ESG
Acompanhe:

50 Startups: conheça as tecnologias para produção de orgânicos em larga escala

ReNature e Agrosmart apostam na agricultura regenerativa, que simula processos naturais para proteger a safra. Fundadores participaram do podcast ESG de A a Z

Segundo Mariana Vasconcelos, CEO da Agrosmart, o que impulsiona essa revolução é a capacidade de monitorar e coletar dados no campo (Alexis Prappas/Exame)

Segundo Mariana Vasconcelos, CEO da Agrosmart, o que impulsiona essa revolução é a capacidade de monitorar e coletar dados no campo (Alexis Prappas/Exame)

R
Rodrigo Caetano

19 de fevereiro de 2021, 07h36

Esta reportagem faz parte da série "50 startups que mudam o Brasil", publicada na EXAME. Conheça as demais empresas selecionadas

Dá para alimentar o mundo sem agrotóxicos? Essas startups dizem que sim. No décimo episódio do podcast ESG de A a Z, Felipe Villela, Mariana Vasconcelos e Guilherme Raucci, fundadores das startups ReNature e Agrosmart, explicam como a agricultura regenerativa pode ser uma solução para a barreira da escala na produção sem o uso de produtos químicos. Para eles, se livrar dos agrotóxicos é questão de tempo.

A Exame Academy lançou um curso sobre ESG -- práticas ambientais, sociais e de governança. Conheça agora

O termo “agricultura regenerativa” foi cunhado pelo americano Robert Rodale, que utilizou teorias de hierarquia ecológica para estudar os processos de regeneração nos sistemas agrícolas ao longo do tempo. Ela já é utilizada por empresas como Patagonia, Danone, Natura e General Mills. A técnica busca imitar os processos da natureza, ao contrário da agricultura tradicional, que depende de insumos externos para sua viabilidade. Dessa forma, é possível reduzir o consumo de água em 60%, de insumos em até 40%, aumentar a produtividade em até 20% e sequestrar entre 36 e 45 toneladas de carbono por hectare.

Segundo Mariana Vasconcelos, CEO da Agrosmart, o que impulsiona essa revolução é a capacidade de monitorar e coletar dados no campo. “Essa é a base da agricultura regenerativa”, afirma. Ao compreender os ciclos naturais dos ecossistemas, é possível aproveitar as proteções naturais da vegetação para garantir um plantio livre de pragas: diversos cultivos são organizados no mesmo local, de forma que um tipo de vegetação proteja o outro.

ReNature e Agrosmart firmaram uma parceria, recentemente, para dar escala a esse tipo de agricultura. Os primeiros projetos em conjunto terão como foco as cadeias de produção de café, cacau, algodão, palma, borracha natural, madeira, soja e pecuária. As duas empresas se complementam. A ReNature atua no “design” de plantações regenerativas, enquanto a Agrosmart é especializada na coleta e análise de dados no campo.

Saiba mais sobre a tecnologia no podcast: 

Assine a newsletter Exame.ESG e descubra como a sustentabilidade empresarial impacta diretamente a performance de seus investimentos

De 0 a 10 quanto você recomendaria Exame para um amigo ou parente?

Clicando em um dos números acima e finalizando sua avaliação você nos ajudará a melhorar ainda mais.