Um conteúdo Bússola

Sete dicas para fazer uma boa gestão das férias dos funcionários

Um bom gerenciamento começa com o levantamento do histórico detalhado de todos os dados dos funcionários
Tecnologia pode auxiliar na gestão (AntonioGuillem/Thinkstock)
Tecnologia pode auxiliar na gestão (AntonioGuillem/Thinkstock)
B
Bússola

Publicado em 05/07/2022 às 13:32.

Última atualização em 05/07/2022 às 13:40.

Por Bússola

Planejar férias dos colaboradores é uma tarefa recorrente nas empresas, pois garante que a companhia concorde com a legislação trabalhista. Pensando nisso, o Tangerino, startup que atua no mercado de controle de ponto digital, preparou a pedido da Bússola sete dicas para ajudar nessa gestão.

1. Registre o histórico das férias

O primeiro passo para dar início a qualquer programa de gestão de férias é levantar o histórico detalhado de todos os períodos de férias gozados pelos colaboradores, como: nome, período aquisitivo e dias de férias já aproveitados.

É importante que todos esses dados sejam fidedignos à realidade a fim de evitar ações judiciais junto à Justiça do Trabalho. Isso pode acontecer principalmente caso um funcionário não tire suas férias no período previsto em lei. Esses dados podem ser obtidos através do financeiro, levantando o pagamento de férias.

2. Defina e divulgue a política de férias da empresa

Tenha uma boa comunicação quando o assunto é sobre direitos do empregado, deveres do empregador, como solicitar o período de férias, possibilidade de fracionar em até três períodos, questões que serão consideradas para aceitar o pedido na data solicitada.

3. Defina prazos

Tenha clareza de todos os prazos para que os colaboradores solicitem seu período de descanso remunerado. Isso contribui para que tudo seja organizado com o máximo de antecedência, oferecendo maior controle para que tanto a corporação quanto o indivíduo possam se organizar apropriadamente.

4. Treine a equipe para as ausências

Estar preparado para a ausência de seus funcionários é fazer com que seus processos não fiquem parados ou enfrentem gargalos que comprometam o resultado. Sendo assim, com o período da ausência se aproximando, o gestor deve determinar quais colaboradores ficaram responsáveis pelas atividades do indivíduo que tirará férias e treiná-los para tal.

5. Evite sobrecarregar os colaboradores

O gestor deve olhar essa situação com olhar crítico e realizar sessões de feedback constantes para avaliar o melhor curso de ação. Outras possibilidades são a divisão das responsabilidades entre mais de um colaborador ou mesmo a contratação de funcionários temporários para suprir tais demandas.

6. Determine as prioridades na demanda interna

O período em que as férias podem ser usufruídas é determinado pelo empregador, sendo assim, é importante que o gestor observe os melhores períodos para isso ocorrer.

Se um negócio tem seu melhor período nos meses de novembro e dezembro, não faz sentido conceder férias aos seus vendedores neste período, não é mesmo?

7. Conte com sistemas inteligentes

Existem no mercado soluções para gestão de férias de forma facilitada. O sistema da Tangerino, por exemplo, permite que o colaborador solicite seu período de descanso por meio das multiplataformas e auxilia o empregador a controlar e autorizar as férias dos seus colaboradores.

“No sistema é possível fazer todo controle de férias, inclusive a comunicação quando as férias estão para vencer, ou para iniciar, bem como a validação quando a legislação trabalhista estiver vigente”, afirma Felipe Capelo, Product Manager no Tangerino.

 

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

Seis dicas para evitar a exaustão no trabalho e manter o time criativo

CLT, freelancer ou prolancer: como escolher o melhor modelo de trabalho

Acha que time home office finge que trabalha? Então você finge que lidera