Na briga jurídica da Apple com a Epic Games, sobrou para a Valve

Desenvolvedora foi intimida pela Apple a fornecer dados da plataforma Steam diante de tribunal

A disputa entre a Apple e a Epic Games, que se iniciou no ano passado continua rolando nos tribunais norte-americanos. E agora, está sobrando para outra empresa do mercado de games, a Valve, desenvolvedora responsável pela loja de jogos Steam.

A disputa começou em agosto de 2020, quando a Apple removeu da sua loja de aplicativos o jogo Fortnite, símbolo de sucesso do mercado bilionário dos games. A remoção aconteceu depois que a Epic Games, companhia responsável pelo desenvolvimento do Fortnite, tentou driblar as taxas que a Apple impõe sobre produtos vendidos em sua loja — atualmente 30% do valor da venda. A remoção do jogo foi seguida pelo Google, que também retirou o Fortnite da loja do Android.

A briga então ficou mais feia: a Epic processou a Apple por práticas anticompetitivas, que revogou as licenças de desenvolvedor da Epic Games por violação de termos, impossibilitando a empresa de distribuir seus aplicativos.

Agora, a Apple intimou a Valve a comparecer à corte com dados sobre venda de jogos para PC, que afirma serem essenciais para seu caso contra a Epic. Mas a Valve não tem interesse na briga das duas empresas e afirma que suas informações proprietárias são irrelevantes para o caso da Apple e que seria difícil e custoso gerar esses dados.

De acordo com a Apple, a informação é essencial para a empresa corroborar seu ponto de que é possível distribuir o game Fortnite fora do ecossistema da Apple e que há "substitutos econômicos" para o iOS.

A Valve discorda e diz que não tem nada a ver com essa disputa. "A Valve não faz ou vende smartphones, tablets, ou video games para dispositivos móveis, ou de qualquer maneira compete no mercado móvel", escreveu a empresa, que afirma que o Fortnite (na versão para PC) não está disponível na Steam e que a Epic já deixou claro que não irá oferecer o game na plataforma enquanto a Valve não mudar seu modelo de negócio — que funciona de forma parecida ao da Apple, cobrando uma taxa de desenvolvedores pela venda de jogos em uma loja centralizada.

A Steam é uma iniciativa reconhecida por ter facilitado a aquisição de jogos para computadores, principalmente quando era difícil achar e baixar jogos com confiabilidade.

Diferente dos smartphones, onde as lojas das desenvolvedores dos sistemas operacionais — Play Store do Google e Android; App Store da Apple e iOS — garantiram a segurança para baixar aplicativos e jogos, a Microsoft nunca centralizou isso no Windows, por exemplo, e sempre foi um problema descobrir onde baixar jogos com segurança.

As lojas terceiras, como a Steam, e até a loja da própria Epic Games, solucionaram em parte esse problema, centralizando a distribuição de jogos em torno de uma ferramenta fácil de usar, com suporte financeiro e segurança.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.