Veja quais são os melhores restaurantes para reuniões de negócios

Com base na lista de 100 Melhores Restaurantes do Brasil, da Casual EXAME, indicamos as opções para encontros profissionais
 (Aroma Brasília/Reprodução)
(Aroma Brasília/Reprodução)
G
Gabriel Aguiar

Publicado em 09/06/2022 às 09:00.

Última atualização em 09/06/2022 às 11:41.

Não é tarefa simples escolher um restaurante para reuniões de negócios: deve ser suficientemente tranquilo para permitir conversas íntimas, mas sem apelar para clima romântico – e, além disso, ter cardápio versátil para diferentes ocasiões. Pensando nisso, Casual EXAME listou algumas melhores opções para encontros profissionais entre os 100 Melhores Restaurantes do Brasil. Confira!

VEJA TAMBÉM

Veja quais são os melhores restaurantes 'instagramáveis' do Brasil

Veja quais são os melhores restaurantes em hotéis do Brasil

Nelita

NelitaNelita (Nelita/Divulgação)

Semanas depois de inaugurar, em janeiro do ano passado, o Nelita teve de fechar as portas devido à pandemia. Dá até para dizer que o restaurante de Tássia Magalhães (batizado com o apelido da mãe da chef) realmente começou a funcionar há pouco mais de doze meses. Foi o suficiente para marcar território na cena gastronômica: a cozinha totalmente formada por mulheres tem inspiração italiana e inventividade para os pratos autorais. E, com o novo menu, recém-apresentado, deu à luz criações como o pato com cebola defumada e glacê (111 reais) e o camarão com missô e acerola (76 reais).

Rua Ferreira de Araújo, 330, Pinheiros, São Paulo
https://www.facebook.com/nelita.restaurant/


Ori

Dá para dizer que o Ori é fruto do restaurante Origem. Mas a dupla Fabrício Lemos e Lisiane Arouca conseguiu dar identidade própria à segunda empreitada: receitas mais “pé no chão” e cardápio à la carte – enquanto o precursor oferece apenas o menu degustação –, sempre com forte referência à gastronomia baiana. Prova disso é o abarajé (35 reais), criação da casa que reúne duas das receitas mais tradicionais da região; e a carne de sol com tropeiro de cuscuz e pirão de leite (89 reais). Existe até uma feijoada com frutos do mar, feijão branco e arroz de coco para compartilhar (159 reais).

Avenida Santa Luzia, 656, Horto Florestal, Salvador
https://www.orirestaurante.com.br/


Babbo Osteria

Babbo OsteriaBabbo Osteria (Babbo Osteria/Divulgação)

Foram investidos 4 milhões de reais para transformar o antigo casarão do bairro carioca de Ipanema em um pedacinho da Itália. Só que o ítalo-brasileiro Elia Schramm conseguiu. E não foi somente pela decoração repleta de referências europeias e objetos familiares do próprio restaurateur: o cardápio é fiel às tradições, desde o arancini funghi (37 reais), bolinhos feitos com risoto de cogumelos; até o polpetone recheado com muçarela de búfala e acompanhado por tagliollini com manteiga de sálvia (59 reais). Na coquetelaria, destaque ao ousado Martini com GranaPadano e pimenta (44 reais).

Rua Barão da Torre, 632, Ipanema, Rio de Janeiro
https://www.facebook.com/osteriababbo/


Xavier

XavierXavier (Xavier/Divulgação)

Não são raros os restaurantes mediterrâneos por aqui. Mas ainda soa como novidade experimentar a gastronomia catalã – que tem particularidades em relação aos vizinhos espanhóis e franceses. No cardápio elaborado pelo chef Xavier Gamez, se destacam os frutos do mar, como a fideuá de pulpo (151 reais), uma espécie de paella de polvo com massa em vez do arroz. Só que também há espaço para o asado de tira de Black Angus alimentado durante 200 dias apenas com grãos (145 reais). Só não vale ter mente fechada: o restaurateur costuma oferecer pratos que não aparecem no menu.

Rua Auxiliadora, 203, Auxiliadora, Porto Alegre
https://www.facebook.com/xavier.restaurant/


Nino Cucina

Nada parece abalar o fenômeno do Nino – que já prepara novas unidades para Rio de Janeiro (RJ) e Goiânia (GO). E, como em séries de sucesso, existem até spin-offs do restaurante: o Ninetto, espécie de versão mais intimista e sofisticada; e o Nino Casa Tua, dedicado a delivery e retiradas. Fato é que o ambiente acolhedor e a ótima localização no Itaim Bibi explicam parte das filas que se formam até hoje, só que o cardápio bem-elaborado foi essencial nestes sete anos, com destaque ao ossobuco de vitela com risoto de açafrão (78 reais), à burrata assada (45 reais) e às ótimas massas artesanais.

Rua Jerônimo da Veiga, 30, Jardim Europa, São Paulo
https://www.instagram.com/ninocucina/


Altruísta

AltruístaAltruísta (Altruísta/Divulgação)

É só dar uma olhada na parede (de pé direito duplo) repleta de garrafas para imaginar que os vinhos são ponto-forte do Altruísta. E não é somente decoração: há 150 opções servidas em taças e mais de 500 rótulos – além de cinco sommeliers para ajudar nas indicações. No cardápio, há receitas de forte inspiração italiana, como o raviolo alle uova, que tem recheio de gema mole, ricota e espinafre, além de cogumelos salteados (42 reais); risoto de limão siciliano com lula, polvo e camarão (84 reais); e as mais de dez opções de massa. Para compartilhar, há também a bisteca alla fiorentina (269 reais).

Alameda Campinas, 952, Jardins, São Paulo
https://altruistasp.com.br/


Modern Mamma Osteria

Modern Mamma OsteriaModern Mamma Osteria (Modern Mamma Osteria/Divulgação)

Para começar, dificilmente alguém chamará o Modern Mamma Osteria pelo nome completo – e, em vez disso, será a abreviação “Moma”. É verdade que o frisson em torno do restaurante, que, durante anos, esteve na moda em São Paulo (SP), já não é mesmo de antes. Só que isso também é positivo: a clientela está lá porque realmente gosta do trabalho de Paulo Barros e Salvatore Loi. Afinal, os chefs focaram em receitas clássicas italianas e comidas reconfortantes, desde o novíssimo papardelle com abóbora, amareto e mostarda (64 reais) até o tradicionalíssimo rigatoni cacio e pepe (61 reais).

Rua Manuel Guedes, 160, Itaim, São Paulo
Rua Ferreira de Araújo, 342, Pinheiros
https://momaosteria.com.br/


Aroma Brasília

Aroma BrasíliaAroma Brasília (Aroma Brasília/Divulgação)

Sobreviver à pandemia é um grande feito para qualquer restaurante. Mas o que dizer de quem abriu as portas poucos meses antes das primeiras restrições? É o caso do Aroma Brasília – criado pelo chef Ronny Peterson, que assumiu a cozinha do Gero durante anos. No cardápio, há boas criações, como a barriga suína assada, marinada em cachaça e melado de cana, e acompanhada do creme de milho trufado (94 reais) ou polvo na brasa em crosta de baru e texturas de inhame sauté (132 reais). Além disso, há democráticas opções executivas durante a semana, que incluem entrada e sobremesa.

CLS 407, BL A , LJ 34, SHCS CLS 407, Asa Sul, Brasília
https://www.facebook.com/aromabrasilia/


Amadeus

Pouca gente sabe que o Amadeus foi fundado em 1985, porque, pela história oficial, a inauguração aparece dois anos depois – quando Ana e Tadeu Masano assumiram a administração. E justiça seja feita: é praticamente impossível imaginar o restaurante sem essa família, que está no comando há mais de três décadas e, atualmente, tem a segunda geração no controle da cozinha. Só que a filha, Bella Masano, manteve a identidade do cardápio, marcado por receitas de peixes e frutos do mar, como bolinhos de bacalhau (48 reais); moqueca (185 reais); e até o icônico cuscuz (69 reais).

Rua Haddock Lobo, 807, Cerqueira César, São Paulo
https://www.restauranteamadeus.com.br/


Satyricon

Depois de quase quatro décadas, dá para dizer que o Satyricon já é um verdadeiro clássico do Rio de Janeiro. E a essência do cardápio sempre se manteve igual: receitas mediterrâneas, com carinho por pratos italianos e, especialmente, ingredientes do mar. Tanto é que, logo na entrada, está o aquário com lagostas, cavaquinhas e moluscos vivos – enquanto os peixes são pescados com linha, não com rede, para preservar a integridade da carne. É com essa qualidade que saem da cozinha a lagosta ao thermidor (258 reais), o spaghetti alle vongole (116 reais) e mais uma infinidade de receitas.

Rua Barão da Torre, 192, Ipanema, Rio de Janeiro
http://www.satyricon.com.br/


Ristorantino

RistorantinoRistorantino (Ristorantino/Divulgação)

Não é tarefa simples se manter relevante por quase uma década – ainda mais na disputada categoria de restaurantes italianos. Mas o Ristorantino tirou de letra: com hospitalidade ímpar e ambiente que até parece transportar a clientela à Europa, a casa do restauranteur Ricardinho Trevisani é referência na cidade. É verdade que o cardápio evita ousadias e, em vez de receitas autorais, se dedica a pratos tradicionais, como lasanha com vitela e trufas negras (125 reais); e spaghetti à carbonara (105 reais). Mas funciona. Na semana, há almoço executivo com entrada, principal e sobremesa (125 reais).

Rua Doutor Melo Alves, 674, Cerqueira César, São Paulo
https://www.ristorantino.com.br/


Bottega Bernacca

Bottega BernaccaBottega Bernacca (Bottega Bernacca/Divulgação)

Ainda que o Bottega Bernacca tenha expandido e, atualmente, tenha três restaurantes em São Paulo (SP), todos preservaram essa aura de “pequeno achado”. É verdade que o cardápio se manteve bem ligado às receitas tradicionais da culinária italiana, mas isso não significa que pratos genéricos e sem intervenções – e até mesmo o clássico cacio e pepe (79 reais) recebeu uma pitada de bottarga, como são chamadas as ovas de tainha, por influência de Gerard Barberan. Para quem prefere não arriscar, boas pedidas são carpaccio cipirani (59 reais) e massa artesanal à amatriciana bianca (62 reais).

Rua Padre João Manuel, 826, Jardins, São Paulo
Avenida Brigadeiro Faria Lima, 2232, Jardim Paulistano, São Paulo
Rua Amauri, 244, Itaim Bibi, São Paulo
https://www.instagram.com/bottegabernacca/


Conheça a newsletter da EXAME Casual, uma seleção de conteúdos para você aproveitar seu tempo livre com qualidade.