Tecnologia

Aceleradora de reputação quer colocar startups na briga contra gigantes

A empresa brasileira foi fundada há cinco anos e busca levar startups já consolidadas no mercado a um novo patamar

Gabriel Oliveira e Silas Colombo: CEO e diretor de comunicação da Motim (Motim/Divulgação)

Gabriel Oliveira e Silas Colombo: CEO e diretor de comunicação da Motim (Motim/Divulgação)

Lucas Agrela

Lucas Agrela

Publicado em 14 de junho de 2021 às 13h46.

Última atualização em 14 de junho de 2021 às 15h21.

Após uma startup nascer a partir de uma ideia criativa e inovadora, provar seu conceito no mercado, conquistar clientes e investidores, qual é o próximo passo? A Motim, que nasceu como uma assessoria de imprensa, aposta na aceleração da reputação das startups para colocá-las na briga contra as grandes empresas de seus setores.

Fundada há cinco anos, a empresa tem hoje cerca de 40 funcionários e possui uma metodologia própria de mensuração de impacto de ações que vão desde a produção de conteúdo até as relações públicas.

Usando ferramentas digitais, o método foi criado a partir da experiência com 118 marcas de 46 segmentos. Para startups que querem dar o próximo passo no mercado, o trabalho é voltado à captação de clientes interessados e a concretização de negócios entre startups e empresas. A frente de aceleração de reputação é liderada por Marina dos Anjos, ex-Sprinkler, que ocupa o cargo de desenvolvimento de negócios e marcas. Atualmente, a companhia é liderada por Gabriel Oliveira, ex-Freeletics, app de exercícios físicos.

Motim

Motim: empresa é liderada por Gabriel Oliveira (CEO), Marina dos Anjos (desenvolvimento de negócios e marcas) e Silas Colombo (cofundador e diretor de comunicação) (Motim/Divulgação)

Misturando mídia orgânica, paga e iniciativas de relações públicas, a companhia levou o aplicativo de saúde mental britânico Glorify, rival da Calm e do Headspace, a 500 mil usuários no Brasil em apenas seis meses.

“A reputação é a nova moeda para o mercado de inovação e tecnologia. É isso que vai ajudar a conseguir brigar no estágio dos unicórnios. Toda a estratégia é montada com base nos objetivos de negócios de cada empresa e usamos tecnologia própria de mensuração de impacto de marca com o trabalho de conteúdo”, afirma Silas Colombo, cofundador e diretor de comunicação da Motim. 

Em média, a companhia cresceu 150% ao ano nos últimos 4 anos. Em 2020, com a pandemia e a transformação digital que ela provocou no mercado, a empresa deu um salto de 240% ante 2019. Para 2021, a previsão é de 150% de crescimento.

Acompanhe tudo sobre:Reputação de empresasStartups

Mais de Tecnologia

Motorola Moto G24 vale a pena? Veja preço, detalhes e ficha técnica

Samsung Galaxy A54 é bom? Veja preço, detalhes e ficha técnica

Samsung Galaxy M35 vale a pena? Veja preço, detalhes e ficha técnica

Samsung Galaxy S23 FE vale a pena? Veja preço, detalhes e ficha técnica

Mais na Exame