O que é consórcio e como funciona essa modalidade de aquisição

Os consórcios podem ser uma boa alternativa para quem não dispõe de recursos próprios para adquirir um bem
 (Getty/Getty Images)
(Getty/Getty Images)
D
Da RedaçãoPublicado em 16/08/2022 às 10:56.

Os consórcios podem ser uma boa alternativa para quem não dispõe de recursos próprios para adquirir um bem. 

Isso porque, nessa modalidade de aquisição um grupo de pessoas pode se reunir para comprar automóveis, imóveis, viagens, entre outros.

Sendo assim, a vantagem do consórcio é que os participantes têm acesso a um bem ou serviço que, provavelmente, não conseguiriam adquirir sozinhos – e sem juros.

Neste artigo será abordado como funciona um consórcio, os benefícios de participar de um e as diferentes modalidades existentes.

Como funciona o consórcio?

Os consórcios são grupos de pessoas que se reúnem para realizar uma finalidade comum, normalmente o pagamento de um bem ou serviço. 

Cada consorciado paga uma parcela mensal, sendo que todas as cotas têm o mesmo valor.  Tanto o valor quanto o prazo das parcelas são determinados em contrato. 

São as parcelas pagas mês a mês que formam o chamado fundo comum, que é utilizado para pagamento do bem ou serviço escolhido pelo grupo.

Ao ser sorteado, o consorciado tem acesso a uma carta de crédito, que pode ser usada para adquirir o item desejado.

Para participar de um consórcio, é preciso comparecer a uma das administradoras credenciadas pelo Banco Central e apresentar documentos pessoais e comprovante de renda. O valor das parcelas e do crédito disponível variam conforme o produto escolhido. 

O que é um grupo de consórcio?

Um grupo de consórcio é uma associação formada por pessoas físicas ou jurídicas que se unem para fins específicos, geralmente para comprar um bem ou serviço em comum. 

Os consorciados se comprometem a pagar uma determinada quantia mensal (chamada de cota), que será usada para adquirir o bem ou serviço escolhido pelo grupo ao final do prazo estipulado.

O que é lance?

O lance é um recurso que o consorciado pode usar na tentativa de antecipar a contemplação no consórcio. É como em um leilão — o maior lance vence. 

Neste caso, o valor do lance só é debitado do saldo devedor do consorciado se o mesmo for contemplado na operação. Lembrando que não há nenhum limite para o valor do lance, mas o contrato pode definir regras a respeito de modo a estabelecer um valor mínimo. 

O número de sorteios e lances depende dos recursos disponíveis no fundo, afinal o grupo precisa ter dinheiro para honrar a carta de crédito.

O que é contemplação?

Todos os meses são sorteadas algumas cartas de créditos entre todos os participantes do grupo. 

Sendo assim, a contemplação corresponde ao ato de o consorciado receber o crédito para comprar o bem ou serviço desejado.

Então, seja por sorteio ou lance, o consorciado que for contemplado no mês receberá o valor total do bem ou serviço escolhido pelo grupo, podendo usá-lo da maneira que melhor lhe convier. 

Enquanto isso, os outros consorciados continuarão pagando suas cotas mensais até que seja a vez deles receberem o valor total do bem ou serviço escolhido.

Tipos de consórcios

Com o passar do tempo, os consórcios ganharam muita popularidade entre as pessoas e diversas modalidades foram criadas. As principais delas são:

  • Consórcio imobiliário

Os consórcios imobiliários são formados por grupos que se reúnem para comprar um bem imóvel, como uma casa ou um apartamento. Além disso, ele pode ser usado para adquirir imóveis comerciais, reformar, construir ou comprar um terreno com prestações sem juros.

Além do sorteio realizado todos os meses, o consorciado pode oferecer lances, inclusive, utilizando o seu FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

  • Consórcios de veículos

Neste caso, os grupos são formados entre interessados em comprar um carro novo ou até mesmo usado.

Nesse sentido, esse tipo de consórcio é constituído por pessoas que não têm o capital suficiente para comprar um veículo sozinhas. Os membros do consórcio pagam mensalmente uma taxa, que é usada para comprar o veículo no final do contrato.

  • Consórcios de serviços

Você pode usar esse tipo de consórcio para realizar sonhos de qualquer outra natureza, como tratamentos estéticos, festa de casamento ou viagem. 

Neste contexto, ao ser contemplado com a carta de crédito, você decide como utilizar os recursos, podendo financiar inclusive 100% do serviço. Em geral, os prazos de pagamento das parcelas para consórcios de serviços vão até 40 meses.

Vantagens e desvantagens

Uma das principais vantagens de participar de um consórcio é que ele não cobra juros. Nesta modalidade, o principal custo se refere a uma taxa de administração cobrada pela administradora do consórcio para cobrir os custos da gestão. 

Como essa taxa de administração é diluída no valor das parcelas, ela costuma ser bem mais baixa do que os empréstimos convencionais oferecidos pelos bancos.

Dessa forma, o custo ao final da operação será muito menor do que em um empréstimo, o que faz do consórcio uma operação cada dia mais procurada.

Outra vantagem é que muitos deles não exigem nenhum tipo de entrada, diferente do que ocorre nos financiamentos de veículos e imóveis.

Entretanto, apesar de oferecerem vantagens interessantes, os consórcios também apresentam desvantagens que podem afastar algumas pessoas. 

A principal delas é o fato de que os participantes precisam ter bastante disciplina para cumprir com as parcelas mensais durante todo o plano escolhido (que pode durar até anos). Caso contrário, o consorciado pode ser penalizado com o pagamento de multa e, na pior das hipóteses, ser expulso do grupo.

Outra desvantagem é que os participantes costumam esperar muito para receber o bem desejado (a não ser que optem pelo lance).

Isso significa que quem participa de um consórcio precisa ter bastante paciência pois, em muitos casos, a posse do bem levará alguns anos para acontecer.

É melhor consórcio ou financiamento?

Quando se trata de adquirir um bem, como um carro ou uma casa, as pessoas geralmente têm duas opções: consórcio ou financiamento. Mas qual é a melhor opção?

Na verdade essa resposta depende de qual é o seu objetivo. Como visto, o consórcio é uma forma de financiamento coletivo, em que um grupo de pessoas se reúne para juntar dinheiro e comprar um bem.

Entre suas principais vantagens estão: ausência de juros e IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), além de flexibilidade na escolha do bem a ser comprado.

No entanto, vale frisar que se você atrasar o pagamento, corre o risco de ser excluído do grupo e terá que arcar com multas. 

Além disso, o processo para conseguir o bem desejado pode demorar para acontecer. Então, se você precisar dele no curto prazo, o consórcio não é uma boa opção.

No financiamento, por sua vez, você faz um empréstimo junto a uma instituição financeira (banco, financeira etc.) e tem que devolver esse montante com juros. 

Entre suas vantagens está o fato de que você não precisa esperar para conseguir o bem. A aquisição é imediata.

No entanto, as taxas de juros podem ser um grande entrave já que costumam ser bem altas.

Portanto, ao ponderar cada uma das opções é possível concluir que ambas têm suas vantagens e desvantagens. Logo, a melhor alternativa para você vai depender da sua situação financeira atual e dos seus objetivos de curto e longo prazo.

Confira outros conteúdos como esse em nosso Guia de Investimentos, como:

O que é taxa Selic?
O que é IPCA acumulado?
O que são fundos imobiliários?