ESG

Material reciclado e objetos de segunda mão: como nasceu o castelo europeu de 5 andares

Apesar da aparência medieval, a obra foi feita há pouco mais de três décadas no meio das planícies dos Países Baixos; dragão feito com metal reciclado chama a atenção entre as peças usadas na decoração

Usados: Gerry Halman é fotografado em seu castelo "Olt Stoutenburght" em Blesdijke (AFP Photo)

Usados: Gerry Halman é fotografado em seu castelo "Olt Stoutenburght" em Blesdijke (AFP Photo)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 13 de maio de 2024 às 12h51.

Última atualização em 13 de maio de 2024 às 13h25.

Na cidade de Blesdijke, um castelo de cinco andares se destaca no meio das planícies dos Países Baixos. Apesar de seu aspecto medieval, a imponente fortaleza foi construída por um morador da localidade, senhor 'Gregorious', há mais de três décadas e com uma imensa dose de fantasia. 

O neerlandês de 76 anos entretém os convidados no enorme castelo que construiu no fundo de seu jardim, decorado com cavaleiros, donzelas e um dragão feito de metal reciclado.

O proprietário do lugar, cujo nome verdadeiro é Gerry Halman, levou 34 anos para levantar a construção no norte do país, batizado de Olt Stoutenburght, minuciosamente construído com material procedente de dezenas de países.

"Em uma manhã de 1990, disse à minha mulher: 'Estou pronto. Tenho a imagem completa. Sei o formato do prédio, de cima a baixo'", conta à AFP esse aposentado.

Desde então, construir e mobiliar o castelo se tornou sua "paixão". Viajou o mundo todo para encontrar o material adequado e dar forma ao que havia imaginado. Um lustre de metal trazido de Istambul e grades no estilo "art noveau" encontradas na Líbia decoram o grande salão. Placas de madeira do vagão-restaurante do Orient Express alertam os convidados a não urinar no chão.

A biblioteca contém centenas de livros de arte e história. No escritório, há uma pistola de duelos e um punhal tradicional da Indonésia.

A maioria do material utilizado é reciclada ou foi comprada em mercados de antiguidades em suas viagens. Tudo financiado por ele, embora não tenha ideia do gasto total. “Nunca pergunte o preço de algo, porque você nunca se atreverá a fazer”, argumenta.

Inspiração

Durante 35 anos, Halman dirigiu uma loja de fantasias na cidade vizinha de Zwolle e trouxe para o seu castelo todos os tipos de personagens, com destaque para cavaleiros com armaduras resplandencentes, donzelas em apuros e uma estátua da deusa grega Afrodite. Coroando a construção de 26 metros de altura há um dragão feito com centenas de pedaços de metal reciclado, em um aceno para a cultura chinesa na qual ele alega ter se inspirado. Ao lado do dragão, uma cobra também de metal, recorda os faraós do Antigo Egito.

O que leva alguém sem experiência em arquitetura ou construção a mergulhar em um projeto assim? "O que leva a gente a percorrer a França em uma bicicleta durante três semanas ou ir à academia?", responde com humor Halman, que diz ter se sentido "obrigado" a contruir o castelo.

"Sempre fui um fã do mundo da fantasia desde que sou criança, não do mundo real", explica. Mas é difícil escapar do mundo real, como comprovou quando apresentou seu projeto às autoridades locais para obter uma autorização de construção.

"O prefeito disse: 'Você está louco. Não é um construtor. Não tem nenhuma experiência em arquitetura e quer construir um castelo", recorda o aposentado. Ele não se deu por vencido e insistiu até conseguir uma autorização, com a condição de que a altura do castelo não superasse os 28 metros.

Acompanhe tudo sobre:ReciclagemArquiteturaDecoraçãoEuropaHolanda

Mais de ESG

Microsoft compra 8 milhões de créditos de carbono do TIG, que investe na proteção do Cerrado

Para cumprir meta de redução de CO2, Electrolux quer ajudar clientes na economia de energia

Hospital Albert Einstein destina 67% dos resíduos para reciclagem - e gera renda com isso

Mais na Exame