O que atrai investidores para criptomoedas-meme como shiba inu e dogecoin?

Uma moeda que custa menos de um centavo chama a atenção de investidores que podem comprar milhões de unidades. Mas as criptomoedas-meme poderão ultrapassar moedas como bitcoin e ether algum dia?
Para especialista, as criptomoedas-meme podem ajudar novos investidores a desenvolver a disciplina necessária para este mercado volátil (Yuriko Nakao/Getty Images)
Para especialista, as criptomoedas-meme podem ajudar novos investidores a desenvolver a disciplina necessária para este mercado volátil (Yuriko Nakao/Getty Images)
C
CoindeskPublicado em 04/11/2021 às 15:14.

por Lawrence Lewitinn*

O bitcoin pode ser o cão alfa do mundo cripto, mas para diversos investidores do varejo nos últimos tempos, dogecoin e shiba inu são as melhores da matilha.

A WazirX, subsidiária da Binance na índia, é a maior corretora de criptomoedas do país e sofreu de uma indisponibilidade em seus serviços por conta da briga travada entre os investidores das maiores moedas caninas do mercado. O fluxo de compra de shiba inu foi tão grande que os servidores da plataforma ficaram sobrecarregados a ponto de interromper as negociações na última quarta-feira, 27. Transações equivalentes à mais de meio bilhão de dólares foram realizadas na WazirX naquele dia, o valor mais alto dentre as corretoras de criptomoedas na Índia, de acordo com a publicação o CEO Nischal Shetty no Twitter.

“Isso basicamente derrubou a nossa corretora”, afirmou Siddarth Menon, um dos cofundadores da WazirX na última quinta-feira, 28. “O número de membros ativos que vimos nas últimas 48 horas nos deixou chocados. Nós não estávamos prontos para aquilo. Estávamos prontos para uma movimentação do bitcoin, mas não da shiba inu”.

Menon suspeita que há uma tendência entre investidores para as criptomoedas-meme. É assim que um investidor novato tende a comprar muitas dessas moedas, porque o preço de uma unidade é bem menor do que, por exemplo, o bitcoin, apesar de estarmos falando da mesma quantidade de dinheiro que será investida.

Para os investidores que ainda estão apenas “molhando os pés” nessa grande piscina, investindo uma pequena quantidade de dinheiro, criptomoedas mais baratas podem fazê-los se sentir um pouco mais ricos. Por exemplo, no momento, 620 dólares compra 0,01 bitcoin. Por outro lado, é possível comprar 10 milhões de shiba inu.

O que mostram os dados

E enquanto essas pessoas aparentam preferir a shiba inu e a dogecoin, “baleias”, ou seja, os grandes investidores, continuam nas águas menos turvas do bitcoin e do ether.

Isso pode ser observado no valor médio de negociações:

(Coindesk/Reprodução)

O valor médio das transações em bitcoin e ether são maiores do que as da dogecoin e shiba inu em praticamente todas as corretoras. Na Coinbase, o valor médio das transações em bitcoin oscila na faixa dos 2 mil dólares, enquanto no ether, fica em 1.600 dólares. Por outro lado, a corretora informa que o valor médio das transações em dogecoin e shiba inu mal passa dos 800 dólares.

“Isso sugere que a oscilação dos preços é quase que totalmente conduzida pelo varejo”, afirmou Clara Medalie, gerente de iniciativas estratégicas e research na Kaiko, adicionando que na Binance, o valor médio das transações em bitcoin e ether é de 2 mil dólares. Para dogecoin e shiba inu, os números são 1.200 e 900 dólares, respectivamente.

“Embora essa média não seja o método mais perfeito para entender o investimento institucional – a maioria dos grandes investidores separam suas ordens de compra em várias menores – nós ainda podemos observar tendências bastante claras que correspondem com as ondas de interesse”, afirmou.

Dias de cachorro

Ainda assim, os dados demonstram que as criptomoedas-meme enfrentam seus próprios ciclos, notou Medalie.

“É interessante notar que o valor médio das transações de praticamente todos os ativos aumentou consideravelmente desde o início de uma série de movimentos de alta no mercado no último mês de novembro”, afirmou Medalie. “Com criptomoedas-meme como a dogecoin e shiba inu, nós podemos observar picos durante o hype inicial e então, vemos quedas bruscas assim que a empolgação diminui”.

Todas as criptomoedas se movimentam juntas, incluindo o aumento no valor das negociações. “Nós também podemos observar que o bitcoin, ether e dogecoin aparentam ter tendências similares para o valor médio de transação, que está fortemente correlacionado aos movimentos de alta”, afirmou Medalie, pontuando que houve um pico no valor das transações de todos os ativos logo antes das quedas de maio.

Enquanto isso, as criptomoedas-meme servem outro propósito.

Investidores do varejo testam a experiência de comprar, deter e vender uma pequena quantidade de criptomoedas em novas plataformas ao colocar diferentes tipos de ordens e observar como elas se preenchem – ou não. Enquanto fazer isso com 100 dólares em bitcoin pode não gerar muito impacto, esses mesmos 100 dólares em shiba inu ou dogecoin podem ajudar novatos no mundo cripto a entender esse conceito. Além disso, essa experiência com as fortes oscilações das criptomoedas-meme pode aprimorar sua técnica para criptomoedas voláteis, porém mais “seguras” como bitcoin e ether.

E quando esses novos investidores finalmente entenderem que uma única criptomoeda-meme barata nunca irá ultrapassar o preço do bitcoin ou do ether, da forma que elas são atualmente negociadas (se a shiba inu fosse negociada próximo de 62 mil dólares como o bitcoin, seu valor de mercado seria de 36,5 quintilhões de dólares, ou 7.313 vezes o valor do planeta terra, estimado em 5 quadrilhões), eles poderão finalmente ganhar perspectiva, se livrar de conceitos tendenciosos e utilizar essas criptomoedas-meme ao invés de desenvolver uma disciplina adequada para investimentos.

Dessa forma, criptomoedas-meme podem ser vistas como uma oportunidade para que investidores do varejo se tornem mais experientes no mundo cripto.

Uma forma de adestramento, eu diria.

* Lawrence Lewitinn escreve para a CoinDesk.

Este é um conteúdo da CoinDesk. O texto não reflete necessariamente a opinião da Exame.

Texto traduzido por Mariana Maria Silva e republicado com autorização da Coindesk

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube