Mundo

'Milionários geriátricos': os EUA têm ricos cada vez mais velhos

A crescente acumulação de riqueza nas mãos dos idosos tem impacto nos gastos dos consumidores

19% dos milionários nos EUA têm entre 45 e 54 anos (Gearstd/Thinkstock)

19% dos milionários nos EUA têm entre 45 e 54 anos (Gearstd/Thinkstock)

Publicado em 18 de junho de 2024 às 08h33.

Última atualização em 18 de junho de 2024 às 08h33.

Os milionários dos EUA estão envelhecendo. A idade média das pessoas ricas nos EUA tem aumentado mais rapidamente do que a idade média da população em geral ao longo das últimas três décadas.

Segundo reportagem do Business Insider, o país entrou na era dos milionários geriátricos, e isso pode apontar para algumas questões: trabalhadores mais jovens que não conseguem acumular riqueza ao mesmo ritmo que costumavam e, cada vez mais, a forma de ascender é receber heranças.

Essas novas condições são uma má notícia para aquele conceito do "sonho americano" - quando alguém consegue sucesso dependendo unicamente das próprias forças.  De acordo com a Forbes, um terço das pessoas na sua mais recente lista de bilionários herdou toda ou a maior parte da sua riqueza; na sua classificação de 2001, apenas cinco dos 490 bilionários classificados foram listados como tendo herdado a sua riqueza. E, em muitos casos, esses indivíduos herdam essa riqueza muito mais tarde na vida.

Além dos milionários com patrimônio líquido superior a US$ 1 milhão, os americanos que ganham um salário anual de US$ 1 milhão também estão ficando mais velhos.

Garrett Watson, analista político sênior da Tax Foundation, analisou dados e descobriu que, em 2011, cerca de 59.500 americanos com 65 anos ou mais relataram ganhar mais de US$ 1 milhão; em 2021, esse número quase quadruplicou, com pouco menos de 218.500 americanos com 65 anos ou mais ganhando mais de US$ 1 milhão.

De acordo com a análise do Business Insider, 9,8% dos milionários têm entre 35 e 44 anos. Enquanto isso, 19% dos milionários têm entre 45 e 54 anos.

Millennials preocupados

Segundo a mesma pesquisa do BI, o patrimônio líquido médio dos millennials ronda os US$ 128 mil anuais, em comparação com cerca de US$ 1,2 milhão dos baby boomers, e muitos millennials não se sentem financeiramente seguros face aos elevados custos de habitação e às dívidas de empréstimos estudantis.

Entretanto, os membros da Geração X (nascidos entre 1965 e 1981) precisam lidar com a sua própria precariedade económica. De todas as gerações, são eles os que detêm a maior parte das responsabilidades e são os que mais gastam com habitação. Os membros dessa geração sofre com uma aposentadoria desvalorizada ou com salários que não acompanharam o custo de vida dos últimos anos.

A crescente acumulação de riqueza nas mãos dos idosos tem impacto nos gastos dos consumidores, no emprego, na habitação e muito mais. A geração boomer detém metade do património líquido combinado nos EUA e ficou responsável por 22% de todos os gastos em 2022, de acordo com o Departamento do Trabalho sobre as despesas dos consumidores nos EUA.

Acompanhe tudo sobre:MilionáriosEstados Unidos (EUA)

Mais de Mundo

Esquerda francesa enfrenta impasse para nomear primeiro-ministro; entenda

Brasil observa eleição na Venezuela com ‘preocupação e confiança’, diz Amorim

Eleições EUA: Doadores democratas reterão US$ 90 milhões enquanto Biden permanecer na disputa

Com ocupação de 99%, Reino Unido liberará milhares de detidos para abrir espaço nas prisões

Mais na Exame