Código do Banco: Para que serve? Quando utilizar?

Os pagamentos eletrônicos estão se tornando mais populares e mais métodos estão disponíveis

Banco Inter: atendimento pelo chatbot Babi (Divulgação/Divulgação)
Banco Inter: atendimento pelo chatbot Babi (Divulgação/Divulgação)
Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 11 de janeiro de 2024 às 11h52.

Última atualização em 7 de fevereiro de 2024 às 10h45.

Estabelecendo todas as informações importantes que os clientes têm ao lidar com instituições financeiras, os códigos bancários são usados ​​para enviar e receber depósitos usando redes e sistemas. Mas onde fica o código do banco?

Os pagamentos eletrônicos estão se tornando mais populares e mais métodos estão disponíveis. Porém, uma coisa não mudou: ao transferir dinheiro eletronicamente para outra carteira, conta ou instituição, é necessário que o cliente saiba onde fica o código do banco, que serve como um número de identificação.

Confira o simulador que ajuda a escolher os melhores produtos para investir

O que é o código do banco?

De forma simples, os códigos dos bancos são códigos numéricos atribuídos a um determinado banco para identificá-lo em transações financeiras, por exemplo, as transferências bancárias.

No caso do Brasil, o código é um número formado por três dígitos, conhecido como Compe, o Código do Sistema de Operações Monetárias e Compensação de Outros Papéis, identificando os bancos em caso de Ordem de Crédito (DOC) ou Transferência Eletrônica Disponível (TED).

Para que serve esse código?

O código do banco desempenha um papel crucial nas transações financeiras, facilitando a comunicação e a interoperabilidade entre diferentes bancos.

Esse código é essencial em diversos contextos, como transferências eletrônicas, compensação de cheques, pagamentos de boletos e outras transações interbancárias.

Na transferência de fundos, por exemplo, o código do banco é utilizado para identificar a instituição de destino, garantindo que o dinheiro seja corretamente direcionado.

Além disso, o código do banco também desempenha um papel fundamental no Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB), contribuindo para a eficiência e segurança do sistema financeiro como um todo.

Portanto, o código do banco é uma peça-chave na infraestrutura financeira, promovendo a integração e a fluidez nas operações bancárias, proporcionando uma base sólida para a dinâmica economia moderna. O TED ou DOC, por exemplo, fazem uso desse tipo de dado para suas transferências.

O que acontece se usar o código errado?

Digitar o código do banco incorreto em uma transação financeira pode resultar em diferentes cenários, dependendo do tipo de operação e das salvaguardas do sistema bancário.

Em muitos casos, a transação não é concluída com sucesso e pode ser rejeitada. Isso ocorre porque o código do banco é crucial para a identificação correta da instituição financeira de destino.

Se a transação envolver transferência de fundos, a informação do banco errada pode levar os recursos a serem encaminhados para uma instituição não intencionada

 Em alguns casos, os sistemas de segurança bancária podem detectar inconsistências nos dados e bloquear a transação para evitar erros ou fraudes.

No caso de pagamentos de boletos ou compensação de cheques, erros no código do banco podem resultar em atrasos no processamento da transação, enquanto os sistemas tentam reconciliar as informações.

É importante salientar que, em geral, os sistemas bancários são projetados com mecanismos de verificação para evitar problemas decorrentes de erros nos códigos.

No entanto, é sempre recomendável verificar cuidadosamente as informações antes de realizar transações financeiras, para garantir a precisão e o êxito da operação e evitar gastos, permitindo assim que o usuário economize dinheiro.

Caso ocorra um equívoco, é aconselhável entrar em contato com o banco para buscar orientação sobre como corrigir a situação.

Como os códigos bancários realmente funcionam?

Quando os bancos enviam pagamentos, eles contam com uma rede de bancos correspondentes. Esses bancos correspondentes trabalham juntos para mover os fundos dos clientes de um lugar para outro antes de finalmente chegar ao destinatário pretendido. Sendo assim, o código do banco é usado para garantir que o pagamento vá para o banco correto.

Do lado do cliente, é um processo simples. Após obter o código do banco do destinatário e confirmar que está correto, basta visitar a agência local e solicitar a transferência. Alternativamente, o cliente pode pagar usando sua conta bancária online. 

Quando é necessário informar o código do banco?

O código do banco é geralmente necessário em várias situações financeiras, como ao realizar transferências eletrônicas, pagar boletos, depositar cheques ou realizar outras transações interbancárias.

Na transferência de fundos, seja entre contas próprias ou para terceiros, o código do banco é essencial para identificar a instituição financeira de destino, garantindo a correta rota do dinheiro.

Ao efetuar o pagamento de boletos, o código do banco é requisitado para direcionar os recursos ao banco específico responsável pelo recebimento da quantia.

Nos depósitos por meio de cheques, a informação do código do banco assegura que os fundos sejam creditados na instituição bancária correta.

Ou seja, sempre que houver a necessidade de especificar a instituição financeira envolvida em uma transação, seja para transferências, pagamentos ou depósitos, o código do banco se torna importante para executar essas operações corretamente. Isso é válido tanto para bancos de investimentos quanto para bancos comerciais, de câmbio e outros.

Mas onde fica o código do banco?

Para encontrar a instituição financeira que o cliente deseja no internet banking com mais comodidade, basta digitar “Ctrl+F” no Windows ou “Command+F” no IOS, e pesquisar pelo nome do banco. No celular, o menu do navegador terá uma opção chamada “Localizar na página” ou algo semelhante.

Como usar o código do banco?

Após encontrar onde fica o código do banco, basta transferir o dinheiro, informando esse número de identificação. Para transferir fundos entre diferentes bancos, os clientes geralmente precisam de:

  • Código do banco de destino dos recursos;
  • Nome do banco do destinatário;
  • Agência (sem o dígito) do destinatário;
  • Conta (com o dígito) do destinatário;
  • CPF ou CNPJ do destinatário;
  • Tipo de conta: conta-corrente, poupança, investimento ou pagamento;
  • Finalidade da operação: escolha na lista qual é a finalidade que mais se encaixa no motivo da transferência;
  • Valor da transferência.

Importante destacar que, o código do banco também é utilizado para compensação de cheques, no entanto, uma vez que este meio de pagamento está obsoleto, podemos dizer que este código é utilizado maioritariamente para transferências bancárias.

O que acontece se o cliente colocar o código do banco errado?

O código do banco deve ser informado para identificar corretamente a instituição financeira para a qual os recursos serão transferidos. Em alguns sistemas, como caixas eletrônicos, pode não ser necessário inserir esse código. No entanto, geralmente é necessário durante as operações online.

Mas não há motivos para preocupação, se o cliente fizer uma transferência e digitar o número do banco errado, a transferência será provavelmente devolvida. Assim, quando souber onde fica o código do banco correto, a transação poderá ser realizada novamente.

Contudo, quando estiver fazendo uma operação, seja ela de TED ou DOC, é importante que todos os dados estejam corretos. Afinal, os nomes dos destinatários e a exatidão do CPF ou CNPJ não são verificados automaticamente.

Pix: evolução das transações financeiras 

Por mais que o cliente da instituição financeira não entenda sobre o código, ele não deve se preocupar. Hoje existem alternativas mais fáceis, como o Pix, sistema financeiro criado pelo Banco Central. Este sistema de pagamento instantâneo permite que as pessoas troquem valores entre bancos sem nenhum problema.

Para isso, o cliente precisa apenas da chave Pix da pessoa ou empresa que deseja transferir desta forma. Essa chave pode ser um número de telefone, CNPJ/CPF ou qualquer código de caractere aleatório.

Após inserir a chave Pix, o banco exibirá os dados completos do beneficiário ou da empresa. Em seguida, basta confirmar e o dinheiro será creditado na conta desejada imediatamente.

Em suma, quando a empresa ou pessoa física destinatário terminar de digitar a chave, o banco exibe os dados completos com aprovação instantânea.

Confira o simulador que ajuda a escolher os melhores produtos para investir

Tabela com os códigos bancos

Abaixo encontra-se uma lista com os principais códigos dos bancos brasileiros, para não ter dúvidas na hora de inserir essa informação em uma transferência bancária:

  • Código da Caixa Econômica Federal: 104;
  • Código do Nubank: 260;
  • Código do Banco AJ Renner: 654;
  • Código do Banco Bonsucesso: 218;
  • Código do Banco Bradesco: 237;
  • Código do Banco BTG Pactual: 208;
  • Código do Banco BVA: 044;
  • Código do Banco Clássico: 241;
  • Código do Banco Cruzeiro do Sul: 229;
  • Código do Banco da Amazônia: 003;
  • Código do Banco Daycoval: 707;
  • Código do Banco de Crédito e Varejo (BCV): 250;
  • Código do Banco de Pernambuco: 024;
  • Código do Banco do Brasil: 001;
  • Código do Banco do Estado do Pará: 037;
  • Código do Banco do Estado do Rio de Janeiro: 029;
  • Código do Banco do Estado do Rio Grande do Sul: 041;
  • Código do Banco do Nordeste do Brasil: 004;
  • Código do Banco Gerdau: 734;
  • Código do Banco Industrial do Brasil: 604;
  • Código do Banco Inter: 077;
  • Código do Banco J. Safra: 074;
  • Código do Banco JBS: 079;
  • Código do Banco Lemon: 065;
  • Código do Banco Luso Brasileiro: 600;
  • Código do Banco Modal: 746;
  • Código do Banco Morgan Stanley: 066;
  • Código do Banco Neon: 735;
  • Código do Banco Original: 212;
  • Código do Banco Rural Mais: 072;
  • Código do Banco Safra: 422;
  • Código do Banco Santander: 033;
  • Código do Banco Simples: 749;
  • Código do Banco Sumitomo Mitsui Brasileiro: 464;
  • Código do Banco Topázio: 082;
  • Código do Banco Triângulo: 634;
  • Código do Banco Votorantim: 655;
  • Código do Banco VR: 610;
  • Código do Banco Western Union do Brasil: 119;
  • Código do C6 Bank: 336;
  • Código do Citibank: 477;
  • Código do Hipercard Banco Múltiplo: 062;
  • Código do Itaú Unibanco: 341;
  • Código da Stone Pagamentos: 197;
  • Código do PagBank: 290;
  • Código do PicPay: 380;
  • Código do Banco Itaú BBA S.A.: 184;
  • Código do Banco Cooperativo Sicredi S.A.: 748;
  • Código da XP Investimentos CCTVM S.A.: 102;
  • Código do Banco JPMorgan S.A.: 376. 

Qual a diferença entre código COMPE e ISPB?

Os códigos bancários, como o caso do COMPE e do ISPB, são utilizados para transmitir e receber pagamentos de depósitos por meio de redes e sistemas de instituições financeiras. Nesse sentido, as transações bancárias são normalmente referidas pelos seus nomes e abreviaturas que não são conhecidas do público em geral. 

COMPE e ISPB têm funções muito semelhantes. A diferença está na simples facilidade de uso do COMPE, com seus dígitos sendo menores que o ISPB. Em última análise, é importante reconhecer que nem todos os bancos possuem um código COMPE. Neste caso, o ISPB é o único meio de identificação do banco em questão.

Porém, em relação aos bancos mais importantes do Brasil, todos possuem um COMPE, o que torna mais simples sua utilização. Ambos os códigos são significativos porque garantem que as transações sejam processadas com precisão e eficiência. 

Sem esses códigos seria difícil para as instituições financeiras reconhecerem-se umas às outras e transferirem transações entre elas. Isso poderia gerar atrasos no processamento e possivelmente a erros ou perda de transações. 

A diferença entre código COMPE e ISPB pode ser melhor explicada a seguir, com as definições mais precisas de cada um dos termos.

COMPE

A sigla COMPE é o Sistema de Compensação de Cheques e Outros Papéis, sendo responsável pelo processamento da compensação interbancária de recursos, feito por meio do pagamento de contas entre instituições financeiras.

O COMPE é um código que tem apenas três dígitos e serve para identificar os diferentes bancos, para diferenciar os depósitos. Seria semelhante ao sistema de numeração de cada banco do sistema.

Este código é empregado tanto pelos clientes que realizam DOC quanto de TED, tendo como principal papel identificar o banco de destino de uma quantia específica de dinheiro em transações como depósitos ou transferências.

Para elucidar melhor tal explicação, observe o COMPE abaixo:

  • Nome do Banco: Banco Itaú;
  • Código do Banco: 341 (COMPE);
  • Agência: XXX (com cada agência tendo uma numeração);
  • Conta: 00000-0 (com cada cliente possuindo um número exclusivo).

ISPB 

O sistema bancário foi totalmente desenhado para maximizar o número de transações e, ao mesmo tempo, minimizar o número de erros, sem que nenhuma das contas seja do mesmo banco.

Tal realidade é possível graças ao ISPB. A sigla refere-se ao Identificador de Sistema de Pagamento Brasileiro, formado por um código de 8 dígitos. Assim, como o nome indica, o ISPB visa reconhecer os bancos no Sistema de Transferência de Reservas (STR) do Banco Central, considerado o coração do Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB), onde ocorre a liquidação final de todas as obrigações. 

Abaixo uma lista com o ISPB das entidades financeiras mais utilizadas do país:

  • Banco do Brasil – 00000000;
  • Bradesco – 60746948;
  • Citibank – 33479023;
  • Santander – 90400888;
  • Itaú – 60701190.

Veja abaixo a relação de COMPE e ISPB das principais instituições bancárias do país.

Nome do Banco

COMPE

ISPB

Itaú

341

60872504

Bradesco

237

60746948

Caixa Econômica Federal

104

00360305

Banco do Brasil

001

00000000

Santander

033

90400888

Banrisul

041

92702067

Citibank

745

33479023

Intermedium

077

00416968

Banco Original

212

92894922

Mercantil do Brasil

389

17184037

Banco Neon

735

00253448

Confira o simulador que ajuda a escolher os melhores produtos para investir

Foi possível saber onde fica o código do banco? Acompanhe outros conteúdos do Guia de Investimentos da EXAME Invest.

Banco Central: conheça a importância do Bacen e como ele funciona 
O que são bancos de investimento e como eles funcionam? 
Quais são os tipos de bancos que existem? 

Acompanhe tudo sobre:BancosGuia de Investimentos

Mais de Invest

Dólar hesita com relato de fluxo comercial, mas retoma alta por exterior e fiscal

Dividendos da Petrobras, Vibra, balanços, IPCA-15 e PCE: os assuntos que movem o mercado

Calendário de licenciamento de 2024: Detran-SP divulga datas para pagamento; veja

Mais na Exame