Balanço da Microsoft: aquisições certeiras e receita em alta

Resultados relativos ao último trimestre de 2021 serão divulgados nesta terça-feira, 25
No último relatório trimestral divulgado, a Microsoft reportou mais de 130 bilhões de dólares em caixa e investimentos de curto prazo, em comparação com 50 bilhões de dólares em dívidas de longo prazo (Bloomberg / Colaborador/Getty Images)
No último relatório trimestral divulgado, a Microsoft reportou mais de 130 bilhões de dólares em caixa e investimentos de curto prazo, em comparação com 50 bilhões de dólares em dívidas de longo prazo (Bloomberg / Colaborador/Getty Images)
Por Laura PanciniPublicado em 24/01/2022 06:00 | Última atualização em 24/01/2022 14:36Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Esta reportagem faz parte da newsletter EXAME Desperta. Assine gratuitamente e receba todas as manhãs um resumo dos assuntos que serão notícia.

É possível dizer que todos olhos estão na gigante Microsoft, que irá divulgar os resultados relativos ao último trimestre de 2021 nesta terça-feira, 25. No mesmo período em 2020, a empresa bateu recorde em crescimento, com vendas de 43,1 bilhões de dólares e alta de 17% no faturamento.

A companhia do CEO Satya Nadella foi o assunto da semana passada após anunciar a maior aquisição da história do setor de tecnologia. Foram 68,7 bilhões de dólares para comprar a Activision Blizzard, uma das maiores desenvolvedoras de games do mercado.

Somente os resultados do próximo trimestre vão refletir a compra da Blizzard, que irá classificar a Microsoft como a terceira maior empresa de jogos do mundo e a primeira nos Estados Unidos em receita.

Por enquanto, outras 15 aquisições feitas pela companhia em 2021 já impactam os resultados. A Microsoft apostou em empresas de temas diversos (como segurança cibernética e IA), mas no mínimo 8 delas têm conexão ao setor de games, que só deve crescer ainda mais com a aquisição da Blizzard e o impacto do metaverso.

Tudo indica que o trabalho remoto ainda será uma temática presente nos resultados, que impulsiona serviços como Microsoft Teams e Office 365. Em agosto do ano passado, o pacote Office teve aumento de 20% no preço de sua assinatura mensal, o que deve refletir nos resultados.

A Azure, divisão de computação em nuvem da empresa, também tem expectativa de crescimento. O setor no geral é bastante promissor, com chances dos gastos gerais chegarem a 1 trilhão de dólares na próxima década.

No último relatório trimestral divulgado, a Microsoft reportou mais de 130 bilhões de dólares em caixa e investimentos de curto prazo, em comparação com 50 bilhões de dólares em dívidas de longo prazo.

Ao todo, a dívida líquida colocou o valor da empresa em 2,24 trilhões de dólares, cerca de 50 bilhões a menos que o valor de mercado. A expectativa de acionistas para o relatório que será divulgado hoje é que os números continuem semelhantes.