Brasil

Caso Marielle: Moraes determina que Lessa continue sendo monitorado em Tremembé

Ministro do STF determinou que 'comunicações verbais e escritas' sejam acompanhadas, inclusive com advogados e familiares

Marielle Franco, vereadora assassinada com seu motorista, Anderson Gomes, em 2018 (Renan Olaz/Câmara Municipal do Rio/Reprodução)

Marielle Franco, vereadora assassinada com seu motorista, Anderson Gomes, em 2018 (Renan Olaz/Câmara Municipal do Rio/Reprodução)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 17 de junho de 2024 às 13h35.

Última atualização em 17 de junho de 2024 às 13h47.

Tudo sobreSupremo Tribunal Federal (STF)
Saiba mais

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que a Secretaria da Administração Penitenciária de São Paulo mantenha sob "monitoramento de áudio e vídeo" o ex-policial Ronnie Lessa, quando ele for transferido para o Presídio de Tremembé, no interior de São Paulo.

O monitoramento tem de incluir "comunicações verbais e escritas, das celas e nos momentos de visitas de familiares e de atendimento advocatício". Moraes justificou a medida "preservação da ordem interna e da segurança pública".

Atualmente, Lessa está num presídio federal de segurança máxima no Mato Grosso do Sul. No início do mês, Moraes autorizou sua transferência, que deve ocorrer em breve em uma operação sigilosa.

A transferência é um dos benefícios do acordo de colaboração premiada fechado pelo ex-policial militar com a Polícia Federal (PF) e a Procuradoria-Geral da República (PGR).

Acompanhe tudo sobre:Marielle FrancoSupremo Tribunal Federal (STF)Alexandre de Moraes

Mais de Brasil

Estudo da Nasa aponta que Brasil pode ficar 'inabitável' em 50 anos; entenda

Temperatura acima de 30°C para 13 capitais e alerta de chuva para 4 estados; veja previsão

Discreta, Lu Alckmin descarta ser vice de Tabata: 'Nunca serei candidata'

Desconhecido, Novo PAC não decola e frustra expectativas de ganho político para o governo

Mais na Exame