Pop

Dinamarca proíbe macarrão instantâneo 'super' apimentado; produto é vendido no Brasil

Agência de saúde do país recomenda que os consumidores devolvam os produtos às lojas ou descartem as embalagens

Buldak, linha de miojos apimentados da Samyang (Redes Sociais/Reprodução)

Buldak, linha de miojos apimentados da Samyang (Redes Sociais/Reprodução)

Mateus Omena
Mateus Omena

Repórter da Home

Publicado em 13 de junho de 2024 às 11h50.

Última atualização em 13 de junho de 2024 às 15h34.

A Dinamarca proibiu a venda de três tipos de macarrão instantâneo da marca sul-coreana Samyang e recomenda que os consumidores que compraram os produtos devolvam às lojas de origem ou descartem as embalagens.

A agência responsável pela regulamentação de alimentos no país declarou nesta quarta-feira, 12, que os rótulos “Hot Chicken Ramen 3x Spicy”, “Hot Chicken Ramen 2x Spicy” e “Chicken Flavor Ramen” são inadequados para consumo por serem extremamente apimentados, com possibilidade de causar danos de “envenenamento agudo”.

Segundo o comunicado, os produtos possuem excesso de capsaicina, o composto químico presente nas pimentas.

Apesar da proibição da venda dos macarrões instantâneos, a autoridade sanitária dinamarquesa enfatizou que “não há motivo para preocupação se seus filhos apresentarem sintomas de envenenamento agudo após consumir o produto”.

A agência também orientou os pais a entrarem em contato com as autoridades de saúde para obter aconselhamento.

Venda no Brasil

Fundada na Coreia do Sul, a Samyang é uma das maiores fabricantes de macarrão instantâneo do mundo e faturou cerca de US$ 50 bilhões, alta de 52% em relação a cinco anos atrás, mostra relatório da Euromonitor International, divulgado pela EXAME.

Um dos principais produtos da marca é a linha Buldak, conhecida por oferecer uma linha de alimentos processados mais apimentados do mundo. Nessa categoria, se destacam os macarrões instantâneos Hot Chicken Ramen, proibidos nesta quarta-feira na Dinamarca.

No Brasil, os produtos da linha Buldak estão presentes em diversos mercados especializados em produtos asiáticos e também em lojas virtuais. Em média, o macarrão instantâneo da marca é vendido por R$15. Os rótulos da Samyang não constam na lista de produtos impróprios para consumo da Anvisa.

Apesar disso, não há representação oficial da companhia no país, nem uma fábrica da Samyang em território brasileiro.

Acompanhe tudo sobre:AlimentosAlimentos processadosSaúdeDinamarca

Mais de Pop

Bob Newhart, comediante de 'The Big Bang Theory', morre aos 94 anos

Dia Internacional de Nelson Mandela: 7 curiosidades sobre a trajetória do líder sul-africano

Dez anos longe da TV, Manoel Carlos, o criador da 'dona Helena', quer voltar com projeto inédito

'Senna': minissérie sobre o melhor piloto do Brasil ganha data de estreia; veja

Mais na Exame