isso, é fundamental entender quais descontos são esses, pois podem ser muito úteis na hora de avaliar um ativo de renda variável.

Em primeiro lugar, há os juros, que consistem nos gastos com juros de empréstimos e financiamentos, além de receitas de aplicações financeiras da empresa. No primeiro caso, há saída de caixa da empresa; no segundo, entrada de caixa.

Em segundo lugar estão os impostos, que são despesas com impostos federais, estaduais e municipais. Dependendo do setor e tamanho da empresa, o percentual de impostos será maior ou menor. Representa saída de caixa.

Além disso, há a depreciação, que consiste na redução do valor contábil de ativos físicos (como imóveis, maquinários e outros) por motivos de uso ou desgaste natural. Consiste em saída de caixa.

Por fim, ocorre a amortização, que consiste na redução do valor contábil de um ativo intangível (como patentes, licenças de softwares, direitos de uso de algum bem natural, etc.) por motivo de duração de contrato, direito limitado e outros.

Assim fica fácil saber como funciona o EBITDA: é só usar o valor de receita operacional e depois fazer os descontos devidos.

Qual é a função do EBITDA?

A resposta quando se pergunta para que serve o EBITDA é simples: esse indicador é uma forma de analisar a geração de caixa que uma empresa é capaz de ter. 

Esse tipo de avaliação é fundamental, uma vez que é possível avaliar o andamento do resultado operacional da empresa ao longo do tempo. 

Dessa forma, é possível que investidores avaliem a empresa e verifiquem se ela está se tornando lucrativa financeiramente falando. Assim, o investidor pode avaliar se a empresa tem potencial de rentabilidade dessa forma. 

O LAJIDA (nome em português dessa métrica) também é um indicador interessante para se usar entre empresas de um mesmo setor, uma vez que compara a eficiência entre concorrentes de uma mesma demanda de mercado. 

Por fim, esse indicador é muito usado para ver o desempenho da empresa, retirando as distorções provenientes de financiamentos, depreciações e outros quesitos não relacionados diretamente com a empresa. 

Como calcular o EBITDA?

Para calcular o EBITDA, basta considerar o resultado líquido da empresa (ou seja, não se deve usar o resultado bruto) e diminuir dele os custos pagos com juros, impostos, depreciações e amortizações no período de apuração.

Dessa forma, o cálculo do EBITDA ocorre da seguinte forma:

EBITDA = Resultado Líquido - Juros - Impostos - Depreciação - Amortização

Entretanto, há casos em que os juros podem somar valores ao resultado líquido, uma vez que a empresa pode ter investimentos que geram juros ou dividendos.

Como pode-se ver, esse é um cálculo simples e que não existe conhecimentos detalhados de matemática ou contabilidade. Ou seja: até mesmo aqueles que estão começando a investir conseguirão fazer os cálculos.

Por fim, vale notar que muitas vezes fazer o cálculo não é necessário, pois ele já vem pronto na DRE das empresas. Como a empresa passa por auditorias internas e externas, os resultados costumam ser confiáveis.

Como avaliar o EBITDA de uma empresa?

De fato, o EBITDA deixa mais claro a receita operacional da empresa, pois com os gastos com juros e outros descontos, pode não ficar tão claro o quanto a empresa gera de valor. 

Por exemplo: uma empresa pode estar passando por um momento de muitas despesas com juros e dívidas, mas isso pode ser temporário. 

Sendo assim, pode ser que ela apresente resultados insatisfatórios em um primeiro momento, mas tenha tudo para melhorar no futuro com a quitação de suas dívidas (o que pode gerar uma boa valorização de suas ações).

Ou seja: sem a análise do EBITDA de uma empresa, o investidor poderia fazer a análise de que o lucro da empresa é muito pequeno, deixando de alocar capital em suas ações. 

Isso pode acontecer com impostos, depreciação e amortização também. Caso essas sejam despesas de curto prazo, a empresa pode melhorar e se tornar um investimento que distribui muitos dividendos no futuro.

Assim, fica claro que o EBITDA tem um funcionamento bastante útil para avaliar as atividades da empresa de forma mais clara.

No entanto, é fundamental entender alguns detalhes na hora de avaliar uma empresa disponível na bolsa, pois olhar para um indicador isolado pode gerar distorções. 

Por isso, é sempre importante avaliar uma empresa usando diversos indicadores e entendendo como funciona o negócio. Assim, é possível tomar decisões de investimento muito melhores. 

Você ainda tem algum questionamento sobre o EBITDA e seu funcionamento? Confira outros conteúdos como esse em nosso Guia de Investimentos, como:

O que é taxa Selic?
O que é IPCA acumulado?
O que é IOF?