Um conteúdo Bússola

Rio simula julgamento de vereador que protestou contra assassinato de Moïse

Celebridades do mundo jurídico participam de julgamento simulado de Renato Freitas, vereador de Curitiba, do PT, que pode ter mandato cassado
Vereador invadiu igreja em protesto por morte de angolano no Rio (Facebook/Reprodução)
Vereador invadiu igreja em protesto por morte de angolano no Rio (Facebook/Reprodução)
B
BússolaPublicado em 08/06/2022 às 10:15.

Um julgamento simulado com um réu de verdade vai mobilizar na próxima quinta-feira, 9 de junho, celebridades do meio jurídico de esquerda e direita no TJ-RJ. Estarão presentes desde Kakay, na defesa, até Hélio Bolsonaro, na acusação, passando por Ivone Caetano, a primeira juíza e desembargadora negra do Estado, na presidência.

O réu é Renato Freitas, vereador de Curitiba, do PT, que pode ter seu mandato cassado. Ele é acusado de invadir uma igreja com outros manifestantes, para protestar contra o assassinato do congolês Moïse Kabagambe, ocorrido em janeiro, no Rio, sob motivações racistas.

“Vamos ver o Brasil em julgamento. Em jogo, as liberdades religiosas, de expressão e de manifestação”, diz William Douglas, desembargador federal e coordenador do evento. Curiosidade: Douglas estará na bancada da defesa, embora se considere de direita.

Conheça os times de defesa e acusação:

Equipe de acusação (a favor da cassação):

Paulo Cremoneze, advogado (SP)

Ludmila Lins Grilo, professora de Direito Penal

Bernardo Kuster, diretor de opinião do jornal BSM

Helio Bolsonaro, deputado Federal (PL-RJ)

Equipe de defesa (contra a cassação):

Renato Ferreira, advogado (RJ) e doutorando em Sociologia e Direito (UFF)

Antônio Carlos de Almeida Castro (Kakay), advogado criminalista

Saul Tourinho Leal, advogado (DF) e doutor em Direito Constitucional

William Douglas, professor de Direito Constitucional

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também Como se preparar para uma boa transição de governo em 2023

Podcast A+: eleições 2022 — o que pensam os eleitores a 4 meses das urnas?

Márcio de Freitas: Distraído, Brasil vê o mundo mudar