Tequila e mescal passam bourbon e são as novas 'queridinhas' dos EUA

Derivadas da agave tiveram maior crescimento nos últimos anos e devem chegar à liderança já em 2023
 (Diageo/Divulgação)
(Diageo/Divulgação)
G
Gabriel Aguiar

Publicado em 13/06/2022 às 13:22.

Última atualização em 13/06/2022 às 13:40.

Não são somente Anitta e músicas latinas, como reggaeton, que fazem sucesso nos Estados Unidos: a tequila e o mescal – ambas com origem mexicana – passarão o bourbon  norte-americano, também chamado whiskey, em faturamento na terra do Tio Sam. E a previsão é de que cheguem à liderança por lá em 2023, quando devem ultrapassar a vodka, segundo dados da consultoria IWSR.

VEJA TAMBÉM

No último ano, as bebidas derivadas da agave tiveram o maior crescimento entre os destilados – em valor de vendas. E o cenário foi ainda melhor para o mescal: aumento de 53% no faturamento frente a 2020, enquanto a tequila cresceu “apenas” 27%. Tanto é que, combinadas, devem crescer até 81% entre 2021 e 2026 em faturamento; no Canadá, deverá crescer 109% (e 93% em volume).

Para ter ideia, em 2023, a categoria que reúne tequila e mescal deve arrecadar cerca de 13,3 bilhões de dólares em vendas – equivalente a 67,9 bilhões de reais – nos Estados Unidos, contra 12,5 bilhões de dólares com vodka e 12,3 bilhões de dólares com whiskey/bourbon norte-americano. E as bebidas derivadas de agave também têm a preferência em Alemanha, Japão, Reino Unido e Rússia.

Quem lidera o crescimento de participação entre tequilas (de 2016 a 2021) é a Casamigos, cocriado por George Clooney e vendido por 1 bilhão de dólares à Diageo em 2017; e, em seguida, surgem as independentes Clase Azul e Piedra Azul. Quando observada somente a categoria de mescal, lidera a Pierde Almas, da Diageo, seguida pelas independentes Bozal e Ilegal, segundo a consultoria.

“É fato que as marcas de tequila fundadas e endossadas por celebridades beneficiaram a categoria, simplesmente por tornar a bebida mais familiar aos consumidores. Com os grandes perfis em redes sociais, eles [os donos] podem ser influenciadores em tempo real para esses rótulos, com interação com clientes e também com seguidores”, afirma Adam Rogers, diretor de pesquisas da IWSR.

Outros exemplos de rótulos cridas por celebridades são a Teremana Tequila, do astro Dwayne “The Rock” Johnson – ator mais bem pago de Hollywood em 2020, após faturar 87,5 milhões de dólares –, e a 818 Tequila, da modelo e influenciadora digital Kendall Jenner, irmã de Kim Kardashian.

Conheça a newsletter da EXAME Casual, uma seleção de conteúdos para você aproveitar seu tempo livre com qualidade.