Brasil

Brasil tem terceiro dia seguido com mais de mil mortes por coronavírus

Em 24 horas, o país registrou 1.156 óbitos. O total de vítimas chega a 26.754, segundo o Ministério da Saúde

RECORDE: um dia depois de anunciar a abertura econômica, São Paulo registrou o maior número de casos em 24 horas. (Ingrid Anne/Fotos Públicas)

RECORDE: um dia depois de anunciar a abertura econômica, São Paulo registrou o maior número de casos em 24 horas. (Ingrid Anne/Fotos Públicas)

G
Gilson Garrett Jr., com Estadão Conteúdo

29 de maio de 2020, 17h49

O Brasil tem 26.754 mortes e 438.238 casos confirmados de coronavírus. Foram mais 26.417 testes com resultado positivo em 24 horas, um recorde desde o primeiro caso. Em um dia, foram mais 1.156 vítimas da covid-19. É o terceiro dia consecutivo que os óbitos passam os mil confirmados. Os dados foram atualizados pelo Ministério da Saúde nesta quinta-feira, 28.

Apesar de ser o sexto país mais populoso do mundo, o Brasil é o segundo que mais acumulou mortes em um dia, atrás apenas dos Estados Unidos que registraram 1.415 óbitos, segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, sigla em inglês).

No total, 177.604 pessoas já se recuperam da doença. O Ministério da Saúde programou para amanhã uma apresentação com a análise epidemiológica da pandemia. Mas ainda não divulgou se o ministro interino, Eduardo Pazuello, fará parte da coletiva de imprensa. O cargo de ministro da Saúde está vago há 13 dias, desde que Nelso Teich pediu demissão.

O estado de São Paulo também bateu recorde e registrou 6.382 novos casos de covid-19 em 24 horas. O pico anterior, de 4.092 casos novos em um dia, havia sido alcançado há duas semanas, no dia 15 de maio.

Com o aumento, o estado tem 95.865 pessoas infectadas. O número de mortes subiu para 6.980, com 268 óbitos a mais que no dia anterior.

O alto índice foi registrado um dia depois de o governador João Doria (PSDB) anunciar a reabertura de alguns setores da economia em determinadas regiões, incluindo a capital.

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), apresentou, nesta quinta-feira, 28, o plano de retomada das atividades econômicas do Estado. O estado é o terceiro mais atingido pela pandemia, com 37.821 casos confirmados e 2.733 mortes.

Mesmo com o anúncio de que renovará o decreto de isolamento social, que terminaria neste domingo, 31, algumas atividades poderão voltar a funcionar a partir de 1º de junho, em uma fase de transição.

Os casos confirmados e óbitos em Santa Catarina aumentaram após a reabertura do comércio, incluindo shoppings centers, em 13 de abril. Desde então, o número de mortes mais que dobrou, saltando de 47 para 126. O estado é o que mais tem pessoas infectadas pelo coronavírus na região Sul, com 7.372.