Marketing

Brasil ganha e-commerce pelo Facebook

LikeStore mira em dois mercados crescentes no Brasil: o do e-commerce e o da própria rede social

Hoje, internautas cadastrados no Facebook poderão adquirir entradas para o show do Jack Johnson em Recife sem sair da rede (Chris Jackson/Getty Images)

Hoje, internautas cadastrados no Facebook poderão adquirir entradas para o show do Jack Johnson em Recife sem sair da rede (Chris Jackson/Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 19 de maio de 2011 às 10h18.

São Paulo - Foi lançada nesta quarta-feira (18) a LikeStore, serviço online no país que permite a qualquer usuário ou empresa vender produtos diretamente pelo Facebook.

A LikeStore mira em dois mercados crescentes no Brasil: o do e-commerce, que já registrou movimentação de R$ 14,8 bilhões no país em 2010, de acordo com o eBit, e nos quase 20 milhões de brasileiros que utilizam o Facebook.

No primeiro ano, o serviço espera realizar 150 mil transações com um ticket médio de R$ 120, movimentando um montante de R$ 18 milhões.

Inicialmente, o desenvolvimento de lojas com o serviço LikeStore será restrito a grandes parceiros comerciais, como o "Show de Ingressos", especializado na venda antecipada de entradas para grandes shows, parques, cinemas, teatros e eventos em geral.

Hoje, os internautas cadastrados no Facebook poderão adquirir entradas para o show do Jack Johnson em Recife sem sair da rede, além de compartilhar com os amigos a compra feita.

“Já estamos em negociação com outras empresas interessadas em ter o seu F-Commerce, que é como chamamos este tipo de loja, nas próximas semanas. Agora é o momento para criar parcerias com marcas estratégicas para acostumar o brasileiro à ideia de comprar dentro de uma rede social”, explica Gabriel Borges, diretor e idealizador da LikeStore.

Em breve, o serviço estará aberto para qualquer usuário da rede social criar a sua loja.

Neste momento, os usuários do Facebook poderão transformar suas fan pages em uma vitrine de produtos, colocando imagens e descrições.

Ao fazer a adição de um produto, automaticamente o serviço já envia uma mensagem ao seu mural, notificando a lista de amigos. Depois, qualquer um (amigo ou não) poderá acessar a parte do perfil que foi transformada em e-commerce, escolher o que interessa e, sem sair da rede, fornecer informações de compra.

Na LikeStore, os usuários podem compartilhar com amigos, caso desejem, qual compra foi feita. “Isso vai gerando um buzz, que é a grande característica das redes sociais”, comenta Borges. Ao vendedor, resta receber a confirmação de pagamento e despachar o produto.

*Matéria atualizada às 10h17min de 19/05/2011

Acompanhe tudo sobre:e-commerceEmpresasEmpresas americanasEmpresas de internetempresas-de-tecnologiaFacebookInternetRedes sociais

Mais de Marketing

Palco gigante, óculos da Chilli Beans e R$ 2,5 milhões: os planos da Gerdau no Rock in Rio

NBA fecha acordo com Disney, NBC e Amazon – e TNT deixa de transmitir jogos

Uniforme do Brasil para Olimpíadas envolveu mais de 500 profissionais, diz Riachuelo

TNT lança proposta de R$ 10 bilhões para assegurar transmissão da NBA

Mais na Exame