Bússola

Um conteúdo Bússola

É MEI? Aprenda a separar os gastos da empresa de suas despesas pessoais

O MEI é o segmento que mais sofre com os números de mortalidade entre os novos empreendimentos

Em 2022 havia mais de 14 milhões de MEI no Brasil (Razonet/Divulgação)

Em 2022 havia mais de 14 milhões de MEI no Brasil (Razonet/Divulgação)

B

Bússola

Publicado em 9 de fevereiro de 2023 às 19h00.

O número de microempreendedores individuais tem crescido em ritmo acelerado. Segundo dados do Ministério da Economia, em 2022 já havia mais de 14 milhões de profissionais cadastrados como MEI no Brasil.  Ainda sobre os efeitos da pandemia de covid-19, em que muitos perderam os seus empregos, as pessoas têm buscado nessa modalidade uma opção de fonte de renda ou também a oportunidade de realizar o sonho de ter um negócio próprio.

Mesmo com os números em alta, a realidade mostra que nem todos estão preparados para conduzir um negócio. De acordo com o Sebrae, o MEI é o segmento que mais sofre com os números de mortalidade entre os novos empreendimentos. Os dados apontam que 29% dos microempreendedores que arriscam ingressar nesse desafio, fecham as portas em cinco anos.

Para se ter uma ideia, só em 2022 foram encerradas mais de um milhão de empresas, segundo dados do Painel Mapa de Empresas, divulgado pelo Governo Federal. As pesquisas revelam que empreender é uma tarefa muito difícil, alguns MEIs apontam que entre as principais causas de não levar o negócio adiante está a dificuldade em realizar a gestão financeira, separando os gastos e lucros da empresa com as despesas pessoais.

Pensando nisso, a Camila Florentino, CEO da Celebrar, plataforma que conecta grandes empresas e multinacionais a pequenos e microempreendedores individuais, listou para a Bússola seis dicas para enfrentar esse desafio.

1. Abra uma conta MEI

Um dos maiores problemas dos microempreendedores é utilizar a conta bancária pessoal para guardar ou movimentar o dinheiro da empresa. É de extrema importância separar, o que é seu, do que não é. Quando você faz essa separação, abrindo uma conta MEI ou PJ, a gestão dos recursos fica mais eficiente.

2. Separe um pró-labore

Defina um pró-labore, ou seja, um salário mensal que será capaz de cobrir suas despesas pessoais, sem interferir na saúde financeira do seu negócio. É importante ter isso estabelecido e não usar o caixa da empresa sempre que surgir uma despesa nova. Isso poderá comprometer o desenvolvimento financeiro do seu empreendimento.

3. Mantenha um fluxo de caixa

O fluxo de caixa nada mais é do que um registro da movimentação financeira da sua empresa, com todas as informações de entrada e saída de dinheiro. Com isso, é possível estabelecer com precisão qual é o saldo de cada mês e com os registros de entrada e saída identificar quais são suas despesas fixas, variáveis e o seu lucro. Com essas informações você saberá qual o poder de compra da sua empresa, além de identificar se a longo e curto prazo está conseguindo alcançar as metas pré-estabelecidas.

4. Sempre emita nota fiscal

Alguns microempreendedores deixam de emitir a nota fiscal no fim de cada serviço ou produto comercializado, em alguns casos a falta de conhecimento no processo de emissão é o maior problema, já em outros a desorganização compromete esse processo. Por mais que não pareça tão importante no início, o negócio que deixa de emitir a nota, perde espaço no mercado, deixando de fechar trabalhos e de se integrar em plataformas que coloquem seu trabalho em destaque. Além disso, com a emissão da nota fiscal é possível manter um controle maior dos recursos, além de evitar um problema na hora de declarar o imposto.

5. Desenvolva um planejamento financeiro

Um bom planejamento financeiro vai te guiar ao longo da jornada empreendedora, mais do que isso, vai te ajudar a definir as metas e como executá-las. Por isso, é importante desenvolver um a cada ano, assim, você consegue enxergar com clareza onde o seu negócio está e onde quer chegar, estabelecendo a partir daí como utilizar melhor os recursos disponíveis. Definindo quanto destinar a cada projeto.

6. Faça parte de uma plataforma

O mundo é cada vez mais digital, empresas e sociedade buscam por serviços que facilitem tarefas do dia-a-dia, por isso é importante estar integrado a uma plataforma digital, assim as chances de que seu negócio seja encontrado por uma multinacional ou grande empresa é maior. Dessa forma, a sua captação de clientes é maior, aumentando os lucros da empresa.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

2023 deve assistir ao aumento do alcance dos meios de pagamento

Ex-Google assume liderança na área de produtos da Zippi

Bússola & Cia: Árago Dermocosméticos projeta crescer 40%

Acompanhe tudo sobre:EmpreendedoresEmpreendedorismoVídeos para empreendedores

Mais de Bússola

ESG: pesquisa aponta projetos para 60+ como oportunidade para o investimentos privados 

Bússola Poder: políticos do mundo, uni-vos. Outros pagam a conta

Campos do Jordão ganha exposição do artista plástico Renot

Lacuna no setor será chave para essa empresa de bairros planejados vender R$ 300 mi

Mais na Exame