Acompanhe:
Um conteúdo Bússola

Qual é a importância de ter um crítico na sua vida profissional e pessoal?

Trabalhar com alguém que é capaz de agir com base nas críticas significa que se trata de uma pessoa mais aberta a escutar

Modo escuro

O fedback ajuda a tornar o seu produto mais forte (Bússola/Divulgação)

O fedback ajuda a tornar o seu produto mais forte (Bússola/Divulgação)

C
Cristiano Zanetta*

Publicado em 6 de fevereiro de 2023, 17h30.

A expressão “crítica construtiva” nem sempre é vista com bons olhos, pois sabemos que há muito mais opiniões desconstrutivas e desnecessárias por aí. Mas e as exceções? As que são de fato voltadas para o crescimento, porém raras? Aquelas que abrem os nossos olhos para o erro, que porventura podemos não ter enxergado?

Em algum momento você já deve ter ouvido falar sobre as Estrelas Michelin, que nada mais são do que uma espécie de “ranking” realizado por inspetores anônimos que visitam e apreciam a culinária desenvolvida em restaurantes por todo o mundo, dando a eles notas que vão de zero a três (estrelas). E o que isso tem a ver com o que estamos falando? A sua distinção em relação aos demais. Para isso, há o papel do crítico, que serve como um “step” para te fazer mudar de nível. Assim como a Michelin, na gastronomia.

Nos negócios, trabalhar com alguém que é capaz de entender e agir com base nas críticas significa que se trata de uma pessoa mais aberta a escutar. O feedback ajuda a tornar o seu produto mais forte e te faz refletir na forma como trabalha. Lembrando que: não são todas as pessoas que têm o poder para fazer isso. O crítico entra na avaliação de um contexto. É alguém isento de opinião, de preferência aquele que está com você desde o começo e que conhece realmente a sua essência e objetivo.

Dados mostram a importância da rotina de feedbacks no mundo corporativo. A Pulses, empresa especializada em medição de clima organizacional, fez um levantamento no ano de 2021 com 120.000 funcionários de empresas de diferentes portes e segmentos. Os resultados mostram que o feedback positivo tem um grande peso: profissionais se sentem mais satisfeitos com a frequência e a qualidade do reconhecimento.

Mas vale saber que ter um crítico não é o mesmo que ter um coaching, assim como não é a mesma coisa de ter um consultor ou mentor.

Coaching

trabalha no desenvolvimento de habilidades e capacidades voltada à execução de um objetivo, e trabalha o indivíduo ou a área em que atua;

Consultor

trabalha na correção de comportamento e performance, e também na tomada de decisões.;

Mentor

trabalha na transferência de conhecimento e experiência de uma pessoa mais preparada, para uma pessoa menos preparada.

Mas como identificar se uma crítica é realmente construtiva?

Para identificar se uma crítica é, de fato, relevante, perceba se há uma solução de imediato. Antes de aceitar, avalie se há realmente o que melhorar. Muitas vezes ela pode estar disfarçada e, na verdade, ser desconstrutiva.

Perceba: uma delas só vai te prejudicar e a outra te dará grandes vantagens.

Por isso, é importante ter um painel de críticos confiáveis em sua vida, aqueles que podem ser completamente honestos com você, pessoas nas quais você confia totalmente. Isso não te fará um case de sucesso automaticamente, mas servirá como um catalisador para seu crescimento e vai te ajudar na busca da melhor versão de si mesmo.

Muitas vezes, na história do Batman, o Alfred Pennyworth — mordomo e tutor de Bruce Wayne — faz com que o super herói reflita melhor sobre suas próprias escolhas. E isso não significa que o protagonista faz tudo o que seu crítico diz. Na verdade, existe sempre uma discussão por cima de tal questão, mas ele ouve e entende. Por isso, é importante contar com as pessoas certas.

Um exemplo clássico das críticas (boas) pelo mundo está no cinema. O cinéfilo não tem as habilidades para fazer um filme — atuação, direção ou escrita, mas consegue analisar a obra de forma mais apurada, colocando em questão a sua expertise com este universo. Sua influência é capaz de colocar no radar do público, por exemplo, um seriado como “The last of us”, da HBO, que vem ganhando audiência e repercussão nas mídias sociais graças às críticas das últimas semanas.

*Cristiano Zanetta é empresário, palestrante e filantropo e, há mais de 15 anos realiza visitas sociais em oncologias de hospitais por todo o país, utilizando a armadura do homem morcego e é o único reconhecido oficialmente pela Warner Bros. Entertainment Inc. como o Batman do Brasil

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

Você pode ser o que quiser (e onde quiser) se tiver os soft skills corretos

Como alcançar melhores resultados como ESG no RH

Estratégias de marketing só funcionam com uma boa gestão organizacional