Depois de viver 4 horas de amor no Brasil, Musk inicia a semana sob pressão

Em plena maré de azar, o bilionário encara as ações da Tesla em queda, uma acusação de assédio sexual e o impasse na compra do Twitter
 (JIM WATSON/Getty Images)
(JIM WATSON/Getty Images)
Por André LopesPublicado em 23/05/2022 12:51 | Última atualização em 24/05/2022 15:06Tempo de Leitura: 2 min de leitura

"Todos no Brasil amam você", disse, em inglês, o entusiasmado ministro das Comunicações, Fábio Faria, a Elon Musk, pouco antes de o condecorar com uma medalha de honra na sexta-feira, 20, durante a visita do empresário no Brasil.

Na ocasião, Musk veio ao país para anunciar a promessa de expandir a operação da Starlink, de internet por satélite, na Amazônia, e de prestar um serviço de monitoramento da floresta.

Fique por dentro da maior tendência para o futuro dos negócios. Participe de evento gratuito com especialistas e esteja atualizado

Contudo, o bilionário, que foi agraciado por outros asseclas do governo Bolsonaro por pouco mais de 4 horas, não parece ter levado consigo a positividade com qual foi recebido, já que uma maré de azar pairou sobre ele assim que desembarcou no país.

Ainda na sexta-feira, enquanto estava no voo, Musk viu as ações da Tesla caírem 8% depois que a empresa foi retirada do índice S&P 500 ESG, de empresas que respeitam questões ambientais, sociais e de governança corporativa.

No mesmo dia, o site Insider informou que ele teria pago US$ 250 mil em 2018 para encerrar a acusação de assédio sexual feita por uma comissária de bordo não identificada.

A profissional acusou Musk de expor seu pênis ereto para ela, esfregar sua perna sem consentimento e se oferecer para comprar um cavalo se ela fizesse uma massagem erótica. O bilionário se defendeu dizendo que as acusações são "totalmente falsas".

E nesta segunda, o magnata enfrenta mais um episódio do empasse na compra o Twitter. Para fechar o negócio de US$ 44 bilhões, Musk pediu uma recontagem de bots presentes na rede social.

O possível novo dono tem dúvidas sobre a precisão do relatório que calcula existir 5% de bots entre os 250 milhões de usuários da rede — contagens externas apontam até 20% de contas autônomas.

Exaltado, o executivo já chegou a questionar publicamente a afirmação do Twitter, inclusive bateu boca com o CEO da rede social Parag Agrawal, o qual recebeu como resposta um emoji de cocô.

A semana certamente será complicada para Musk.

LEIA TAMBÉM: 

Musk X Twitter: qual limite para difamação por bilionários em M&As?

Musk diz que compra do Twitter não segue sem garantias sobre contas falsas

Elon Musk discute com CEO do Twitter e responde com emoji obsceno