Brasil

Romário tem 33%, Molon, 19% e Daciolo, 10% para Senado no RJ, mostra EXAME/IDEIA

Em nova pesquisa eleitoral EXAME/IDEIA, Romário segue liderando disputa pelo Senado no Rio, enquanto Molon vai melhor entre quem rejeita Bolsonaro

Cabo Daciolo, Romário e Molon: candidatos lideram disputa pelo Senado do RJ (Facebook/Flickr/Divulgação)

Cabo Daciolo, Romário e Molon: candidatos lideram disputa pelo Senado do RJ (Facebook/Flickr/Divulgação)

CR

Carolina Riveira

Publicado em 22 de setembro de 2022 às 00h05.

Última atualização em 22 de setembro de 2022 às 20h19.

yt thumbnail

O senador Romário (PL) segue liderando a corrida pela reeleição ao Senado no estado do Rio de Janeiro, segundo nova pesquisa EXAME/IDEIA divulgada nesta quinta-feira, 22.

Fique por dentro de tudo sobre as Eleições 2022 e os resultados das pesquisas eleitorais. Clique aqui e receba gratuitamente a newsletter EXAME Desperta

Romário tem 33% das intenções de voto, à frente de Alessandro Molon (PSB), com 19%. Em terceiro vem Cabo Daciolo (PDT), com 10%.

Na pesquisa estimulada, as intenções de voto para o Senado no Rio de Janeiro são:

  • Romário (PL): 33%;
  • Alessandro Molon (PSB): 19%;
  • Cabo Daciolo (PDT): 10%;
  • André Ceciliano (PT): 8%;
  • Clarissa (União Brasil): 7%.

Com exceção dos cinco primeiros, os demais candidatos tiveram 1% ou menos das intenções de voto cada. Não sabem/não responderam ou brancos e nulos somam, juntos, quase 20% dos votos.

(Arte/Exame)

“A eleição ao Senado no Rio ainda está aberta. Quando não têm seus nomes apresentados ao eleitor, os candidatos praticamente não pontuam. Romário, o candidato à reeleição, é o favorito quando o eleitor é estimulado com a lista de concorrentes, com 33%. O eleitorado de Romário vota alinhado com quem vota em Bolsonaro pra presidente. Já os votos dos eleitores de Lula se dividem entre Alessandro Molon, com 19%, e André Feliciano, que tem 8%, dois pontos atrás do Cabo Dalciolo, com 10%”, avalia Cila Schulman, vice-presidente do instituto de pesquisa IDEIA.

Na pesquisa espontânea (quando os nomes não são apresentados), os resultados são: 

  • Romário (PL): 3%;
  • Clarissa (União Brasil): 2%;
  • Alessandro Molon (PSB): 1%;
  • Ninguém/branco/nulo: 28%;
  • Não sabe: 62%

Para a pesquisa, foram ouvidas 1.000 pessoas entre os dias 16 e 21 de setembro. As entrevistas foram feitas por telefone, com ligações tanto para fixos residenciais quanto para celulares. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos, com nível de confiança de 95%.

A sondagem foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número RJ-02658/2022. EXAME/IDEIA é um projeto que une EXAME e o IDEIA, instituto de pesquisa especializado em opinião pública. Confira o relatório completo.

O percentual de Romário é o mesmo divulgado em outras pesquisas nos últimos dias. Em pesquisa Ipec desta semana, Romário apareceu com os mesmos 33%, mas Molon teve votação menor, de 11%.

Nas eleições de 2022, há somente uma vaga em disputa para o Senado fluminense. O mais votado é eleito para um mandato de oito anos, e não há segundo turno na votação ao Senado. Com quase 13 milhões de eleitores, o Rio é o 3º maior colégio eleitoral do Brasil.

Romário é mais votado entre quem apoia Bolsonaro

Nos subgrupos da pesquisa EXAME/IDEIA, Romário vence em todas as áreas do Rio de Janeiro e entre todas as faixas de renda.

A candidatura é mais apoiada entre evangélicos e entre os que avaliam como ótimo/bom os governos do presidente Jair Bolsonaro (PL) e do governador fluminense, Cláudio Castro (PL).

Romário oficializou publicamente nesta semana seu apoio a Bolsonaro - que é do mesmo partido, o PL. "Não fico em cima do muro e hoje Bolsonaro é parte do meu time", disse ao jornal O Globo.

Já os votos previstos em Alessandro Molon têm comportamento contrário, e os grupos nos quais o candidato se sai melhor são os que rejeitam Bolsonaro e Castro. Nesse eleitorado, porém, Molon também divide votos com André Ceciliano, do PT (veja abaixo).

Tanto Molon quanto Ceciliano estão no palanque do candidato a governador Marcelo Freixo (PSB), que é apoiado pelo ex-presidente Lula (PT) e está em segundo nas pesquisas (veja aqui as intenções de voto para o governo do RJ)A candidatura separada de Molon e Ceciliano gerou rusgas na relação entre PT e PSB, que estão juntos na campanha de Lula à Presidência no âmbito nacional e em vários estados.

Romário vai melhor entre:

  • quem avalia governo Bolsonaro como ótimo/bom (65%, contra 15% de Molon);
  • quem avalia governo Cláudio Castro como ótimo/bom (63%, contra 13% de Molon);
  • evangélicos (49%, contra 18% de Molon);
  • brancos (40%, contra 14% de Molon).
  • quem tem de 25 a 34 anos (41%, contra 15% de Molon);

Molon vai melhor entre:

  • quem avalia governo Bolsonaro como ruim/péssimo (24%, contra 9% de Romário; nesse grupo, Molon divide votos com André Ceciliano, que tem 15%);
  • quem avalia governo Cláudio Castro como ruim/péssimo (26%, contra 7% de Romário, grupo em que Ceciliano tem 13%);
  • católicos (20%, empatando tecnicamente contra os 22% de Romário).

Nos subgrupos, a margem de erro da pesquisa é de seis pontos percentuais, para mais ou para menos.

Romário e Molon: somente uma vaga em disputa no Senado do Rio de Janeiro (Facebook/Divulgação)

Quem é Romário

Aos 56 anos e ex-jogador de futebol, Romário é senador desde 2015, quando foi eleito pela primeira vez ao Senado, para um mandato de oito anos. Antes disso, foi deputado federal de 2011 a 2015. Nas eleições 2022, concorre ao Senado pelo PL.

Quem é Alessandro Molon

Molon tem 50 anos, é professor e formado em História e Direito. Foi deputado estadual no RJ de 2011 a 2015 e deputado federal de 2015 até o momento, com três mandatos, sendo o atual líder da oposição na Câmara. Nas eleições 2022, concorre ao Senado pelo PSB.

VEJA TAMBÉM: Quem são os candidatos ao Senado pelo estado do RJ nas eleições de 2022


Fique por dentro de tudo sobre as Eleições 2022 e os resultados das pesquisas eleitorais. Clique aqui e receba gratuitamente a newsletter EXAME Desperta

Acompanhe tudo sobre:Cabo DacioloEleições 2022EXAME/IDEIAPesquisas eleitoraisRio de JaneiroRomárioSenado

Mais de Brasil

Pesquisa encontra agrotóxicos em alimentos ultraprocessados com apelo ao público infantil

STF cria marco civilizatório ao proibir exposição de vida sexual de vítima, dizem advogados

Seguradoras irão pagar, no mínimo, R$ 1,6 bilhão em indenizações no Rio Grande do Sul

Governo libera verba extra de R$ 22 milhões para as universidades do RS

Mais na Exame