Ações vs. bitcoin: queda da cripto pode ser culpa do mercado americano

Maior criptomoeda do mundo tem apresentado maior volatilidade em horários de negociação de ações
Criptomoedas e ações estão apresentanto tendências de movimento semelhantes: quando uma sobe, a outra acompanha. E vice-versa (SOPA Images/Getty Images)
Criptomoedas e ações estão apresentanto tendências de movimento semelhantes: quando uma sobe, a outra acompanha. E vice-versa (SOPA Images/Getty Images)
Por BloombergPublicado em 24/05/2022 11:56 | Última atualização em 24/05/2022 13:17Tempo de Leitura: 3 min de leitura

(Por Vildana Hajric, da Bloomberg) Criptomoedas, ações, títulos. Quase todos os tipos de investimentos passam por um momento difícil ultimamente. Mas talvez o fraco desempenho do bitcoin possa ser atribuído à volatilidade do mercado de ações americano.

O bitcoin, que é negociado 24 horas por dia, sete dias por semana, tende em grande parte a subir nos fins de semana, e a moeda não apresenta movimentos anormais aos sábados e domingos entre 9h30 e 16h de Nova York, que é o horário de funcionamento do mercado de ações americano durante a semana.

Mas de segunda a sexta-feira, tudo muda, segundo análise do Bespoke Investment Group.

Veja também
Autor de Pai Rico, Pai Pobre comenta Fórum de Davos e recomenda bitcoin
Queda do bitcoin apresenta boa oportunidade de lucro, apontam analistas

Antes das ações abrirem durante a semana, a maior criptomoeda do mundo tende a ser negociada relativamente estável. Mas quando o mercado abre, o bitcoin cai “de um penhasco”, com declínios médios de cerca de 1,5% durante o horário do mercado. Quando a negociação de ações dos EUA termina, o token volta a ser negociado de lado por algumas horas e depois tende a subir das 20h à meia-noite, segundo a Bespoke.

“Basicamente, todo o declínio do bitcoin no último mês ocorreu quando os mercados dos EUA estavam abertos”, disseram estrategistas da Bespoke em nota. “Isso nos sinaliza que os declínios recentes do bitcoin foram mais devidos a investidores levantando dinheiro e vendendo ativos de forma mais ampla do que uma tendência mais específica do bitcoin.”

Os analistas notaram durante todo o ano que criptomoedas e ações andaram juntas quando se trata de seus movimentos. Quando um sobe em um determinado dia, o outro tende a seguir e vice-versa. As correlações entre ações e bitcoin têm sido fortes, e a relação é ainda mais pronunciada entre a moeda e as ações de tecnologia, que às vezes podem ser consideradas apostas mais especulativas no mercado.

O coeficiente de correlação de 90 dias do bitcoin e o principal indicador de tecnologia agora está acima de 0,68, entre as leituras mais altas nos dados da Bloomberg desde 2010. Um coeficiente de 1 significa que os ativos se movem em sincronia, enquanto -1 mostraria que se movem em direções opostas.

Não perca as últimas tendências do mercado: assine a EXAME por menos de R$ 0,37 e receba notícias em primeira mão

Todos os tipos de ativos mais arriscados estão em perigo neste ano, à medida que o Federal Reserve (Fed, banco central americano) remove lentamente as políticas que havia implementado para ajudar a economia dos EUA durante a pandemia.

“Além da ação de preço mais estável do bitcoin nos fins de semana e fora do horário normal do mercado, o sentimento de risco nos mercados de ações durante o horário normal de negociação dos EUA parece estar desempenhando um papel significativo no motivo pelo qual o bitcoin viu quedas tão grandes quase exclusivamente durante o horário do mercado nos EUA”, disse Bespoke na nota. “Essencialmente, enquanto o mercado de ação dirige o táxi, o bitcoin tem sido o passageiro involuntário na parte de trás.”