Um conteúdo Bússola

Nestlé projeta investir R$ 8 milhões em circularidade de embalagens

A diretora Bárbara Sapunar, em entrevista à Bússola, também falou sobre projeto desenvolvido com catadores de material reciclável
Companhia também trabalha para recuperar 70 toneladas de embalagens flexíveis (Stefan Wermuth/Bloomberg/Getty Images)
Companhia também trabalha para recuperar 70 toneladas de embalagens flexíveis (Stefan Wermuth/Bloomberg/Getty Images)
B
Bússola

Publicado em 03/06/2022 às 19:23.

Última atualização em 03/06/2022 às 19:30.

A Nestlé vai investir neste ano mais de R$ 8 milhões em projetos de circularidade de embalagens. A companhia mantém parceria com 260 cooperativas de reciclagem e apoia 8 mil catadores autônomos e cooperados no Brasil. Além disso, a companhia atua em uma jornada que inclui também um trabalho transversal em inovação e estratégias que incluem parcerias e comunicação.

Para falar sobre esse conjunto de iniciativas, a Bússola conversou com Bárbara Sapunar, diretora de sustentabilidade, comunicação e branding da Nestlé Brasil.

Bússola: Como uma empresa como a Nestlé lida com o desafio da reciclagem?

Bárbara Sapunar: A reciclagem é um compromisso compartilhado entre a sociedade e as instituições públicas e privadas. É uma responsabilidade conjunta para um mundo mais sustentável para todos — e quando todos atuam de forma orquestrada, é possível mudar comportamentos.

Na Nestlé, como parte de nossa jornada para a regeneração, temos o compromisso de promover iniciativas para diminuir o uso de material de embalagem e trazer novos materiais com menor pegada, além de olhar para a questão da educação ambiental e engajar nossos consumidores promovendo mudanças de hábitos que podem resultar em um mundo mais sustentável para todos.

E quais são as iniciativas práticas nesse sentido?

Trabalhamos para tornar 100% de nossas embalagens recicláveis e/ou reutilizáveis até 2025, além de nos comprometermos a reciclar 100% do plástico equivalente ao que colocamos no mercado brasileiro — hoje, 97% das embalagens da Nestlé no Brasil são desenhadas para serem recicladas ou reutilizadas.

Já realizamos, por exemplo, a substituição de canudos de plástico por canudos de papel no portfólio de bebidas e 100% das garrafas de iogurte são feitas de plástico reciclado. Com isso, o equivalente a 87 milhões de garrafas feitas de plástico virgem deixaram de ser produzidas por ano e retiramos 450 toneladas de plásticos e 200 toneladas de papel das embalagens de bombons Nestlé em 2021.

Foi assim que surgiu a ideia para a campanha Craques da Seleção?

Nosso compromisso com o tema de resíduos não é de agora. Nosso investimento na cadeia é de longo prazo e nessa jornada aprendemos a admirar o trabalho dos catadores de resíduos. A campanha destaca a importância da reciclagem, dos catadores autônomos e cooperados, que são agentes fundamentais nessa jornada regenerativa: eles são verdadeiros agentes ambientais, responsáveis por aproximadamente 90% da reciclagem no Brasil.

A campanha valoriza o papel dos catadores de material reciclável e reforça a importância da separação de resíduos para a natureza. Ela faz uma analogia ao futebol, um dos esportes mais amados pelos brasileiros, e convoca todas as pessoas a se tornarem craques dessa seleção, que é um compromisso compartilhado também com o governo e sociedade.

E a campanha Craques da Seleção terá seu ápice com circuitos de reciclagem em 16 cidades, onde temos fábricas presentes no país. Cada cidade irá promover uma ação local para a coleta de resíduos recicláveis, além de proporcionar atividades gratuitas para a população, que pode verificar os locais no site.

Quais são os planos para este ano?

Este ano, investiremos mais de R$ 8 milhões em projetos de circularidade de embalagens. Esse investimento reforça nosso compromisso de reduzir o impacto ambiental e promover ações positivas de circularidade — que visa em seu conceito eliminar desperdícios, manter material em uso por mais tempo e regenerar sistemas.

Também contamos com diversas ações de inovação. Em parceria com a startup Yattó, especializada em soluções de economia circular e logística reversa, estamos recuperando 70 toneladas de embalagens flexíveis e fazendo testes para atender os controles de qualidade.

Estamos buscando também parceiros, como o Senai, para desenvolver cadeiras e mesas para escolas com material flexível. Seguindo com foco na circularidade das embalagens, Nescau transformou embalagens de sachês de produtos da marca em itens esportivos circulares — como traves de futebol e cestas de basquete — em um projeto que une inovação e sustentabilidade. E temos também o projeto piloto Innova, para repensar novos modelos de entrega de produto.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | LinkedIn | Twitter | Facebook | YouTube

Veja também