Salles: Operação da PF não tem consistência e Moraes foi induzido a erro

Salles afirmou que ele e os servidores acusados sempre estiveram à disposição para prestar esclarecimentos e sempre agiram dentro do "bom senso, respeito às leis e ao devido processo legal"
 (Ueslei Marcelino/Reuters)
(Ueslei Marcelino/Reuters)
R
Reuters

Publicado em 19/05/2021 às 12:42.

Última atualização em 19/05/2021 às 13:34.

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, afirmou nesta quarta-feira que o inquérito da Polícia Federal em que é investigado em um esquema de facilitação de exportação ilegal de madeira não tem consistência e que o ministro-relator no Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, foi "induzido a erro" pela autoridade policial.

O cenário político e econômico está em constante mudança no Brasil e no mundo. Venha aprender o que realmente importa no Exame Invest PRO

Salles afirmou que não teve acesso ainda aos autos, mas que ele e os servidores acusados sempre estiveram à disposição para prestar esclarecimentos e sempre agiram dentro do "bom senso, respeito às leis e ao devido processo legal".

"Entendemos que esse inquérito, pelo pouco que sabemos, foi feito de maneira que induziu o ministro-relator a erro para dar impressão que teria havido uma ação concatenada de agentes públicos. Essas ações jamais aconteceram", afirmou.

Salles disse ainda que já conversou com o presidente Jair Bolsonaro, a quem teria dito que não há substância nas acusações e tudo deve ser esclarecido rapidamente com o decorrer das investigações.

O podcast SuperAgro vai ao ar todas às quartas-feiras com os principais desafios e oportunidades do agronegócio, com apresentação de Carla Aranha, repórter de macroeconomia da EXAME. Clique aqui para ver o canal no Spotify, ou ouça em sua plataforma de áudio preferida, e não deixe de acompanhar os próximos programas

Fique por dentro das principais tendências das empresas ESG. Assine a EXAME.