Tecnologia

Review: Zenfone 4 tem o mesmo problema do iPhone

Novo smartphone da Asus mostra que a marca está mais adulta e oferece câmera dupla e sistema livre de bloatware

 (Lucas Agrela/Site Exame)

(Lucas Agrela/Site Exame)

Lucas Agrela

Lucas Agrela

Publicado em 3 de outubro de 2017 às 19h00.

Última atualização em 4 de outubro de 2017 às 16h32.

São Paulo – O Zenfone 4 é o mais novo smartphone da Asus. Esse modelo será o principal de uma família de produtos com diversas variantes, como Selfie e Max. O aparelho alia configuração de hardware de ponta e um design com a assinatura Asus (aqueles raios brilhantes na parte traseira que convergem ao logo da empresa).

Assim como o iPhone 7, um dos problemas principais do Zenfone 4 é a duração da sua bateria. Em nossos testes, ele não se mostrou um maratonista, ele seria mais comparável a um corredor de 100 metros rasos.

Ou seja, ele oferece alta performance para executar praticamente qualquer aplicativo disponível para Android (seja de produtividade ou de entretenimento), mas precisa haver uma fonte de energia por perto.

Ainda que isso seja um ponto negativo do produto, dizer que o Zenfone 4 tem o mesmo problema do smartphone mais vendido do mundo chega a ser um elogio para a Asus e indica que a empresa está no caminho certo para criar aparelhos que as pessoas queiram. O consumo de energia é uma questão que empresas como a Qualcomm busca solucionar há anos e o processador da linha Snapdragon 660 é mais indicado para quem precisa de bastante autonomia de uso–outras versões do Zenfone 4 vêm com ele.

Com o smartphone, a Asus inicia uma nova fase na sua estratégia para o mercado brasileiro (que é o quarto mais importante para a fabricante no mundo). O foco agora está nas câmeras, no plural porque todos os modelos de Zenfone 4 têm câmeras duplas–no caso dos modelos Selfie, isso vale para câmera frontal, e não para a traseira como acontece no Zenfone 4. A proposta é a mesma apresentada pela LG e pela Apple: oferecer diferentes distâncias focais para que não seja preciso usar o zoom digital em uma determinada cena ou então para não precisar dar alguns passos para frente para obter uma boa foto.

Os preços do Zenfone 4 vão de 1.899 a 2.799 reais.

Design

O Zenfone 4 manteve seu padrão de design e oferece traseira com revestimento em vidro. Alinhadas horizontalmente, as câmeras ficam no canto superior esquerdo do produto, em vez de ficarem no centro como em outros modelos, e não há protuberância.

Para dar robustez ao produto e evitar problemas com quedas de alturas moderadas, o revestimento das laterais do smartphone é em metal. Na parte inferior do aparelho, encontramos a saída para fones de ouvido, o conector de energia USB Type-C e o alto-falante.

Zenfone 4 Pro

- (Lucas Agrela/Site Exame)

Em tempos de telas infinitas, a Asus optou pela segurança e colocou o sensor de digitais onde vários outros produtos de 2016 colocaram: na parte frontal. O smartphone não possui sensores de reconhecimento facial, íris ou batimentos cardíacos, apesar de ser um gadget topo de linha. É nítido que foco do produto é oferecer o essencial com boa qualidade.

A tela do Zenfone 4 tem resolução Full HD e tamanho de 5,5 polegadas. É um pouco difícil de manuseá-lo com uma mão só, mas, em 2017, você já deve estar acostumado com isso. O único smartphone topo de linha (do ano passado) com menos de 5 polegadas de tela é o iPhone 7.

Bateria

A bateria é o ponto sensível do Zenfone 4. Mesmo com tela Amoled, o produto não conseguiu um resultado que possa ser considerado muito bom. Assim como o iPhone, o Galaxy S8 e o Xperia XZ1, a autonomia de uso foi baixa em nossos testes.

Na reprodução de vídeos, o aparelho conseguiu 7,5 horas de simulação de uso intenso. Sob as mesmas condições, o Moto Z2 Force conseguiu 13 horas e 40 minutos. Vale notar que o produto tem configuração de hardware similar, com Snapdragon 835 e 6 GB de RAM. Já ao executar uma rotina de navegação web e multimídia no app AnTuTu Tester, o dispositivo da Asus marcou 6.861 pontos contra 12.576 pontos do rival Moto Z2 Force.

Vale notar que o Zenfone 4 tem otimização para stand-by, o que garante que a bateria não vai descarregar rapidamente enquanto estiver no seu bolso–o que é um alívio.

Câmeras

O sistema de câmera dupla do smartphone traz lente com o sensor de imagem de 12 megapixels da Sony IMX362, com abertura de ƒ/1.8 e lente Wide Angle com 120º. A outra captura 83º. Isso ajuda bastante na hora de tirar fotos em viagens, shows ou mesmo de um grupo de amigos no dia a dia.

A câmera com Wide Angle deforma um pouco as bordas da imagem, assim como faz uma GoPro.

Em linhas gerais, a câmera principal registra imagens com ótimo nível de detalhamento e boa definição de cores. A temperatura das cenas é fria, algo que pode ser facilmente ajustado em algum app de edição (como o gratuito Adobe Lightroom).

O modo retrato disponível no app de câmera do Zenfone 4 deve ser usado de maneira comedida. Em algumas situações, ele pode borrar demais a cena.

Na câmera frontal, o sensor é de 8 megapixels e a abertura é de f/1.9. Com isso, as fotos feitas com o smartphone de boa qualidade, o que é uma boa notícia para quem tira muitas selfies.

Veja as fotos feitas com o smartphone no Flickr.

Configuração

O Zenfone 4 Pro é o modelo mais avançado dessa nova família de produtos. Como era de se esperar de uma fabricante conhecida por oferecer aparelhos com especificações técnicas que agradam entusiastas de tecnologia, ele tem o processador mais recente da Qualcomm no mercado, o Snapdragon 660.

Outro item que ajuda na fluidez do sistema e no uso de aplicações e jogos é a memória RAM de 6 GB, quantidade que já virou padrão entre as marcas voltadas para o público mais técnico, como Motorola e Asus.

Para não ter dor de cabeça com espaço, o Zenfone 4 vem em opções com 64 GB ou 128 GB e há suporte para cartão microSD.

Os benchmarks que executamos durante nossos testes mostram o poder de fogo do Zenfone 4.

BenchmarksMoto Z2 PlayGalaxy A7Zenfone 4
AnTuTu6791160417112731
Basemark OS II117412821466
Geekbench 4Não rodou41792409
Basemark X21296Não rodou35801

Sistema

Uma ótima notícia é que a ZenUI 4.0 está mais limpa, adulta e livre de apps pré-instalados. As cores estão um pouco menos vibrantes e os aplicativos que acompanham o Zenfone 4 de fábrica têm papéis realmente importantes no dia a dia, como um gravador de som, previsão do tempo, backup na nuvem e gerenciador de arquivos. O Selfie Master também está lá, o que faz sentido para um smartphone cujo apelo de marketing é a câmera. Esse app ajuda a editar selfies e criar colagens.

Vale a pena?

O Zenfone 4 mostra que a Asus amadureceu desde o lançamento do Zenfone 5. A empresa criou um smartphone com vários pontos positivos e que peca, basicamente, apenas no mesmo ponto que o smartphone mais vendido do mundo: a duração da bateria. Se você prefere o Android ao iOS, preza por um bom design e alta performance, o Zenfone 4 é uma ótima escolha.

Avaliação

Prós: bom design, alta performance, configuração de hardware de ponta
Contras: Bateria poderia durar mais
Nota: 8.9

Acompanhe tudo sobre:AndroidAsusCâmeras digitaisReviewsSmartphones

Mais de Tecnologia

Apple vê estagnação nas vendas de iPhone enquanto mercado global de smartphones cresce

TikTok impulsiona crescimento da cultura sul-coreana e alcança R$ 777 bilhões

Google deve comprar empresa de cibersegurança por US$ 23 bilhões, diz WSJ

Motorola Moto G24 vale a pena? Veja preço, detalhes e ficha técnica

Mais na Exame