Governo de SP: Haddad tem vantagem na capital; Tarcísio e Rodrigo vão melhor no interior

Na pesquisa eleitoral EXAME/IDEIA para o governo do estado de SP, Haddad lidera. Tarcísio e Rodrigo aparecem tecnicamente empatados
Haddad, Rodrigo e Tarcísio: o trio são os primeiros colocados na disputa ao governo de São Paulo. (Renato Pizzutto/Band/Divulgação)
Haddad, Rodrigo e Tarcísio: o trio são os primeiros colocados na disputa ao governo de São Paulo. (Renato Pizzutto/Band/Divulgação)
G
Gilson Garrett Jr

Publicado em 22/09/2022 às 19:05.

Última atualização em 23/09/2022 às 15:40.

Na pesquisa eleitoral EXAME/IDEIA para o governo do estado de São Paulo, Fernando Haddad (PT) está na liderança, com 30% nas intenções de voto no primeiro turno em pergunta estimulada. Logo depois está Tarcísio de Freitas (Republicanos), com 22%, e Rodrigo Garcia (PSDB), que aparece com 18%. Os dois são considerados empatados por estarem dentro da margem de erro de três pontos.

Mas ao colocar uma lupa dos números por região, é possível perceber onde está o eleitor de cada um dos candidatos e em qual local a disputa está mais apertada. O petista tem uma vantagem maior nos municípios da Grande São Paulo - incluindo a capital - enquanto Tarcísio e Rodrigo se saem melhor em regiões do interior do estado.

O ex-prefeito de São Paulo tem uma distância maior justamente na capital, com 32% das intenções de voto. É uma vantagem de 10 pontos para o segundo colocado, Rodrigo Garcia, que tem 22%. Tarcísio aparece com 21%. O petista também tem lidera na região de Campinas, com 30%.

O atual governador, Rodrigo Garcia, e Tarcísio de Freitas disputam eleitores do interior do estado. Na região de São José do Rio Preto, por exemplo, Tarcísio tem 30%, e o candidato à reeleição 20%. Haddad aparece bem atrás, com 9%. Na região de Marília, o ex-ministro aparece em primeiro, com 46% da preferência do eleitorado. Haddad tem 23%, e Rodrigo, 15%.

(Arte/Exame)

Para a pesquisa, foram ouvidas 1.200 pessoas do estado de São Paulo entre os dias 16 e 21 de setembro. As entrevistas foram feitas por telefone, com ligações tanto para fixos residenciais quanto para celulares. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos, com nível de confiança de 95%.

A sondagem foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número SP-06629/2022. A EXAME/IDEIA é um projeto que une EXAME e o IDEIA, instituto de pesquisa especializado em opinião pública. Veja o relatório completo.

Cila vice-presidente do instituto de pesquisa IDEIA lembra que, como a disputa é mais acirrada entre Rodrigo e Tarcísio, a campanha de ambos gasta mais tempo em ataques mútuos.

“A fase de ataques na propaganda eleitoral atingiu negativamente tanto Tarcísio de Freitas quanto Rodrigo Garcia. Os dois candidatos iniciaram a disputa com alto grau de desconhecimento e agora estão tecnicamente empatados tanto na intenção de votos quanto na rejeição", diz.

LEIA TAMBÉM

Rejeição

Em primeiro lugar no primeiro turno, Fernando Haddad também é o mais rejeitado, com 36%. Tarcísio e Garcia têm 15% de rejeição cada. Cila Schulman pontua que esse alto índice do petista é um ponto de atenção, principalmente no segundo turno, que ele entre um dos dois com menor rejeição do eleitorado.

“A eleição de São Paulo ainda pode provocar emoções e reviravoltas nestes últimos dias do primeiro turno, já que 41% dos eleitores ainda não sabem em quem vão votar na pesquisa espontânea, quando não são apresentados aos nomes dos candidatos, e o mesmo índice de 41% diz que pode mudar sua opção de candidato até o dia 2 de outubro”, afirma.

Por região, a maior rejeição a Haddad está no Vale do Paraíba, com 47% do eleitorado dizendo que não votaria no petista de jeito nenhum. Tanto Rodrigo quanto Garcia são mais rejeitados no litoral paulista, ambos com 33% de taxa de rejeição. Na capital, o ex-prefeito tem 36% de rejeição, Tarcísio, 18%, e Rodrigo, 17%.

Veja como foram as últimas pesquisas eleitorais de 2022: