Americano compra navio dos classificados e descobre que era cenário de 007

Willson estima que já foram gastos cerca de US$ 3 milhões, ou R$ 14,1 milhões, na reforma do navio, construído pelo estaleiro Blohm and Voss e que fez parte da primeira linha de cruzeiros pós-Segunda Guerra
007: Wilson restaurou o MV Aurora, como o batizou no ano seguinte à compra (Divulgação/Divulgação)
007: Wilson restaurou o MV Aurora, como o batizou no ano seguinte à compra (Divulgação/Divulgação)
Por Agência O GloboPublicado em 21/04/2022 18:59 | Última atualização em 26/04/2022 14:39Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Foi amor à primeira vista. Christopher Willson comprou um antigo cruzeiro alemão de 1955 com pouco mais de 89 metros de comprimento, mesmo em estado precário, com lixo em toda parte. Ele não resistiu quando visitou a embarcação, encontrada em anúncio de classificados, em 2008. O que ele não imaginava era que se tratava de um navio de Sean Connery, no papel do agente 007, o James Bond.

A embarcação serviu de covil ou QG para a organização Spectre no filme "Moscou Contra 007", em 1963. E também de inspiração para a série "O Barco do Amor", produzida nos anos 70 e 80.

Wilson restaurou o MV Aurora, como o batizou no ano seguinte à compra. Acredita que o custo da reforma tenha sido US$ 3 milhões, ou R$ 14,1 milhões.

Durante este período da reforma, ele passou a pesquisar mais sobre o navio. E descobriu ainda que Aurora havia sido batizada de Wappen von Hamburg. O navio foi construído pelo estaleiro Blohm and Voss e fez parte da primeira linha de cruzeiros pós-Segunda Guerra da Alemanha.

LEIA TAMBÉM:

"É um dos navios com o layout mais espetacular que eu já vi. As escadarias são magníficas. É como descobrir que você tem um Corvette dos anos 60 na garagem. Você pode ver a qualidade, mas estava tão negligenciado que você se sente mal", contou Willson à "CNN" americana.

Apesar de inicialmente tê-lo concebido como um iate, toda essa bagagem provocou em Willson a vontade de abrir sua Aurora ao público ao fim do processo: "Eu gostaria de transformá-lo em um museu e deixar as pessoas fazerem tour". No entanto, transformar esse sonho em realidade não será missão fácil.

Ancorado em diversos portos da Califórnia ao longo dos últimos 14 anos, ele percebeu que teria de ser um investimento integral: ao lado da companheira, Jin Li, ele deixou sua casa em Santa Cruz — de onde, no início, encarava viagens até o navio de até três horas de carro — e fizeram de Aurora seu endereço permanente.

"Quando me mudei a bordo do navio, muitos dos meus amigos e familiares ficaram descrentes. Era uma grande mudança de estilo de vida. Mas eu vejo mais como um upgrade, apesar de estarmos meio fora do mapa e usando tantos geradores e placas de energia solar", admitiu.

Ele e sua esposa Jin Li contaram com a ajuda de voluntários para trazer o barco de volta ao circuito de entretenimento.

Na esperança de agilizar o empreendimento, ele lançou em fevereiro um canal no Youtube chamado "Aurora Restoration Project", que mostra os avanços do grupo na reforma e já conta com 76,6 mil assinantes. Desde então, ele teve "centenas" de voluntários se oferecendo para ajudar.

Aurora tem 85 cabines, lounge superior com deque privado, piscina, teatro e cozinha ampla. "Restauramos um pequeno número de cabines, mas temos muitas mais pela frente. Logo vamos oferecer ao público a oportunidade de patrocinar a restauração de uma cabine", anunciou.

Willson e seu time esperam poder finalizar a restauração da cozinha e da área de jantar até o fim de 2022, mas não há data prevista ainda para o fim do projeto.

LEIA TAMBÉM: