Tecnologia

Review: Moto X4 vale a pena e só precisa de cartão de memória

Smartphone da Motorola é ótimo e só peca nos 32 GB de armazenamento

 (Lucas Agrela/Site Exame)

(Lucas Agrela/Site Exame)

Lucas Agrela

Lucas Agrela

Publicado em 20 de outubro de 2017 às 05h55.

Última atualização em 24 de outubro de 2017 às 19h29.

São Paulo – O Moto X4 chegou ao Brasil recentemente com recursos exclusivos, boas câmeras, sensores de digitais e design em vidro. Esse é o smartphone mais diferente da Motorola em 2017 e ele se posiciona em uma faixa de preço onde há muita competição–até mesmo de outros celulares da marca, como o Moto G5S Plus. O preço do novo aparelho é de 1.699 reais e ele chega com 32 GB de memória interna.

Confira nosso review do Moto X4 a seguir.

Design

O Moto X4 é o primeiro da Motorola a ter design com revestimento em vidro 3D (que tem curva acentuada nos cantos) e lateral de metal. Ele não é compatível com os acessórios da linha Moto Snaps, como acontece com vários aparelhos da marca--exceto pelo Moto E4 e E4 Plus. Por isso, o Moto X4 mostra sua vocação para smartphone pragmático. Ele não requer nada para ampliar suas funcionalidades, ele já foi concebido para atender plenamente o consumidor assim que sai da caixa.

Review-Moto-X4

- (Lucas Agrela/Site Exame)

Como todo smartphone com traseira de vidro, as marcas de dedos são inevitáveis. Na cor topázio, especialmente, vemos que o produto é bastante reflexivo. A versão preta deve agradar mais quem não gosta desse tipo de marca de uso no dia a dia.

O lado bom é a facilidade de limpar o dispositivo. Basta esfregá-lo, com cuidado, na roupa para que ele se apresente bem limpo.

Moto-X4-Review

- (Lucas Agrela/Site Exame)

A tela IPS do Moto X4 é de 5,2 polegadas com resolução Full HD.

A ótima Moto Tela está presente nesse produto, assim como em todos os Moto Gs mais recentes. Ela mostra notificações e horário rapidamente, evitando a necessidade de desbloqueios de tela constantes no cotidiano do usuário.

Review-smartphone-Moto-X4

Diferentemente do que vimos no Moto Z2 Force, a entrada para fones de ouvido comuns está presente no Moto X4. Logo abaixo da tela, vemos o sensor de impressões digitais, que conta com os atalhos inteligentes dos Moto Gs atuais. Quem não quiser usar o botão para todas as interações no sistema ainda pode usar os botões virtuais na tela.

Se você é daqueles desastrados que derrubam o celular na água, vai gostar de saber que esse Moto X é resistente à água. Com certificação IP68, ele pode ser mergulhado a 1,5m de água doce ao longo de 30 minutos.

Câmeras

Seguindo a tendência de mercado, o Moto X4 tem duas câmeras traseiras. São sensores de 12 e 8 megapixels. Essa segunda tem campo de visão de 120º. Isso facilita o enquadramento de mais pessoas em uma mesma foto ou então melhora o resultado na hora de fotografar uma paisagem.

O nível de detalhamento das imagens, sob luz natural intensa, surpreendeu nos testes. É possível ver nitidamente que o Moto X4 é bom quando o assunto é fotografia. (A imagem abaixo está em alta resolução no Flickr)

Moto-X4-foto-review

- (Lucas Agrela/Site Exame)

A transição das câmeras traseiras é feita ao tocarmos em uma opção que aparece na lateral esquerda da interface do app de câmera. Ela é um pouco lenta em relação a competidores mais avançados, como o LG G6 ou o iPhone 7 Plus.

Ainda assim, o benefício de ter duas câmeras em um smartphone de menos de 2 mil reais, e que geram bons resultados, é um exemplo de como vemos a tecnologia chegar a preços mais acessíveis em pouco tempo. No ano passado, somente os celulares mais avançados tinham essa característica, que agora se replica no segmento intermediário–em suas diversas gamas.

Veja estas duas fotos tiradas a partir do mesmo ponto com as câmeras diferentes do Moto X4.

Moto-X4-foto-review-3

- (Lucas Agrela/Site Exame)

Moto-X4-foto-review-3

- (Lucas Agrela/Site Exame)

A câmera frontal do Moto X4 tira fotos com até 4 megapixels, apesar de ter sensor de 16 megapixels. Isso acontece porque a câmera cria o que a Motorola chama de Super-Selfie. Com isso, o registro acontece com o uso de pixels com tamanho acima da média, causando a diminuição do tamanho. Fora isso, há flash LED, modo de selfie panorâmica, captura preditiva automática e efeitos animados ao estilo Snapchat.

Em locais mais escuros, o Moto X4 poderia ser melhor para fotografar. Em suas câmeras, a abertura não favorece a captura de luz, apesar da otimização feita pela fabricante na câmera dianteira. Mas esse é um mal do qual os seus rivais também sofrem. O jeito é usar o flash ou buscar um lugar com mais luz para a foto ficar boa.

Veja fotos tiradas com o Moto X4 e o Galaxy S8, que tem uma das melhores câmeras de smartphones de 2017 disponíveis oficialmente no Brasil:

Câmera traseira:

Câmera frontal:

Configuração

O Moto X4 usa o processador Snapdragon 630, que é de gama intermediária-avançada. Ele pode entregar a performance desejada ao consumidor quando necessário e fazer a gestão de energia de modo eficiente quando estiver em espera–marcamos a perda de 8% de carga em três horas com grande período de inatividade, mas conectado a uma rede Wi-Fi.

A memória RAM do produto é menor do que a oferecida pela concorrência. Ela é de 3 GB, enquanto o Zenfone 4 tem 6 GB. O espaço interno também é inferior ao do rival. São 32 GB contra 64 GB (ambos têm suporte a cartão microSD). O problema desse segundo ponto é que o sistema Android já ocupa boa parte do armazenamento, cerca da metade. Ou seja, são aproximadamente 16 GB realmente livres para o uso.

A performance geral do aparelho se mostrou ótima para sua categoria e não deixou a desejar durante nossos testes. Rodamos jogos, navegamos pela web, usamos apps pesados, como o do Facebook e o do Lightroom, e tudo funcionou bem. Nos benchmarks, o Moto X4 só perdeu para o Zenfone 4 no AnTuTu e no Basemark X, vencendo nos demais.

BenchmarksZenfone 4Moto X4
AnTuTu11273170297
Basemark OS II14661563
Geekbench 424094143
Basemark X3580129398

Bateria

Nesse ponto, o Moto X4 poderia ser melhor. Assim como o Zenfone 4, que também usa um processador Snapdragon da linha 600, o dispositivo da Motorola poderia ser melhor na autonomia de uso, apesar de já ser melhor do que o rival.

Na reprodução de vídeo contínua, o Moto X4 conseguiu nove horas e 40 minutos de duração de bateria. No app AnTuTu Tester, que simula uma rotina de uso, o tempo foi de cinco horas de uso, marcando 7.239 nesse teste. Não removível, a bateria do produto é de 3.000 mAh.

Sistema e recursos interessantes

O sistema do Moto X4 chega ao mercado já desatualizado. Ele tem o Android 7 Nougat, enquanto o Android 8.0 Oreo já está disponível em outros smartphones. Felizmente, a Motorola deve corrigir isso dentro de algum tempo.

O sistema Android é similar ao que já vimos nos demais modelos da Motorola. Ele tem a interface com bem poucos apps pré-instalados e oferece recursos exclusivos que são bem interessantes.

No app Moto, que reúne funções inteligentes do smartphone, temos controle sobre a ativação de interações por voz. Elas ficaram mais práticas no Moto X4. Basta dizer "Me mostra o Chrome", por exemplo, para abrir o navegador com a voz. Isso funciona para coisas simples, como ver o calendário, o clima ou abrir o Facebook. Se quiser, você pode deixar a sua voz desbloquear o aparelho–o que não é muito seguro porque pessoas com tom de voz parecido podem ter acesso ao seu dispositivo. Vale esclarecer que a interação por voz funciona mesmo com a tela desligada.

Ainda no app Moto, você pode habilitar um atalho prático para capturar a tela do celular. Basta colocar três dedos sobre ela e pronto, a imagem estará na galeria do Google Fotos.

No aplicativo da câmera, temos funções bacanas. Ao apontarmos o aparelho para um objeto ou ponto turístico e tocarmos no ícone que aparece na parte inferior central da interface (um cubo ou um pin), o smartphone faz uma pesquisa da imagem e traz informações sobre ela. Veja como isso funciona nos vídeos abaixo, publicados no Instagram.

https://www.instagram.com/p/BaZOkiPDUb3/?taken-by=lucasagrela

Para os aficionados por áudio, o Moto X4 tem suporte a quatro alto-falantes Bluetooth ou fones de ouvido conectados simultaneamente. Isso pode ser útil em uma festa ou então em um ensaio de banda, por exemplo.

Vale a pena?

A Motorola conseguiu reinventar o Moto X. O aparelho traz novos recursos interessantes e se mantém como um smartphone pragmaticamente bom. Ele dá conta das atividades do cotidiano e tem boas câmeras (principalmente as traseiras).

A duração da bateria poderia ser melhor, mas ela deve ser boa o suficiente para quem usa o smartphone moderadamente ao longo do dia.

O que pesa na decisão do consumidor a favor de outras opções de celulares é certamente o armazenamento interno. O Moto X4 é um ótimo smartphone e deve valer cada centavo do seu preço, mas você precisa ter um cartão microSD para aumentar sua memória.

Avaliação

Prós: Bom para o dia a dia, recursos exclusivos e boas câmeras.
Contras: Falta espaço de armazenamento interno, marcas de dedos aparecem com facilidade.
9.0

Ficha técnica

  • Sistema operacional: Android 7.1 Nougat
  • Processador: Snadragon 630
  • CPU: Octa-core de 2,2 GHz
  • GPU: Adreno 508
  • RAM: 3 GB
  • Armazenamento: 32 GB (+microSD)
  • Conexões: Wi-Fi 802.11 a/b/g/n/ac, Bluetooth 4.2, 4G
  • Tela: 5,2 polegadas com resolução Full HD (IPS)
  • Peso:  163 gramas
  • Bateria: 3.000 mAh
  • Câmeras: 12 megapixels e 8 megapixels (principais) e 16 megapixels (frontal)
  • Preço: R$ 1.699
Acompanhe tudo sobre:AndroidMotorolaReviewsSmartphones

Mais de Tecnologia

Apple vê estagnação nas vendas de iPhone enquanto mercado global de smartphones cresce

TikTok impulsiona crescimento da cultura sul-coreana e alcança R$ 777 bilhões

Google deve comprar empresa de cibersegurança por US$ 23 bilhões, diz WSJ

Motorola Moto G24 vale a pena? Veja preço, detalhes e ficha técnica

Mais na Exame