Bússola

Um conteúdo Bússola

Streaming: a pandemia e a nova explosão do fenômeno entre os gamers

Segundo pesquisa, 72% dos brasileiros consomem jogos digitais, número que cresceu muito após isolamento social

Somente em 2020 foram quase 30 milhões de horas assistidas no streaming de games. (Westend61/Getty Images)

Somente em 2020 foram quase 30 milhões de horas assistidas no streaming de games. (Westend61/Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 14 de junho de 2021 às 19h42.

Por Rodrigo Russano Dias*

Não é novidade que, desde que surgiu, o streaming de games e, especificamente, dos torneios de e-sports, esse segmento não para de crescer. Mais que isso, a pandemia de covid-19 – e as mudanças na rotina de todos – foi responsável por mais um salto gigantesco nesse mercado, que atingiu quase 30 milhões de horas assistidas em 2020. Esses números representam um aumento de 78% em relação ao período anterior à crise de saúde global, de acordo com a 123scommesse, que prevê crescimento ainda maior para 2021.

Pois é! Algo que poderia parecer maluco há alguns anos, hoje é realidade: de acordo com a Pesquisa Game Brasil (PGB), 72% dos brasileiros de todos os gêneros, idades e classes sociais consomem jogos digitais. Desde os mobile e casuais, passando pelas partidas online de jogos que exigem bastante habilidade, treino e concentração, até competições amadoras e oficiais dos mais diversos títulos disponíveis, os games estão cada vez mais presentes no nosso dia a dia e tiveram (e têm) um papel importantíssimo durante o período de distanciamento social, garantindo entretenimento e a continuidade do contato com amigos, mesmo que à distância.

Além de simplesmente jogar – sozinho ou acompanhado –, assistir outras pessoas jogando seus títulos favoritos ou concorrendo a prêmios incríveis em torneios nacionais e internacionais, ao vivo, também estão entre os principais hobbies dos gamers em todo o mundo. E esses números de audiência para lá de impressionantes, como os que já mencionei, com certeza chamam bastante a atenção das marcas para o poder de compra desse público que, no Brasil, ainda de acordo com a PGB, se diz pertencente, em sua maioria (50,3%), às classes sociais A e B.

Pensando em observar como os usuários brasileiros da nossa plataforma estão consumindo conteúdo relacionado a games e e-sports, fizemos um levantamento com mais de 2 mil participantes no último mês de abril e, entre os resultados, destaco a informação de que 61% deles disseram acompanhar mais de 3 horas por dia de transmissões ao vivo na Nimo TV. E mais: 34% disseram, inclusive, que assistem a mais de uma live stream ao mesmo tempo, e 43% também jogam enquanto acompanham essas transmissões, na maioria das vezes (72%), no caso da Nimo TV, via dispositivos mobile.

É evidente que esse mercado, que de acordo com a Juniper Research deverá crescer mais 70% nos próximos quatro anos, é uma mina de ouro para os que desejam investir, mas é preciso estar atento à melhor forma de fazê-lo. A comunidade gamer é exigente e gosta de se sentir acolhida, então, se o propósito da marca e suas ações não forem pensadas exclusivamente para garantir ainda mais melhorias à experiência dos gamers e desse ecossistema, é melhor repensar suas estratégias. Se acertar, os gamers estarão de braços abertos para te guiar rumo ao sucesso!

*Rodrigo Russano Dias é Head de PR e Social Media na Nimo TV Brasil.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | LinkedinTwitter | Facebook | Youtube

Acompanhe tudo sobre:GamesPandemiaStreaming

Mais de Bússola

CEO da BAT defende que regulamentação de cigarros eletrônicos ajudará no combate à ilegalidade

Fintech lança primeira conta digital para fazer apostas online

Karine Silveira: o que a Fórmula 1 nos ensina sobre liderança corporativa?

Rede social conecta pais que perderam seus filhos para o câncer

Mais na Exame