ANBIMA: o que é, como ela atua e tudo sobre suas certificações

ANBIMA é a sigla para Associação Brasileira de Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais
 (Getty/Getty Images)
(Getty/Getty Images)
D
Da RedaçãoPublicado em 21/11/2022 às 10:58.

A ANBIMA é, de fato, uma entidade com uma importância muito grande no contexto do mercado de capitais brasileiro.

Uma vez que a ANBIMA é a entidade que cuida de diversas certificações para o mercado financeiro, vários profissionais buscam se preparar para suas avaliações para poderem atuar na área.

Por isso, é fundamental conhecer mais sobre essa instituição e suas certificações, pois ela é fundamental para a bolsa de valores e o mercado financeiro em geral.

O que é ANBIMA? 

ANBIMA é a sigla para Associação Brasileira de Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais. Essa é a organização que fica responsável por boas práticas para as instituições que participam do setor de finanças. 

A entidade nasceu no ano de 2009, sendo uma parceria de duas outras instituições: a Associação Nacional das Instituições do Mercado Financeiro (Andima) e a Associação Nacional dos Bancos de Investimento (Anbid). Ou seja, já possui um histórico de atuação relativamente grande.

Além disso, quando se fala sobre o que é Anbima, é importante notar que ela é uma entidade autorreguladora, criando normas para garantir que haja transparência e segurança no mercado financeiro e de capitais.

Sendo assim, as instituições financeiras e entidades que são associadas devem seguir as suas regras, visando a prestação de serviços financeiros com boa qualidade e promovendo uma maior proteção para o investidor.

Ou seja: os bancos de investimento e os bancos múltiplos que atuem com carteiras de investimento devem seguir as diretrizes dessa instituição. Sendo assim, é um ente fundamental para os ativos de renda variável, por exemplo.

Por fim, a ANBIMA também atua com projetos com o objetivo de melhorar a atuação das instituições financeiras parceiras. Seus pilares de atuação são 4: informar, representar, autorregular e educar.

O que a ANBIMA faz?

A função da Anbima, basicamente, é proteger o mercado financeiro através de regulamentações e projetos educacionais e informacionais. Dessa forma, as empresas passam a atuar da forma apropriada e os investidores ficam satisfeitos.

De fato: o mercado financeiro é amplo e tem crescido bastante no Brasil. Por isso, um objetivo da Anbima é divulgar informações sobre o setor da forma apropriada, garantindo transparência nos acontecimentos.

Por exemplo: a Anbima traz a regulamentação para boas práticas nos fundos de investimentos. Sendo assim, o fundo precisa seguir essas diretrizes e promover ao investidor o acesso às informações necessárias.

Assim, o investidor fará uma alocação de capital mais apropriada, pois saberá se determinado investimento é mais apropriado ao seu perfil de investidor ou não.

A Anbima também possui certificações, fazendo uma regulamentação através destas sobre qual tipo de profissional pode atender no mercado financeiro.

As normas são voluntárias, mas, a partir do momento em que são aceitas, os entes que estão associados à Anbima devem segui-las. No entanto, é obrigatório observar os códigos para aqueles associados que exercem atividades que são autorreguladas.

E, caso alguma instituição descumpra alguma regra, é possível sofrer penalidades. As sanções estão no código da Anbima e podem ser: multas, advertências, suspensão do selo da associação e, por fim, exclusão.

Quais as certificações da ANBIMA? 

De fato: além de investir, muitas pessoas podem querer atuar no mercado de capitais e buscar recomendar produtos de investimentos para clientes, entre outras funções.

Nesse sentido, existem as certificações Anbima. Para atuar em determinadas funções, é preciso ter uma certificação que exige a realização de uma prova.

As provas envolvem uma série de questões e um tempo para que sejam respondidas. Dependendo da certificação, pode haver questões com cálculos ou não.

É possível estudar através de cursos e simulados para as avaliações, que envolvem conhecimentos de economia, contabilidade, investimentos e áreas relacionadas. 

Existem várias certificações, cada uma permitindo ao profissional realizar uma determinada atividade.

As certificações são:

  • CPA-10;
  • CPA-20;
  • CEA;
  • CFG;
  • CGA;
  • CGE.

1. CPA-10 

A CPA-10 (sigla para Certificação Profissional ANBIMA – Série 10) é voltada para os profissionais que querem atuar na distribuição de investimentos.

Seu público-alvo são funcionários de bancos privados e outros órgãos. O certificado possui validade de 5 anos para os profissionais de instituições associadas e 3 anos para os que não são atuantes.

2. CPA-20 

Em segundo lugar, a Certificação Profissional ANBIMA – Série 20 (CPA-20) é voltada para aqueles que trabalham com a comercialização de produtos de investimentos para clientes do varejo de alta renda ou para investidores institucionais.

Vale notar que essa certificação permite trabalhar com todas as funções relacionadas ao CPA-10. Assim como a anterior, muitos funcionários de bancos privados procuram fazer essa certificação.

3. CEA

O CEA, sigla para Certificação ANBIMA de Especialistas em Investimento, é uma certificação que permite ao profissional trabalhar como especialista em investimento. 

Esse profissional pode recomendar produtos de investimentos para diversos tipos de clientes, além de assessorar gerentes de contas.
Por fim, vale notar que o CEA pode atuar nas funções tanto do CPA-20 quanto do CPA-10. Também é uma certificação muito buscada por quem trabalha em bancos.

4. CFG 

A CFG, Certificação ANBIMA de Fundamentos em Gestão, é voltada para quem quer atuar na gestão de recursos de terceiros. Esse certificado dá uma fundação técnica para atuar na gestão de recursos.

Esse certificado é voltado, por exemplo, para quem quer atuar em uma empresa de asset management. Essa é uma certificação obrigatória para quem deseja ser CGA ou CGE.

5. CGA 

CGA é a sigla para Certificação de Gestores ANBIMA. Essa certificação prepara profissionais para atuarem como gestores de fundos de renda fixa, multimercado, cambiais e de ações.

Esse é um certificado obrigatório para quem faz a compra e venda de ativos no fundo de investimento. Ou seja: um gestor de fundo precisa ter essa certificação para atuar.

6. CGE 

Por fim, o CGE é a sigla para Certificação de Gestores ANBIMA para Fundos Estruturados. Tem como foco a indústria de produtos estruturados.

Ou seja: com essa certificação, é possível ser gestor de fundos de investimento imobiliário, fundos de investimento em participação e fundos de investimento em direitos creditórios.

Assim como o anterior, também é obrigatório para quem faz a negociação dos ativos dos fundos citados acima.

Confira também outros conteúdos como esse no nosso Guia de Investimentos, como:

Que horas abre a bolsa de valores?
O que é a Bolsa de Valores? E o que é a B3?
O que é taxa Selic?

 

Veja Também

O que é Custo Efetivo Total (CET) e como funciona?
seloGuia
Há 16 horas • 4 min de leitura

O que é Custo Efetivo Total (CET) e como funciona?

O que é tape reading e como funciona?
seloGuia
Há um dia • 4 min de leitura

O que é tape reading e como funciona?

As 10 maiores empresas do mundo [2022]
seloGuia
Há 2 dias • 6 min de leitura

As 10 maiores empresas do mundo [2022]

O que são rendimentos tributáveis?
seloGuia
Há 5 dias • 6 min de leitura

O que são rendimentos tributáveis?

Como resgatar caderneta de poupança antiga?
seloGuia
Há 6 dias • 6 min de leitura

Como resgatar caderneta de poupança antiga?

7 investimentos isentos de imposto de renda
seloGuia
Há uma semana • 6 min de leitura

7 investimentos isentos de imposto de renda

O que é Fan Token e como funciona?
seloGuia
Há 2 semanas • 5 min de leitura

O que é Fan Token e como funciona?