Quais são as ações mais baratas da bolsa?

Existe uma busca incessante para encontrar as ações mais baratas da bolsa, ou seja, com preços descontados
 (Reprodução/Getty Images)
(Reprodução/Getty Images)
D
Da RedaçãoPublicado em 16/11/2022 às 16:53.

Seja na alta, baixa ou mesmo sem tendência, não importa em que estágio do ciclo do mercado esteja, algumas pessoas sempre querem saber quais são as ações mais baratas da bolsa para investir.

Existe uma busca incessante para encontrar as ações mais baratas da bolsa, ou seja, com preços descontados. Afinal, pagar menos por papéis com potencial de triplicar o valor, por exemplo, ou que possam ter grandes valorizações, se tornou um dos principais objetivos. 

Por isso, os investidores procuram as ações mais baratas da bolsa hoje para investir, visando utilizar uma das estratégias mais antigas do mercado financeiro: comprar na baixa e vender na alta.

Dificuldade na procura 

Em primeiro lugar, é importante notar que as ações mais baratas da bolsa não são aquelas que têm apenas um valor nominal menor, mas aquelas que envolvem a compra de ações de empresas sólidas, mas que estão subvalorizadas em relação aos seus principais concorrentes.

Sabemos que os consumidores não têm problemas em encontrar descontos ou promoções. Basta abrir um jornal ou visitar qualquer site de notícias e as ofertas aparecerão. No entanto, as pessoas que procuram as ações baratas hoje para investir muitas vezes nem sabem por onde começar.

Infelizmente, geralmente as ações que recebem mais atenção são aquelas com mais hype por trás delas. Em outras palavras, essas ações superexpostas geralmente são as que apresentam os retornos mais baixos porque os investidores “aumentaram” seus preços, o que pode ser fatal para um portfólio.

A verdade é que, essa dificuldade na busca pelas ações mais baratas da bolsa para investir se deve, em muitos casos, ao desconhecimento ou pouco conhecimento dos indicadores de análise fundamentalista.

Muitos se atraem pelo discurso de ganhos rápidos. Mas tentar escolher ativos por conta própria sem nem sequer saber o que é bolsa de valores e como funciona, pode gerar decisões erradas de investimento.

Como encontrar as ações mais baratas da bolsa?

Ações subvalorizadas são aquelas cujo preço está abaixo de seu valor real, ou seja, do valor “justo”. Essas ações se depreciaram por vários motivos, incluindo popularidade da empresa, notícias negativas e quedas do mercado de ações.

Uma suposição primordial da análise fundamentalista é que os preços de mercado serão corrigidos ao longo do tempo para refletir o valor justo do ativo, criando oportunidades de lucro. 

Desse modo, encontrar ações subvalorizadas não é apenas encontrar ações mais baratas da bolsa. A chave é procurar ações de qualidade com preços abaixo de seu valor justo, em vez de ações sem valor com preços muito baixos. A diferença é que as ações de alta qualidade tendem a aumentar de valor no longo prazo.

Em suma, a importância da análise fundamentalista está na compreensão do valor intrínseco da empresa, analisando o comportamento da empresa, previsões de desempenho, decisões de gestão, cálculos de risco de crédito e outras previsões financeiras.

A análise fundamentalista ajuda a identificar as empresas com alto potencial de crescimento e um retorno muito alto sobre esse investimento. A maioria dos outros investidores ignora empresas subvalorizadas. 

No entanto, se o mercado eventualmente perceber o valor da ação e o preço subir à medida que novos investidores entrarem, o investidor poderá vender por um valor bem mais alto. Contudo, como encontrar ações subvalorizadas, particularmente no ambiente de investimento atual? Aqui estão algumas das principais métricas para ajudá-lo:

Relação Preço/Lucro (P/L)

A relação preço/lucro (P/L) é um ponto de partida típico para avaliar qualquer ação que os investidores estejam pensando em comprar. Essencialmente, mostra quanto uma pessoa tem que gastar para obter R$ 1 de lucro, sendo usada para encontrar as ações mais baratas da bolsa.

Uma baixa relação P/L pode significar que uma ação está subvalorizada. O índice P/L é calculado dividindo o preço por ação pelo lucro por ação. O lucro por ação é calculado dividindo o lucro total de uma empresa pelo número de ações em circulação.

Por exemplo, o investidor compra ações da empresa X a R$ 50 por ação, e a X tem 10 milhões de ações em circulação e obtém um lucro de R$ 100 milhões. Isso significa que o lucro por ação é de R$ 10 (R$ 100 milhões/10 milhões) e o índice P/L é igual a 5 (R$ 50/R$ 10). Portanto, o investidor terá que investir R$5 para cada R$ 1 de lucro.

Retorno sobre o patrimônio líquido (ROE)

O ROE é uma porcentagem que mede a lucratividade de uma empresa em relação ao seu patrimônio. O ROE é calculado dividindo o lucro líquido pelo patrimônio líquido. 

Um ROE alto pode significar que as ações estão subvalorizadas, porque a empresa está gerando muito lucro em relação ao valor do investimento dos acionistas, sendo um dos indicadores para achar as ações mais baratas da bolsa.

Exemplo de ROE: a X tem um lucro líquido (receita menos passivos) de R$ 90 milhões e patrimônio líquido de R$ 500 milhões. Portanto, o ROE é igual a 18% (R$ 90 milhões/R$ 500 milhões).

Rendimento em dividendos e JCP

O rendimento de dividendos (DY) é o termo usado para descrever os dividendos anuais de uma empresa, ou seja, a parte do lucro paga aos acionistas, em comparação com o preço das ações. 

Para calcular a porcentagem, basta dividir o dividendo anual pelo preço atual da ação. Investidores gostam de empresas com bons rendimentos de dividendos, porque isso pode significar mais estabilidade e lucros substanciais.

Exemplo de rendimento de dividendos: a X paga dividendos de R$ 5 por ação todos os anos. O preço atual da ação é de R$ 50, o que significa que o rendimento de dividendos é de 10% (R$ 5/R$ 50).

Por fim, para ser justo, é importante observar que os investidores devem evitar visualizar essas métricas isoladamente. Todo investimento tem riscos, assim como ações subvalorizadas. Se algo sobre análise fundamentalista o incomoda, ou por outros motivos, os fundamentos sobre o investimento mudaram, considere não investir ou encerrar sua posição.

Quais são as ações mais baratas da bolsa brasileira?

Agora, depois da parte teórica, daremos uma olhada nas ações mais descontadas da B3 com enorme potencial de crescimento no longo prazo.

1. Banco do Brasil (BBAS3)

Após o resultado das eleições de 2022, muitos investidores temiam uma possível interferência na estatal, um dos maiores bancos e instituições financeiras do mercado nacional.

Como resultado, BBAS3 teve uma queda expressiva, saindo de R$ 38,57 no dia 28/10 (antes do resultado da eleição) para R$ 36,66 no dia 31/10 (após resultado da eleição). No entanto, tudo indica que o mercado precificou o pior, com o ativo sendo negociado em um múltiplo muito baixo, próximo ao seu menor valor histórico, sugerindo uma excelente oportunidade de compra.

As estimativas são baseadas no:

  • Múltiplo preço/lucro em 4,55 vezes (segundo dados do status invest), sendo um dos menores múltiplos que o ativo já negociou na história;
  • Pagamentos de dividendos e JCP expressivos
  • Registro do lucro líquido em R$ 7,6 bilhões no 2T22, aumento trimestral de 14,5% e acréscimo de 38% em relação ao mesmo período do ano anterior. 

2. Petrobras (PETR4)

Uma das empresas mais tradicionais da bolsa, a Petrobras, passou por uma grande queda pós-eleição. Uma das métricas mais utilizadas para análise da empresa é o EV/Ebitda, que mostra por quanto tempo seu lucro operacional pode pagar pelos investimentos de aquisição. Em outras palavras, nos ajuda a entender a capacidade da empresa em gerar lucro (caixa).

Atualmente, segundo dados da Status Invest, o EV/Ebitda da Petrobras encontra-se em 1,69%, negociado abaixo do seu histórico, sugerindo uma oportunidade de compra.

As estimativas são baseadas no:

  • Lucro líquido de R$ 54,3 bilhões no 2T22, alta de 26,8%;
  • O custo do refino por barril no Brasil totalizou US$ 1,84 no 2T22, com alta de 12,8% em relação a 2T21;
  • A receita de vendas atingiu R$ 170,9 bilhões no 2T22, apresentando alta de 54,4% em relação a 2T21.

No entanto, é importante observar como o candidato eleito atuará no controle do preço da gasolina, pois os preços mais baixos dos combustíveis podem criar dissonância com os mercados internacionais, dificultando o repasse da empresa ao consumidor final. Em outras palavras, a lucratividade da empresa pode ser afetada.

3. Via (VIIA3) - antiga Via Varejo 

A Via (antiga Via Varejo) administra a Casas Bahia e o Ponto Frio, dois importantes varejistas brasileiros que atuam no mercado de eletroeletrônicos e móveis por meio de lojas físicas, e-commerce e marketplaces.

As estimativas de compra para VIIA3 são baseadas em:

  • Ganho de market share pós-pandemia, com aproximadamente 14,3%, o dobro se comparado com o início da atual gestão no 3T19;
  • 12,2 milhões de clientes totais 32% a mais do que em 2T21;
  • 11,7 bilhões de TPV total, 21% a mais do que em 2T21.

Do ponto de vista do investidor, cabe uma observação importante. Apesar de alguns exemplos de empresas descontadas, isso não significa que são ações que devem ser investidas nesse momento. 

Os exemplos são para ilustrar quais são análises que o investidor pode fazer, mas a decisão de investir ou não vai de acordo com sua estratégia e perspectivas para a empresa no futuro, com base no cenário atual. Assim, as ações colocadas não representam, em nenhuma hipótese, qualquer recomendação de investimento.

Foi possível saber quais são as ações mais baratas da bolsa? Confira também outros conteúdos como esse no nosso Guia de Investimentos, como:

Que horas abre a bolsa de valores?
O que é a Bolsa de Valores? E o que é a B3?
O que é taxa Selic?