Pesquisa eleitoral: Lula cresce 1 ponto e chega a 48% em votos válidos, diz BTG/FSB

O ex-presidente Lula oscilou um ponto para cima, dentro da margem de erro. A diferença para o presidente Jair Bolsonaro subiu de nove para dez pontos percentuais na pesquisa BTG/FSB
Lula e Bolsonaro: pesquisa BTG/FSB tem 45% das intenções de voto para Lula e 35% para Bolsonaro no 1º turno (Renato Pizzutto/Band/Divulgação)
Lula e Bolsonaro: pesquisa BTG/FSB tem 45% das intenções de voto para Lula e 35% para Bolsonaro no 1º turno (Renato Pizzutto/Band/Divulgação)
C
Carolina Riveira

Publicado em 26/09/2022 às 09:31.

Última atualização em 27/09/2022 às 15:04.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) oscilou um ponto para cima, dentro da margem de erro, e chegou a 45% das intenções de voto na última rodada da pesquisa BTG/FSB, divulgada nesta segunda-feira, 26. Na mesma sondagem, o presidente Jair Bolsonaro (PL) ficou estável, em 35%.

Quer receber os fatos mais relevantes do Brasil e do mundo direto no seu e-mail toda manhã? Clique aqui e cadastre-se na newsletter gratuita EXAME Desperta.

Com a mudança, Lula figura agora dez pontos à frente do presidente na contagem geral.

O petista chega também a 48% dos votos válidos (quando excluídos brancos e nulos), frente a 47% na sondagem da semana passada. Para vencer no primeiro turno, Lula precisa da maioria dos votos válidos (50% + um voto, ao menos).

Em relação à pesquisa anterior, a oscilação de Lula foi seguida por oscilação negativa de Simone Tebet (MDB) e do grupo de indecisos ou brancos/nulos, que perderam um ponto cada nas intenções de voto. Ciro Gomes (PDT) ficou estável.

Na pesquisa estimulada, quando os nomes dos candidatos são apresentados, no primeiro turno:

  • Lula teve 45% dos votos (contra 44% na última pesquisa);
  • Bolsonaro teve 35% (estável);
  • Ciro Gomes teve 7% (estável);
  • Simone Tebet teve 4% (antes, 5%);
  • Outros candidatos: 4% (estável);
  • Indecisos, não votam em nenhum e brancos e nulos somam 6% (antes, 7%).

A pesquisa é do Instituto FSB, encomendada pelo banco BTG Pactual (do mesmo grupo de controle da EXAME). O Instituto FSB ouviu, por telefone, 2.000 pessoas entre os dias 23 e 25 de setembro.

A pesquisa está registrada no TSE sob o número BR-08123/2022. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos e nível de confiança é de 95%.

VEJA TAMBÉM: Na reta final da eleição, as boas notícias (e os riscos) para Lula e Bolsonaro nas redes sociais

Lula pode vencer no primeiro turno?

A tendência é que a existência ou não de segundo turno seja decidida voto a voto, a uma semana da votação no domingo, 2 de outubro.

"Lula volta a crescer um pouco, mas tem hoje 48% dos votos válidos, contra 47% há uma semana. A não ser que haja um forte movimento de voto útil nessa reta final, o mais provável é que a eleição caminhe para um 2º turno", disse Marcelo Tokarski, sócio-diretor do Instituto FSB Pesquisa, em nota junto à pesquisa. "Tudo vai depender dos 14% que hoje votam em outros candidatos."

Por outro lado, o ex-presidente Lula vai melhor sobretudo entre o grupo que ganha até 2 salários mínimos, que tende a ser menos representado em pesquisas por telefone. Na pesquisa Ipec divulgada na semana passada, Lula figurava com 52% dos votos válidos e, no Datafolha, com 50%.

Há ainda discussões sobre abstenção que podem impactar o pleito - com a margem apertada para o primeiro turno, grupos que não votam podem fazer a diferença para a campanha de Lula ou Bolsonaro, como a EXAME mostrou.

Historicamente, no Brasil, eleitores com escolaridade até o ensino fundamental e de menor renda votam menos (o que prejudicaria Lula), assim como homens votam menos do que mulheres (o que prejudicaria Bolsonaro).

VEJA TAMBÉM: Abstenção nas eleições ajuda mais Lula ou Bolsonaro? Entenda

Espontânea

Na pergunta espontânea, quando os próprios entrevistados tiveram de apontar um nome escolhido, Lula subiu dois pontos e Bolsonaro ficou estável em relação à semana passada.

Ciro Gomes subiu um ponto, indecisos caíram dois pontos e os que planejam não votar caíram um ponto.

 Na pesquisa espontânea, os resultados foram:

  • Lula teve 44% das intenções de voto na espontânea (antes, 42%);
  • Bolsonaro teve 34% (estável);
  • Ciro Gomes teve 5% (antes, 4%);
  • Simone Tebet teve 3% (estável);
  • Outros candidatos: 2% (estável);
  • Não voto: 5% (antes, 6%);
  • Indecisos: 7% (antes, 9%).

VEJA TAMBÉM: Eleições 2022: em busca da classe C do Sudeste

Segundo turno

As intenções de voto ficaram mais estáveis no segundo turno. Lula ficou estável e Bolsonaro oscilou um ponto para cima. A vantagem de Lula é de 12 pontos percentuais.

Na pesquisa para o segundo turno, os resultados foram:

  • Lula: 52% dos votos (estável);
  • Bolsonaro: 40% (antes, 39%);
  • Não votará ou indecisos: 8% (antes, 9%).

Quer receber os fatos mais relevantes do Brasil e do mundo direto no seu e-mail toda manhã? Clique aqui e cadastre-se na newsletter gratuita EXAME Desperta.


Veja as últimas pesquisas eleitorais EXAME/IDEIA