Tecnologia

Amigão quer ajudar a presentear pessoas no aniversário

Startup criada em Goiânia faz espécie de vaquinha para dar presente a pessoas no aniversário

Equipe da startup Amigão (Divulgação/Amigão)

Equipe da startup Amigão (Divulgação/Amigão)

Victor Caputo

Victor Caputo

Publicado em 23 de fevereiro de 2014 às 08h00.

São Paulo – É aniversário de alguém. Você não tem nem disposição, nem dinheiro para comprar alguma coisa para o aniversariante. No final das contas, a escolha mais fácil é chegar no dia com os braços abertos e um sorriso no rosto.

É para resolver esse problema que a startup Amigão, sediada em Goiânia, está trabalhando. Com o serviço, é possível conectar no Facebook e fazer uma espécie de vaquinha para presentear pessoas.

O valor mínimo para o presente é de três reais e não existe máximo. O pagamente deve ser feito em cartão de crédito. Todo o dinheiro vai para um banco que reúne o dinheiro dado por todos os amigos, mesmo que eles não se conheçam.

No final, o presenteado recebe um voucher de compras em alguma das lojas com que o Amigão trabalha, entre elas estão Saraiva, Boticário, Tok&Stok, Dafiti, entre outras.

“É claro que para a mãe, o pai ou a namorada, a pessoa vai ela mesma comprar um presente. Irá gastar mais dinheiro também. O que nós queremos é estimular que as pessoas possam dar presentes para outras de maneira fácil”, explica Egio Arruda Jr., presidente-executivo da Amigão.

A figura do amigão foi criada como um incentivo. Dentro da cada vaquinha, aquele que der o maior valor é eleito o amigão. Ainda assim, o valor dado por cada pessoa não é revelado para ninguém.

Monetização

Para se sustentar, a Amigão escolheu uma forma simples. No momento em que o presenteado pedir que seu voucher seja emitido, a empresa tira 10% do valor. É uma espécie de taxa de serviço e, por enquanto, a única fonte de renda da empresa.

O site entrou no ar no dia 4 de janeiro. Com pouco menos de dois meses, os quatro sócios da empresa já procuram por investimentos. “Dentro de um cronograma de startup, estamos no período de validação. Nesse tempo, fizemos adaptações no site e no serviço. Estamos trabalhando para criar um aplicativo de smartphone e tablet e estamos com potenciais investidores”, contou Arruda Jr.

Acompanhe tudo sobre:BoticárioDafitiEmpresasEmpresas americanasEmpresas de internetempresas-de-tecnologiaFacebookFranquiasindustria-de-cosmeticosInternetlojas-onlineRedes sociaisRocket InternetSaraivaStartupsTok&StokVarejo

Mais de Tecnologia

Empresas chinesas obtêm primeira licença de demonstração de carros inteligentes sem motorista

Apple vê estagnação nas vendas de iPhone enquanto mercado global de smartphones cresce

TikTok impulsiona crescimento da cultura sul-coreana e alcança R$ 777 bilhões

Google deve comprar empresa de cibersegurança por US$ 23 bilhões, diz WSJ

Mais na Exame