Após EUA revogar uso emergencial da cloroquina, Brasil diz estar confiante

O Ministério da Saúde modificou sua recomendação para incluir gestantes e crianças entre os grupos que podem usar o medicamento na fase inicial da covid-19

No mesmo dia em que a agência de controle de drogas dos Estados Unidos, a FDA (sigla em inglês), revogou o uso emergencial de cloroquina (CQ) e hidroxicloroquina (HCQ) para pacientes com covid-19, o Ministério da Saúde disse que se mantém “seguro e tranquilo sobre a recomendação precoce do medicamento” feita no mês passado pela pasta.

Mayra Pinheiro, secretária de Gestão do Trabalho e da Educação do Ministério da Saúde, disse nesta segunda-feira, 15, que a pasta não só atesta o medicamento como, inclusive, modificou sua recomendação para incluir gestantes e crianças entre os grupos que podem usar cloroquina na fase inicial da covid-19.

A secretária criticou estudos citados pela FDA em sua decisão de revogar a autorização de uso emergencial da cloroquina e da hidroxicloroquina, dizendo que são de “péssima qualidade”.

Segundo ela, estudos com qualidade metodológica levam tempo para ser realizados, e durante o enfrentamento a uma pandemia como a do novo coronavírus não se pode “perder tempo aguardando resultado de estudos”.

A FDA determinou, nesta segunda-feira, que “é improvável que a CQ e a HCQ sejam eficazes no tratamento a covid-19 para os usos autorizados nos EUA”. O órgão afirmou que “à luz dos eventos adversos cardíacos graves e outros efeitos colaterais graves, os benefícios conhecidos e potenciais de CQ e HCQ não superam mais os riscos conhecidos e potenciais para o uso autorizado”.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?

Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?

Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.